Translate

Mostrando postagens com marcador beleza. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador beleza. Mostrar todas as postagens

12 julho 2021

Beleza é riqueza


Muito interessante. No Financial Review:

This paper examines whether and how CEO attractiveness relates to firm value. We construct a Facial Attractiveness Index of 667 CEOs based on their facial geometry. More attractive CEOs are associated with better stock returns surrounding their job announcements and around earnings-announcement news with CEOs' images. Further, more attractive CEOs are related to higher acquirer returns following acquisition announcements and higher Tobin's Q. Finally, consistent with the existing literature documenting the beauty premium in pay, more attractive CEOs receive higher compensation.

Ou seja, a beleza do executivo pode afetar o valor da empresa. 

Foto: Shari Sirotnak

09 maio 2018

Direito a beleza

Será verdade? Um texto do Quartz afirma que os brasileiros possuem o "direito à beleza":

Nos hospitais públicos, as cirurgias plásticas são gratuitas ou de baixo custo, e o governo subsidia quase meio milhão de cirurgias por ano .


Isto naturalmente tem impacto nas finanças públicas.

No entanto, esses pacientes, a maioria dos quais eram mulheres, também me disseram que viver sem beleza no Brasil era assumir um risco ainda maior. A beleza é vista como sendo tão central para o mercado de trabalho, tão crucial para encontrar um cônjuge, e tão essencial para qualquer chance de mobilidade ascendente que muitos não podem dizer não a essas cirurgias.

Certamente o efeito beleza não é exclusivo do Brasil. Não seria um exagero do texto? O fato do país ser o segundo país do mundo em plástica parece indicar que sim.

06 dezembro 2017

Prêmio para beleza contábil (não é ironia)

Por diversas vezes destacamos neste blog que as demonstrações contábeis podem ser criativas e bonitas. Agora, uma entidade venceu o Community Prize, medalha de ouro, do 2017 Information is Beautiful Awards. O relatório anual do Grupo ERGO Hestia, Polônia, de autoria de Hanna Dyrcz é perturbador.

Melhor do que falar, use um pouco do seu tempo para VER. Clique aqui. Lembre-se: são demonstrações contábeis anuais.

29 outubro 2015

A Beleza dos Relatórios Contábeis

Geralmente associamos os relatórios contábeis a tabelas e números, tudo muito árido e difícil leitura. Mas a representação da informação contábil pode ser criativa e bonita. No ano passado postamos sobre a beleza da informação e naquela ocasião destacamos uma publicação do sítio Information is Beautiful que apresentou, no prêmio de melhor ilustração para 2014, uma demonstração contábil entre os indicados. A entidade era a Factor, uma organização sem fins lucrativos, relacionada à indústria de música do Canadá. Com 92 páginas, o relatório da Factor é um exemplo de criatividade e beleza.

Agora outro texto do Eyeondesign destaca o papel que profissionais de design estão tendo para melhorar alguns relatórios anuais. Os exemplos apresentados a seguir inclui a Pirelli e Seguros Pelayo. Desta última temos um vídeo apresentando, resumidamente, o desempenho da instituição, que colocamos nesta postagem.



Seguros Pelayo 2012 // Annual Report from Biografica on Vimeo.


Pelayo 2014 Annual Report from Biografica on Vimeo.

21 agosto 2015

Feios

Minha colunista preferida do jornal Valor Econômico, Lucy Kellaway, escreve sobre o desaparecimento dos feios das empresas. Baseado numa evidência pessoal, quando foi dar uma palestra para funcionários de uma big four, Lucy diz que ninguém tinha pele com acne ou feições desagradáveis. Segundo Lucy, "aquelas pessoas haviam sido contratadas para auditar contas de empresas, uma tarefa que exige um entusiasmo incomum pelos GAAP  e não as maçãs do rosto salientes".

Para a colunista, isto denota que existe uma discriminação contra os feios. Outra explicação é que o mundo está ficando mais belo. As duas explicações são razoáveis, mas prefiro acreditar na segunda.

Nos dias de hoje é muito mais acessível produtos que ajudam no embelezamento. Além disto, as gerações mais novas nasceram e cresceram num mundo muito mais fácil, com amplas possibilidades de produtos saudáveis, academias, ambientes mais saudáveis, consultas médicas desde a infância e outras coisas.

Outro ponto não explorado pela colunista é o fato de que um emprego numa big four não é um emprego qualquer. Os candidatos são selecionados entre universitários, uma elite da população. A perspectiva de se tornar um partner é um atrativo suficiente para que muitos se candidatem e, aí sim ocorra a discriminação na escolha.

20 outubro 2014

Curso de Contabilidade Básica: A informação é bonita



As demonstrações contábeis devem seguir algumas normas que são determinadas pela contabilidade e pelos reguladores. De uma forma geral, as empresas ou tem medo de fazer algo diferente, sendo conservadoras, ou acham que as demonstrações contábeis devem ser um emaranhado de números.

Mas existem as exceções. No Brasil são admiráveis as demonstrações da Souza Cruz. A beleza também está presente no Instituto Ronald McDonalds (apesar de não serem realmente demonstrações contábeis). As informações do Corinthians também devem ser destacáveis. E algumas outras empresas.

Recentemente o sitio Information is Beuatiful apresentou os concorrentes ao prêmio de melhor ilustração para 2014. E boa surpresa: uma demonstração contábil estava entre os indicados. Trata-se da FACTOR, uma organização sem fins lucrativos relacionada com a indústria da música do Canadá. Fundada em 1982, a entidade possui um orçamento de 11,5 milhões (menos de 50 milhões de reais), provando ser possível fazer informação contábil bonita sendo uma entidade de médio porte.

A demonstração contábil de 2013 da FACTOR possui 92 páginas. Uma grande parte dela é composta por páginas bem produzidas, com gráficos e layout. A seguir uma das páginas do relatório:

A figura mostra no topo da página as receitas e despesas para o exercício de 2013-2014. A figura informa o total de receita (20 milhões em dólares canadenses) e as duas principais fontes. A seguir as despesas, sendo que 1,9 milhões são despesas administrativas. (Lembramos que um dos índices mais relevantes para uma entidade sem fins lucrativos é a relação entre despesa administrativa e receita; no caso da FACTOR esta relação é de 9,5% versus mais de 30% do Instituto Ronald McDonalds, por exemplo). E na segunda parte da página, as informações para o exercício anterior, em outra cor.
A seguir outra página do relatório:

Esta página mostra a distribuição dos programas de apoio por província do Canadá. A figura que ocupa a página quase toda mostra a dimensão da distribuição: Ontário recebeu mais e por isto a área é maior. É intuitivo o gráfico. E a página do balanço patrimonial:

Vamos parar por aqui. Não deixe de olhar e invejar o trabalho gráfico da FACTOR. Aproveite, pois não é qualquer dia que encontramos demonstrações contábeis graficamente criativas. 


 

15 dezembro 2013

Cirurgia Plástica


O mapa mostra os países com maior número de plásticas. Quanto mais escuro, maior o número. Itália, Grécia e Coréia (do Sul, claro), mas Brasil, EUA e Colômbia também estão no topo.

13 dezembro 2013

O rosto mais bonito

Uma pesquisa no Reino Unido com mil homens e mulheres tentou descobrir o rosto perfeito. Para cada parte, o respondente deveria informar qual mulher famosa seria a "perfeição". O rosto escolhido pelos homens foi o seguinte:


Os cabelos, loiros, da Shakira, o nariz de Miranda Kerr e os lábios de Angelina Jolie. As respostas das mulheres deram origem ao seguinte rosto:


Os cabelos são escuros (de Frida Pinto), com os olhos de Mia Kunis e os lábios de Johanson. Duas escolhas foram idênticas: os olhos de Kunis (mais de 50% das respostas) e o queiro de Megan Fox.

Outro aspecto que merece destaque é o fato da escolha apresentar uma grande variedade na idade.

24 abril 2013

Beleza Real



Uma bela propaganda da Dove compara a percepção que as mulheres possuem da sua beleza e como outras pessoas as enxergam. (Dica de Tita e Mariana, grato)

10 agosto 2012

Beleza

Pesquisadores da Universidade de Ben-Gurion e do Ariel University Center, em Israel, dizem que homens bonitões têm 50% mais chances de serem chamados para entrevistas de emprego do que os de aparência normal. Mas mulheres bonitonas são bem menos propensas a conseguirem um tempinho com o entrevistador.  A razão? De acordo com os cientistas, a maioria do pessoal dos departamentos de RH por aí, que é quem normalmente avalia os currículos, são mulheres jovens e solteiras. Presumidamente, elas não se animam em contratar “concorrentes em potencial”.

Fonte: Superinteressante, via aqui

07 agosto 2012

Belos contadores

Queridos leitores,

Bom dia! Antes de escrever postagens para hoje, uma observação para diminuir o susto quando as pessoas me conhecem:

Eu não sou uma senhora nerd, de óculos, na casa dos 40 anos.

Ainda sou uma senhorita nerd, de lente de contato, na casa dos 20.

Para ver a minha foto, basta clicar no meu nome que aparece no menu lateral (lá vocês terão acesso ao meu perfil, assim como ao dos outros autores).

Também já apareci em algumas postagens por aqui, inclusive na que sequestrei o blog e coloquei dois vídeos em homenagem à minha turma de mestrado.

Ah! Quem segue a Fan Page no Facebook (facebook.com/ContabilidadeFinanceira) e o nosso perfil no Instagram ou no Twitter (@Blog_CF) terá ainda mais acesso aos autores. Menos o Pedro Correia porque ele não gosta de fotos. Mas ele é um lindo (lindo mesmo) graduando em Ciências Contábeis.

Resumindo: três belos autores, concordam? ^.^

Talvez você aprecie as seguintes postagens (além das já sugeridas mais abaixo):

Contador Sexy e Poesia Contábil

Aparência

Por que os contadores são magros, fracos e usam óculos, nos filmes de Hollywood?

27 julho 2012

Charme feminino nos negócios


Aqui vai um alerta para aquelas moças que usam (voluntariamente ou não) seu charme para criar uma boa imagem no ambiente de trabalho: a tática pode atrair a simpatia dos colegas, mas ao mesmo tempo pode fazer com que sejam vistas como menos confiáveis.

A conclusão veio de dois estudos feitos recentemente por pesquisadores da Universidade da Califórnia em Bekerley (EUA). Eles analisaram como o “flerte” (entendido como “atitude carinhosa, provocante, porém não necessariamente com intuito sexual”) pode interferir em negociações profissionais e no ambiente corporativo em geral.

“Embora flertar possa tornar uma mulher mais agradável, negociadoras que o fizeram foram julgadas como menos autênticas do que aquelas que não usaram esse recurso”, conta a pesquisadora Laura Kray, líder da equipe.

No primeiro estudo, 79 estudantes de pós-graduação (sendo 50 homens e 29 mulheres) opinaram sobre a eficácia de dez características pessoais em uma negociação – como honestidade, tendência a manipular e capacidade de ouvir. No final, a habilidade de flertar foi considerada a menos efetiva, junto com algumas características relacionadas a ela (como beleza física e postura “leve”).

No segundo, feito com 77 estudantes (desta vez, 51 mulheres e 26 homens), os participantes assistiram a diversos vídeos de negociações, nos quais um ator (ou atriz) falava diretamente para a câmera, simulando um diálogo com o espectador. Em cada vídeo, a pessoa seguia um roteiro, que poderia demandar uma postura séria ou “charmosa”.

Aqueles que “flertavam” com o espectador eram vistos como menos autênticos, porém, no caso das atrizes, mais agradáveis do que aqueles que mantinham uma postura mais séria. O roteiro de “flerte”, vale dizer, incluía sorrir, inclinar-se para frente, tocar os próprios cabelos e o rosto e usar um tom de voz leve, com certo ar de brincadeira.

Alguma leitora se identificou?


Daily Mail UK e HyperScience