Translate

24 janeiro 2021

Custo Perdido em hidrelétrica do Canada


O Canadá está construindo uma usina hidrelétrica na província de Colúmbia Britânica. Denominado de Site C Clean Energy Project, a usina deveria permitir ao país uma maior geração de energia "limpa". Há diversas controvérsias sobre o projeto, incluíndo impacto sobre a comunidade indígena.

O custo estimado da construção é de 20 bilhões de dólares canadenses (aproximadamente US$16 bilhões). Diante dos problemas com o projeto, um artigo (via aqui) questiona se não seria o caso de abandonar o projeto. Já foram investidos no projeto mais de 6 bilhões. E um estudo aponta que o projeto não é econômico e não entrega uma energia limpa, com redução de emissão de carbono. 

Trata-se de um típico caso de custo perdido. Eis uma análise:

o valor presente total da eletricidade produzida no Site C é estimada em $ 2,76 bilhões contra um custo total estimado de $ 10,7 bilhões, implicando em uma perda de $ 8 bilhões . Isso é ruim. No entanto, se o projeto fosse cancelado agora, a perda seria cortada pela metade, para talvez US $ 4,5 bilhões. 

Foto: By Jason Woodhead - https://www.flickr.com/photos/woodhead/33925655676/, CC BY 2.0, https://commons.wikimedia.org/w/index.php?curid=93611410

Previsão e Contabilidade - 2


Na postagem anterior vimos que existe uma ênfase em se fazer previsão na contabilidade atual. Mas temos vários problemas com esta escolha. 

Aqui vamos enfatizar somente um aspecto: como melhorar a contabilidade, através da melhoria do processo preditivo. Quando a contabilidade lida com a previsão, geralmente isto não está explicito nas informações. O especialista sabe que o valor do passivo judicial de uma empresa depende, substancialmente, de previsão. Também sabe que uma decisão sobre a recuperabilidade dos ativos é apoiada nestas previsões. 

Uma das melhores maneiras que as pessoas aprendem é errando e corrigindo o erro. Entretanto, o processo contábil não permite que isto seja feito. Se o profissional fez uma estimativa que uma determinada causa não resultaria em um passivo para a empresa e errou, o usuário dificilmente saberá deste erro. Há algumas exceções. Algumas empresas divulgam suas principais projeções. Mas na maioria dos casos, é impossível saber aonde termina uma estimativa e começa uma projeção. A melhor maneira de saber se a mensuração realizada pela entidade através da previsão é adequada será através de um sistema que permita analisar seu grau de acerto. 

Fazer uma previsão de que o PIB deverá aumentar este ano pode ser fácil. Ou dizer que a sua vida irá mudar para melhor este ano é muito genérico. Os horóscopos geralmente se baseiam em afirmações amplas o suficiente para incorporar as mais diferentes possíveis situações. Por isto a leitura dos astros parece com charlatanismo. 

Mas especificar um valor para este acréscimo faz com que tenhamos melhores motivos para tentar acertar nossa decisão. Da mesma forma, indicar que um processo judicial não irá resultar em perdas para a empresa é uma previsão bem específica. Assim podemos saber se houve um acerto ou um erro na previsão. 

Observe que isto também pode ajudar os reguladores. Divulgando as previsões precisas das empresas, será possível perceber o quanto erramos e como isto interfere nos resultados apresentados nas informações. Se o erro for substancial e estiver atrapalhando a análise do desempenho da empresa, talvez seja melhor pensar em outra alternativa para mensuração contábil. 

Rir é o melhor remédio

 

Fazendo o impossível

Previsão e Contabilidade


Historicamente, a partidas dobradas não dependia substancialmente do processo preditivo. A partir dos meados do século passado, a questão da previsão começou a aparecer na contabilidade, seja na obra dos teóricos, seja nos documentos preparados pelas associações de profissionais contábeis. Com a criação do Fasb, nos Estados Unidos, e a adoção de sua filosofia na preparação de informações contábeis na maioria dos países, através do Iasb, a previsão passou a constar da estrutura conceitual. Sob a denominação de valor preditivo, a informação contábil deveria permitir que o usuário fizesse inferências sobre o futuro da empresa e também confirmasse suas previsões passadas. 

Aqui é importante fazer uma distinção entre os termos estimativa e previsão. A estimativa é geralmente utilizada na literatura contábil sem uma associação com o futuro. Quando o profissional calcula a depreciação mensal de um equipamento, é necessário fazer uma estimativa da vida útil deste ativo, para a determinação do valor da despesa. Da mesma forma, quando é feito o levantamento do estoque através do inventário periódico, estima-se o valor do custo a partir da fórmula (CMV = Estoque Inicial + Compras - Estoques Final). Nos dois exemplos, o futuro não é a parte relevante no processo de mensuração, embora esteja mais forte na primeira situação. 

Já a previsão tem uma associação mais estreita com o que irá ocorrer no futuro. Com base nos processos judiciais anteriores, é possível prever que a empresa deverá ter sucesso em uma determinada causa, e irá vencer. Assim, a contabilidade não irá reconhecer no passivo este processo. 

O que a estrutura conceitual enfatiza é o chamado valor preditivo. Há uma discussão inicial se o valor preditivo é do preparador da informação ou se, com base nas informações apresentadas, deve ser do usuário. Quando a norma enfatiza o valor justo, parece que a responsabilidade está sob os ombros do preparador. 

Imagem: aqui

23 janeiro 2021

Google Earth Time-Lapse

 O Google juntou fotografias de satélites em diferentes anos em um site chamado de Earth Time-Lapse. Ao entrar no site, você pode ver a história de alguns lugares selecionados. Isto inclui Rondônia e Teles Pires River. Mas você pode localizar uma cidade e ficar observado a sua evolução no tempo. 

Por exemplo, eis Patos de Minas no ano de 1984:


Mesma posição do satélite, agora em 2018:

Boa diversão.

Rir é o melhor remédio

 

Trabalho e meta

22 janeiro 2021

Campeões da Netflix

 

Fonte: aqui. Isto é do mercado dos Estados Unidos. Curioso é que comecei a ver The Office no final do ano passado. E vi Gambito. Vi The Crown e Tiger durante o ano. Além de The Office, estou assistindo Peaky Blinders. Muito bom. Os filmes:

Bem infantil e família, não? Mais aqui

SEC sob o governo Biden

O novo presidente dos Estados Unidos escolheu Gary Gensler para ser o presidente da SEC. Mas o seu nome deve ser aprovado pelo Senado. O processo está atrasado, pois o período de transição foi um pouco tumultuado. Gensler já foi presidente da Commodity Futures Trading Commission. Enquanto isto, a SEC será conduzida por Allison Herren Lee:

Lee já estava na SEC desde julho de 2019 e marcou posição nas tentativas do ex-presidente da SEC em afrouxar algumas regras. Além do presidente da SEC, a nova administração deverá contar com um novo chefe de contabilidade, já que o anterior, Sagar Teotia, já saiu do cargo. Ao contrário do antigo comandante da SEC, Gensler deve ter uma postura mais incisiva sobre a regulamentação financeira. No passado, ele foi da Goldman Sachs. 

Se Lee continuar mais tempo no cargo de interina da SEC, a entidade deve enfatizar a questão do clima, o que está coerente com a nova gestão. 

Os livros mais vendidos em 2020

 

Fonte: Estado de S Paulo, 22 de janeiro de 2021

Rir é o melhor remédio

 


21 janeiro 2021

Mais informação é mais informação de baixa qualidade - II


Veja que interessante um texto do New York Times, que complementa a postagem anterior. Um reporter narra sua busca por livrar do vício de consultar o celular. Um primeiro texto fala sobre phubbing

Os psicólogos têm um nome para isso: “phubbing” ou desprezar uma pessoa em favor do seu telefone. Estudos têm mostrado que o phubbing excessivo diminui a satisfação no relacionamento e contribui para sentimentos de depressão e alienação.

Mas eu gostei mesmo quando ele apresenta uma grande solução para o assunto: aula de cerâmica !!

(...) a cerâmica é um substituto perfeito do telefone. É um desafio manual e exige concentração por horas a fio. Ele também suja as mãos, o que é um bom impedimento para mexer com eletrônicos caros.

Mais informação é mais informação de baixa qualidade


Uma lei da economia pode ajudar a explicar como prevalece, nos dias atuais, as informações de baixa qualidade. Entre ler um artigo da New Yorker, preferimos ler a última fofoca de uma pretensa celebridade. A Lei de Gresham foi proposta para produtos tangíveis, mas pode ser aplicada para a informação. 

Atacada pela competição acirrada do ciclo de notícias diárias, a notícia sofre com a Lei de Gresham, um conceito financeiro que afirma que o dinheiro ruim tira o dinheiro bom até que só o dinheiro ruim reste. A Lei de Gresham pode explicar por que o consumidor mediano lê informações de baixa qualidade online. Na Internet, o conteúdo de baixa qualidade expulsa o conteúdo de alta qualidade, já que os artigos mais lidos são polarizadores e emocionalmente chocantes. Primeiro, eles distorcem a verdade eliminando nuances e adicionando carga emocional a tópicos importantes. Se você verificar quase todas as publicações importantes, verá que as histórias mais populares são opinativas e causam medo. Eles nos atraem porque influenciam nossos instintos básicos de maneiras irresistíveis.

(...) Mas, na prática, aconteceu o contrário. Em vez de informar o público, os jornalistas são forçados a manipular algoritmos de mídia social, divulgando histórias e escrevendo manchetes enganosas. Um repórter da Vox me disse que eles têm que escrever dez títulos para cada postagem que escrevem. A Vox escolhe o título que atrai mais engajamento, dependendo da plataforma. Desesperados por cliques, os repórteres tendem a sombrear suas manchetes com medo e indignação. 

Mas isto não é de todo ruim. 

Para o consumidor de notícias consciente, nunca houve melhor época para estar vivo. A Internet está repleta de informações de alta qualidade, de modo que os consumidores de informações mais experientes têm acesso a mais conhecimento de alta qualidade do que em qualquer momento da história humana.

Portanto, pule o ciclo de notícias, mas reduza o consumo medido. Ignore as recomendações da sociedade sobre o que consumir e atualize seus hábitos de aprendizagem como se estivesse sacudindo um esboço. Lembre-se de que o que você deve consumir não se parece em nada com o que foi ensinado a consumir. Rebele-se contra os holofotes tradicionais, encontre alguns curadores confiáveis ​​e, em vez disso, trace seu próprio caminho. (...)

Na Internet, sua taxa de aprendizado é limitada não pelo acesso às informações, mas por sua capacidade de ignorar distrações. As pessoas que você segue online são um indicador importante de seu sucesso, sua saúde e sua felicidade. 

Abrace a responsabilidade pessoal. Ignore a junk food, siga as pessoas certas e beba profundamente suas recomendações.

Rir é o melhor remédio

 

Definição de contabilidade.

20 janeiro 2021

Esportes e imposto de renda

Segundo advogados tributaristas ouvidos pelo Estadão, somente de 2013 para cá, pelo menos 300 jogadores de futebol receberam multas da Receita Federal por problemas na declaração do Imposto de Renda. Os valores são pesados. Neymar, por exemplo, chegou a levar uma multa de cerca de R$200 milhões. A assessoria do jogador afirmou que ele teve um ganho de causa no Carf (Conselho de Administração de Recursos Fiscais) e reduziu para um valor bem menor - cerca de R$ 88 milhões. Já o técnico Cuca, hoje no Santos, foi multado em 2017 em R$ 3,6 milhões e alegou à época que não sabia da ilegalidade. No mesmo ano, o atacante Alexandre Pato, atualmente sem clube, também foi condenado pelo Carf a pagar cerca de R$ 5 milhões. (...)

Os atletas e técnicos costumam receber os salários divididos da seguinte maneira: 60% do valor total do salário é pago para a pessoa física e os outros 40% são destinados como direito de imagem, que são registrados em nome de uma empresa. E é justamente nesta última modalidade que a Receita Federal está de olho. Procurada pelo Estadão, o órgão não retornou o contato para comentar asautuações.

A divisão entre as duas formas de recebimento chama a atenção dos auditores fiscais por causa do valor recolhido em imposto. A tributação sobre o salário chega a 27,5%, além de encargos trabalhistas, como férias, FGTS e 13.º salário. Já no direito de imagem, é de no máximo 15%. Por isso, há o rigor para verificar se ao receber em nome de uma empresa não há uma tentativa por parte do atleta e do clube de pagar menos impostos. Erros na declaração do IR, falta de documentos e imprecisão nas informações também abrem brechas para problemas.

Adaílton se lembra bem do erro que causou a multa. "Abri uma empresa para receber o direito de imagem. Mas, como demorei para emitir a nota ao clube, recebi o conselho de uma contadora de que eu poderia receber os pagamentos na minha conta pessoal. Segui uma orientação equivocada", contou.O ex-zagueiro revela ter gasto até hoje cerca de R$ 200 mil com advogados para conseguir reduzir a multa. O processo ainda não terminou. "Depois de tudo isso eu aprendi o quanto é importante cuidar da nossa declaração", disse.

Após autuações de Neymar, Cuca ePato, jogadores fazem 'blindagem'para evitar multas da Receita. Ciro Campos, O Estado de S.Paulo 15 de janeiro de 2021

Volks paga indenização sobre atuação durante a ditadura militar brasileira


O Ministério Público Federal formalizou nesta sexta-feira, 15, o arquivamento do inquérito aberto contra a Volkswagen pelo apoio da montadora alemã à repressão durante a ditadura militar no Brasil (1964-1985). Oencerramento da investigação é resultado do Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) firmado com a empresapara garantir a reparação judicial pela anuência a violações aos direitos humanos.

A Volks tinha contratado um pesquisador alemão para elaborar um relatório sobre a participação da empresa no regime militar brasileiro. 

Segundo o pesquisador, até 1979 a Volks mantinha um ‘apoio irrestrito’ à ditadura que não se limitava a declarações de lealdade pessoais. Em 1969, foi iniciada uma colaboração entre a segurança industrial da montadora alemã e a polícia política do regime militar através do chefe do departamento de segurança industrial, Ademar Rudge, oficial das Forças Armadas. Consta no relatório que as trocas de informações levaram à prisão ao menos sete empregados da fábrica da Volkswagen em São Bernardo do Campo, na Grande São Paulo.

Fonte: Procuradoria homologa acordo dereparação de R$ 36 milhões com a Volkse põe fim a inquérito por apoio da multialemã aos porões da ditadura. Rayssa Motta. 15 de janeiro de 2021. Estado de S Paulo

Rir é o melhor remédio


 As três partes de um artigo

19 janeiro 2021

Amortização nas empresas de petróleo


O ano de 2020 foi horrível para as empresas de petróleo. Segundo o The Wall Street Journal, o setor já registrou 145 bilhões de dólares nos três primeiros trimestres de 2020, considerando as empresas da América do Norte e da Europa. Isto equivale a 10% do valor de mercado das empresas. 

O ano de 2020 foi rigoroso pela queda no preço do petróleo. 

A reavaliação do setor neste ano está entre as mais rígidas de todos os tempos, porque as empresas de petróleo também enfrentam incertezas de longo prazo sobre ademanda futura por seus principais produtos em meio ao aumento dos carros elétricos, aproliferação de energia renovável e a crescente preocupação com o impacto duradouro das mudanças climáticas.

Imagem: aqui

Por que os auditores não encontram fraude?


Mesmo com toda a publicidade em torno da questão da fraude financeira nos últimos vinte anos, a maioria dos auditores, investidores e outros profissionais ainda não “entende” quando se trata de detectar fraudes. As auditorias de demonstrações financeiras tradicionais nunca foram projetadas para detectar fraudes.

A auditoria é simplesmente um processo pelo qual os auditores verificam a matemática da empresa e a aplicação das regras contábeis. Os auditores examinam uma porcentagem muito pequena das transações. A fraude raramente é detectada por auditorias de demonstrações financeiras porque não têm o objetivo de fazê-lo. No entanto, às vezes a fraude é detectada pelos auditores, e eles podem aumentar suas chances de encontrá-la se quiserem. Existem oportunidades durante cada auditoria de demonstração financeira para encontrar fraudes, se apenas os auditores fossem diligentes. Um dos segredos para se tornar melhor na detecção de fraudes é entender por que os auditores com tanta frequência não as encontram.

A questão de encontrar fraudes em auditorias é importante não apenas para os auditores. Os investidores e outros profissionais que usam as demonstrações financeiras precisam entender os riscos de fraude para avaliar plenamente o quão não confiáveis ​​as demonstrações financeiras podem ser quando se trata de fraude.

O resultado final é que aqueles que estão confiantes de que as auditorias encontrarão fraudes estão se enganando. Nada poderia estar mais longe da verdade. A ocorrência ocasional de auditores detectando fraude durante uma auditoria de demonstração financeira não significa que as auditorias sejam eficazes na detecção de fraude.

Este artigo discute os nove motivos mais comuns pelos quais os auditores deixam de perceber a fraude que está ocorrendo bem debaixo de seus narizes. Ao destacar esses problemas, os profissionais podem entender melhor os problemas relacionados à detecção de fraudes e evitar uma falsa sensação de segurança ao examinar as demonstrações financeiras auditadas.

Confiança nos controles internos

A profundidade dos testes de auditoria e os tipos de procedimentos usados ​​são fortemente influenciados pela avaliação dos controles internos pelos auditores. Eles estão observando as políticas e procedimentos da empresa que ajudam a garantir demonstrações financeiras precisas. Os auditores determinam se esses controles existem, são adequados e são aplicados.

Com base em suas avaliações do risco e dos controles, os auditores planejarão seu trabalho de auditoria. É fácil ver que quaisquer avaliações incorretas nesta fase do processo podem ser prejudiciais para toda a auditoria. Se os auditores não estiverem totalmente cientes dos riscos, eles não podem planejar seu trabalho para lidar com esses riscos.

Os clientes de auditoria geralmente são culpados de ter controles internos deficientes que nunca são corrigidos. Os auditores dizem aos clientes que há um problema, mas eles continuam os negócios normalmente. Quando a auditoria do ano seguinte começa, os auditores descobrem que nenhum dos problemas foi corrigido. Eles ajustam o escopo de seu trabalho de auditoria de acordo? Frequentemente, a resposta é não e, portanto, ano após ano, existem deficiências que não são tratadas com o aumento dos procedimentos de auditoria.

Os previsíveis testes de auditoria

Os  auditores são notórios por repetir seus testes ano a ano, concentrando-se nas mesmas contas ou tipos de transações e usando limites em dólares com os quais os clientes de auditoria estão intimamente familiarizados. Quando os funcionários sabem exatamente quais riscos e contas os auditores visam, a eficácia dos testes de auditoria diminui.

O elemento surpresa é bastante eficaz na prevenção e descoberta de fraudes, mas os auditores não costumam empregar essa técnica. A surpresa ajuda a prevenir fraudes porque os funcionários nunca têm certeza se certas contas ou transações podem ser selecionadas para teste. É menos provável que se envolvam em fraudes porque não sabem se os auditores estarão olhando.

Mas se o cliente sabe onde os auditores estão focalizando sua atenção, é fácil fabricar documentos, fazer lançamentos estratégicos no diário ou adulterar os registros contábeis. Pense em como é simples para uma empresa mover estoque de um local para outro, se souber com antecedência que local os auditores irão visitar. Dentro de cada local, considere como é fácil organizar o estoque para fazê-lo parecer que há mais itens disponíveis do que realmente existe, especialmente se a administração souber quais tipos de itens os auditores provavelmente contarão ou examinarão.

Os auditores tendem a ser complacentes em seus testes. É muito fácil testar os mesmos itens da mesma maneira de ano para ano. E como os novos auditores são ensinados a fazer auditoria? Normalmente, eles são orientados a examinar os papéis de trabalho do ano anterior e fazer os mesmos procedimentos na auditoria do ano corrente. Qual a melhor maneira de garantir que o cliente nunca se surpreenda com os procedimentos de auditoria?

A amostragem não é suficiente

O coração de uma auditoria é testar as transações. Os auditores selecionam uma amostra e testam essas transações para garantir que foram devidamente registradas no sistema de contabilidade. A limitação inerente à amostragem é que todas as transações não são testadas. E, claro, não seria possível para os auditores examinar todas as transações que uma empresa realiza em um ano.

Sempre há uma boa chance de que uma transação importante não faça parte da amostra dos auditores e, portanto, não seja examinada. Muitas transações não são testadas pelos auditores, e isso significa que há uma boa chance de que um item fraudulento não faça parte do teste.

Trabalhando em torno do escopo e da materialidade

Para piorar as coisas, a administração sabe que os auditores geralmente escolhem transações em dólares maiores para testar. Ao testar quantias maiores, os auditores obtêm maior “cobertura” e podem testar uma porcentagem maior dos dólares. Isso cria uma grande oportunidade para alguém cometer uma fraude. Se ela precisar manipular os registros contábeis, vários lançamentos menores (em vez de um grande lançamento) provavelmente nunca serão examinados pelos auditores.

Os auditores estão constantemente observando os números em termos de escopo e materialidade. Valores menores, certos ou errados, não significam muito em termos do quadro financeiro mais amplo de uma empresa. O que os auditores muitas vezes esquecem, porém, é que a questão da materialidade não se limita apenas à magnitude dos dólares. Embora um pequeno número possa não significar muito para a empresa como um todo, os fatos que envolvem esse pequeno número podem torná-lo relevante.

Considere um roubo relativamente pequeno pelo CFO da empresa. Embora o total de dólares possa cair bem abaixo do que normalmente se considera “material” para a empresa, as circunstâncias do roubo o tornam material. O fato de o principal profissional de finanças da empresa estar roubando repentinamente torna a pequena quantia em dólares muito importante e, portanto, material.

Auditores inexperientes

O modelo de negócios atual para firmas de auditoria (e aquele que existe há décadas) depende de auditores relativamente inexperientes para fazer a maior parte do trabalho de campo. Embora isso possa fazer sentido do ponto de vista econômico em termos de controle dos custos das auditorias, é uma prática terrível do ponto de vista do controle de qualidade.

Os auditores jovens geralmente não sabem o que fazer e geralmente relutam em fazer perguntas difíceis ou desafiar as afirmações da administração. Eles são facilmente manipulados, influenciados e enganados por causa de sua inexperiência. Frequentemente, eles não compreendem verdadeiramente os negócios e as demonstrações financeiras, pois essas coisas levam tempo para serem aprendidas no mundo real.

A maioria dos auditores carece de um conhecimento profundo dos esquemas de fraude e como eles são executados. Se solicitados a explicar um esquema de fraude comum, como ida e volta ou bloqueio de canais, a maioria dos auditores inexperientes ficará sem fala. Simplificando, eles não são adeptos de reconhecer transações suspeitas e documentação fraudulenta.

Aqueles que têm conhecimento para identificar problemas e fazer perguntas difíceis passam muito pouco tempo no campo. Eles estão mais bem equipados para focar em fraudes, mas fornecem pouca supervisão prática dos auditores inexperientes.

Ambiente de negócios dinâmicos 

Já se foi o tempo em que os negócios de uma empresa mudavam pouco de ano para ano. Fusões e aquisições, desenvolvimento de novos produtos e serviços e planejamento estratégico constante significam que os negócios estão mudando mais rápido do que nunca. Comparar os resultados financeiros de uma empresa de ano para ano torna-se quase impossível por causa de todas as mudanças.

No entanto, a auditoria não mudou muito ao longo dos anos. As empresas são mais difíceis de auditar e os riscos de fraude estão mudando, mas o processo de auditoria demorou para ser atualizado. A abordagem certa de auditoria, 20 anos atrás, ainda não é a abordagem certa hoje, mas muitas facetas das auditorias são basicamente as mesmas.

Os perpetradores de fraude sabem que os auditores não conseguem acompanhar todas as mudanças em seus negócios e podem facilmente explorar isso. Os auditores estão à mercê da gerência e só descobrem as coisas se fizerem as perguntas certas que obtenham respostas verdadeiras. É fácil ver como os auditores podem ser enganados por causa de sua falta de conhecimento.

Acompanhamento inadequado

O que acontece quando os auditores encontram uma “exceção” em seus testes de auditoria? Quando a exceção é considerada séria o suficiente para ação? O trabalho de auditoria após a descoberta de uma exceção pode às vezes ser inadequado. É difícil dizer quantos testes adicionais devem ser feitos depois que um problema é encontrado nos registros contábeis.

Um dos casos mais básicos de acompanhamento inadequado ocorre quando o cliente de auditoria é incapaz de produzir documentação para apoiar uma transação. Quem pode dizer que a documentação ausente é simplesmente um erro, em vez de algo mais sinistro? Os auditores geralmente são rápidos em selecionar transações alternativas para teste quando a documentação não pode ser localizada, mas isso cria uma oportunidade para o perpetrador de fraude.

Os gerentes e os executivos envolvidos em fraudes costumam usar a engenharia social para manipular os auditores. Eles podem parecer cooperativos e até mesmo concordar com os ajustes que os auditores possam sugerir, especialmente se essa cooperação desviar o foco de outras áreas das demonstrações financeiras que contenham evidências de fraude.

Agulha no Palheiro

Quando se trata de fraude, a administração tem uma vantagem significativa sobre os auditores. A gerência sabe exatamente onde a fraude está escondida, enquanto os auditores ficam procurando por uma “agulha no palheiro”. Os auditores não têm ideia se ocorreu fraude, que tipo de fraude pode ter sido perpetrada ou onde está oculta nas demonstrações financeiras.

As probabilidades são pesadas em favor da pessoa que cometeu a fraude. Já é ruim o suficiente que os auditores não saibam o que devem procurar, mas as coisas ficam ainda piores se o perpetrador levar em consideração as limitações de auditoria acima.

Por exemplo, é bastante fácil esconder fraude em uma conta com um grande volume de pequenas transações. O que acontece se o auditor tiver a sorte de descobrir uma dessas transações fraudulentas? Quem pode dizer que pode ser um erro honesto? O auditor pode convencer-se a não fazer mais perguntas.

Uso de estimativas

As partes críticas das demonstrações financeiras de uma empresa geralmente baseiam-se no julgamento da administração, que deve usar seu conhecimento do negócio para fazer estimativas. Infelizmente, o julgamento e as estimativas da administração são difíceis de auditar. Por exemplo, a empresa pode precisar fazer estimativas relacionadas aos custos de prestação de serviços a clientes que compraram itens com garantia. Será difícil para o auditor avaliar essas estimativas, pois geralmente eles não têm um conhecimento profundo do negócio e das questões de garantia.

Os auditores estão à mercê da gestão, detentores de todas as informações. A administração pode estar ciente das mudanças de negócios que invalidam os métodos históricos de estimativa de certos itens, mas a menos que informe aos auditores sobre essas mudanças, os auditores provavelmente não estarão cientes delas.

Tornando as auditorias mais eficazes

Os usuários de demonstrações financeiras precisam entender as limitações inerentes ao processo de auditoria. As auditorias nunca foram projetadas para detectar fraude e, a menos que haja uma grande mudança no negócio de auditoria, elas nunca irão detectar fraude em uma taxa significativa.

Ajudar os auditores a compreenderem melhor o negócio que estão auditando é a chave para realizar auditorias mais eficazes. Auditores mais jovens precisam de melhor treinamento e supervisão, e o trabalho em sala de aula não pode substituir a experiência real no campo.

As auditorias devem usar técnicas básicas como o elemento surpresa. Os auditores devem variar seus procedimentos e escopos de ano para ano, e procedimentos surpresa devem ser conduzidos ao longo do ano, bem como durante a auditoria. É necessário gastar mais tempo avaliando como a fraude pode ser cometida na empresa.

Aqueles que sabem mais sobre negócios e demonstrações financeiras precisam se envolver mais no campo para ajudar os auditores a aprender mais. Auditores inexperientes precisam do suporte de auditores mais experientes para que possam fazer perguntas difíceis com segurança e questionar métodos ou transações suspeitas.

As auditorias podem ser mais eficazes quando se trata de encontrar fraudes, mas haverá um custo para isso. O modelo financeiro atual para firmas de auditoria não será capaz de apoiar as sugestões acima. Haverá necessidade de mudanças generalizadas no negócio de auditoria, se algum dia esperamos que as auditorias encontrem mais fraudes.

Fonte: aqui. Imagem: aqui

Eu acrescentaria mais dois pontos: (a) muitas vezes a empresa de auditoria está muito mais interessada em vender outro negócio vantajoso (consultoria); (b) a justificativa de que a auditoria não foi feita para detectar fraude faz com que o auditor deixe de considerar este aspecto como crucial no seu trabalho. 

Rir é o melhor remédio

 

Ativo e despesa. Salário do empregado e bônus do executivo

18 janeiro 2021

Qualidade da Contabilidade


O que faz a contabilidade ser de boa qualidade? Um possível resposta a seguir:

Em 1939 a Revista Cruzeiro publicou um conto de Bernard Gervaise denominado "O bilhete 77.372". A história é a seguinte: em uma repartição, os funcionários se unem para comprar um bilhete de loteria. O responsável por arrecadar o dinheiro é Martin, o caixa-contador. Com o tempo, as pessoas deixam de comprar sua parcela e Martin termina por assumir a parte da cota do desistente. Até que todos deixam de apostar e o Martin tem que pagar o bilhete. 

Um dia, Martin chega ao escritório e anuncia que o bilhete 77.372 tinha vencido o prêmio de 1 milhão de francos. A notícia espalha e vários tentam ficar com uma parte da sorte de Martin. 

Nesta occasião, ai!, a conducta de Martin, o caixa-contador, foi motivo de grande assombro para todos aqueles que julgavam conhecer a fundo o caracter desse excellente companheiro. O que se viu foi elle rechassar com igual firmeza todas as solicitações, inclusive a da encantadora dactylographa.

Martin solicita uma entrevista com o patrão. Na entrevista, Martin supreende e afirma que irá reembolsar seu chefe. O chefe fica pasmo, pois Martin não lhe devia nenhum dinheiro. 

- Mas ... o senhor me deve alguma coisa?

- Sim, senhor; devo-lhe uma centena de milhar de francos, pouco mais ou menos

O patrão cravou um olhar inquieto no seu fiel collaborador.

- O senhor está louco, meu caro amigo - lhe disse - Esta sorte inesperada transtornou-lhe a cabeça... Cem mil francos! Donde os teria tirado?

- Da caixa, meu caro senhor, da caixa - respondeu Martin serenamente

O senho Mercerelle esteve a ponto de estourar.

- O senhor tirou cem mil francos da caixa do meu estabelecimento? O senhor?

- Oh! Não de uma só vez, é claro. Aos poucos fui retirando o dinheiro. Em dez annos consegui arrancar essa quantia. Foi uma media de dez mil francos por anno.

- E eu que nada percebera de anormal! - gemeu o patrão.

- Isso demonstra, senhor, que minha contabilidade foi executada com perceição. A característica de uma contabilidade bem feita é que ninguem pode entende-la, salvo o seu executor, e ainda assim ! ...

Cliente tem sempre razão?


Um texto da Food and Wine discute os direitos dos clientes em restaurantes e seus efeitos sobre o trabalho no setor de hospitalidade. O texto, de Khushbu Shah, apresenta uma série de exemplos onde os direitos dos clientes fizeram com que o trabalho ficasse insuportável.  

A pandemia COVID-19 devastou a indústria , dizimou salários e deixou restaurantes em uma espiral de fechamentos, reaberturas e diretrizes em constante mudança, ao mesmo tempo que expôs os trabalhadores a riscos à saúde. E não há um fim real, ou assistência governamental, à vista. Para piorar as coisas, os direitos do cliente estão em um nível mais alto, de acordo com os vários servidores, maitres, gerentes e proprietários com quem conversei em todo o país.

Os direitos do cliente, ou o que os clientes acreditam que são devidos, há muito tempo são um problema no setor de hospitalidade. Funcionários de restaurantes trocam histórias como veteranos de guerra sobre exigências ridículas, clientes difíceis e gorjetas ruins. Mas a pandemia e o péssimo comportamento do cliente que veio com ela - impaciência em relação aos tempos de espera, xingamentos, frustração com a limitação de lugares e opções de menu e desrespeito aos protocolos de segurança - só serviu para destacar o quão difundido e, francamente, perigoso o problema realmente é.  

“Espera-se que forneçamos a eles um serviço completo, mesmo que seja abusivo. Faz-nos sentir que não podemos ter a expectativa de ser tratados como pessoas ”.

Essa questão de direitos está enraizada no ditado popular “O cliente tem sempre razão”, que está no centro da hospitalidade americana. (...)

Rir é o melhor remédio

 


Vacina contra Covid aprovada

17 janeiro 2021

Pandemia e Traição


Texto original francês, publicado aqui 

"Mas numa situação tão stressante como a da pandemia de covid-19, a profusão das tentações assume uma forma de ‘felicidade virtual’ que permite por vezes suportar a realidade. Saltitar por entre pessoas na Internet é algo que apaga temporariamente os nossos afetos negativos". 

Assim, os sites de encontros tornaram-se o disfarce para as pequenas seduções do dia-a-dia. "Não esperávamos isto, mas registámos um aumento recorde das conexões e das inscrições no primeiro confinamento", diz Solène Paillet, diretora de comunicação da Gleeden Europe. Entre 17 de março e 11 de maio, o site especializado em adultério viu o seu tráfego disparar 260% e o seu número de inscritos subir mais de 170% em França. 

Imagem aqui

Frases


"Acontecimentos especiais são marcados pelo relógio da vida" 

(Zarico, 2021)


Instead, it’s a kind of spiritual accountancy: reflecting on the credits and the debits as you roll through life, and perhaps altering your actions based on what you notice. 

Gregg Krech suggested this practice within a relationship. What did I receive from my partner yesterday? What did I give to him or her? He also pointed out much wider applications: what do I receive, and what do I give, when – say – I order take-out?


(Imagem aqui)

Rir é o melhor remédio

 

Melhor logo e não pode usar

16 janeiro 2021

Big Tech e o mercado

 

Este gráfico é muito informativo. Na linha de baixo, o comportamento do mercado (linha branca). A linha da parte de cima do gráfico é o comportamento da FAANGM, ou seja, as empresas de tecnologia: Facebook, Apple, Amazon, Netflix, Google e Microsoft. A linha escura embaixo é a SP500 sem estas empresas.

Assim, antes de falar do mercado, é bom perguntar: qual mercado? 

Cafe ou Cerveja


Os criativos têm duas formas de trabalhar: modo aberto (beer) e modo fechado (coffee). 

O modo aberto é um estado de jogo sem foco onde você descobre novas ideias. Em contraste, o modo fechado é um estado de foco onde você trabalha para um resultado específico. 

O problema com o conselho de produtividade tradicional é que ele não leva o modo aberto a sério. Metodologias comuns como desligar a Internet, evitar distrações e voltar-se para seus objetivos são exemplos de modo de pensar fechado. O mundo da produtividade é orientado em torno do modo fechado porque é fácil de definir, medir e, portanto, escrever sobre ele. 

Enquanto isso, o modo aberto está cheio de surpresas impossíveis de prever. Na maioria dos dias, você sente que perdeu tempo porque não faz uma descoberta revolucionária. Mas de vez em quando, o modo aberto leva a um avanço intelectual que você nunca teria descoberto no modo fechado e, por sua vez, melhora a maneira como você aloca o tempo do modo fechado. 

(...) A gangorra do modo aberto e fechado é como respirar. Suas melhores ideias surgem quando você equilibra a inspiração do modo aberto com a expiração do modo fechado. O modo fechado recompensa a ação, enquanto o modo aberto recompensa a serenidade. O modo fechado recompensa o foco, enquanto o modo aberto recompensa a maravilha. E enquanto o modo fechado recompensa a clareza, o modo aberto recompensa a serendipidade. 

Nossas melhores ideias raramente ganham vida quando estamos ocupados. Eles ganham vida em uma contemplação calma e sem objetivo. No modo aberto, você encontra inspiração. E no modo fechado, você colhe essa inspiração. Se você apenas passar o tempo no modo fechado, você se fechará para ideias transformadoras porque os frutos do gênio são plantados com as sementes das perambulações do modo aberto.  

Fonte: aqui. Imagem: aqui

Rir é o melhor remédio

 

Como dizer sim

15 janeiro 2021

Auditor deveria olhar a ética do negócio do auditado?


Eis uma questão interessante. Um auditor é contratado para fazer seu trabalho em uma entidade que atua em um setor pouco recomendável. Além disto, algumas das atitudes do auditado não são "razoáveis". O auditor deveria fechar os olhos e somente limitar a verificar se a empresa está seguindo as normas contábeis?

A empresa de auditoria é a Grant Thornton. A empresa que possui uma ética questionável é a Pornhub, um dos sites mais acessados do mundo. Durante anos a GT fez a auditoria da empresa canadense. Mas recentemente, uma série de investigação mostrou que o site tem hospedado filmes com crianças, o que levou as empresas Visa e Mastercard a bloquearem o uso do cartão como forma de pagamento. 

Durante anos, a empresa não adotou nenhuma política contra crimes sexuais filmados, mas a reação contra o site fez com que a Pornhub retirasse muitos dos vídeos existentes ali. Mesmo assim, mulheres estão processando a empresa por conta de filmes realizados sem seu consentimento. 

Diante de tanta denúncia, a empresa de auditoria achou que não ficava bem ter seu nome associado a abuso sexual de criança, pornografias de vingança, postagens de vídeos ilegais etc. Assim, anunciou que não seria mais o auditor a MindGeek, o grupo que é proprietário do site. Atuava na empresa desde 2012 e somente agora descobriu os negócios estranhos do décimo site mais acesso do mundo. 

Ciência e Big Tech

Do New York Times um texto sobre os esforços que as grandes empresas de tecnologia estão fazendo para restringir os reguladores europeus. A Europa tem discutido normas contrárias aos interesses destas empresas e a reação foi um grande volume de dinheiro em lobistas. O jornal comenta de um documento com planos detalhados do Google (empresa dona do Blogger, que hospeda este site) contra as normas de publicidade digital. Um ponto de chamou a atenção:

“Aliados acadêmicos” levantariam questões sobre as novas regras. O Google tentaria reduzir o apoio da Comissão Europeia para complicar o processo de formulação de políticas. 

O que seria os aliados acadêmicos? São pesquisadores que conduziriam seus projetos com o patrocínio destas empresas:

Na Europa, as empresas estão gastando mais do que nunca, contratando ex-funcionários do governo, escritórios de advocacia e consultorias bem relacionados. Eles financiaram dezenas de think tanks e associações comerciais, investiram em posições acadêmicas nas principais universidades do continente e ajudaram a publicar pesquisas amigáveis ​​à indústria por outras empresas.

Estas empresas seriam Apple, Amazon, Google e Facebook. 

Em outubro, o Centro Europeu de Economia Política Internacional publicou um relatório que dizia que os novos regulamentos de tecnologia custariam à economia europeia dois milhões de empregos e € 85 bilhões em perda de produto interno bruto. O Centro Europeu de Economia Política Internacional é um dos pelo menos 36 grupos comerciais, associações e grupos de reflexão que o Google financia, de acordo com o Corporate Europe Observatory.
“As pessoas sempre reivindicarão sua independência política, acadêmica ou intelectual - elas rejeitariam que foram influenciadas”, disse Marietje Schaake, ex-membro do Parlamento Europeu que agora leciona na Universidade de Stanford. “Mas a questão então é: por que as empresas estão gastando tanto dinheiro em Bruxelas?”

Outro exemplo:

Paul Hofheinz, um ex-repórter do Wall Street Journal que co-fundou o Lisbon Council, um grupo de pesquisa em Bruxelas que tem enfrentado críticas de grupos de vigilância por aceitar dinheiro do Google, disse que ter parceiros corporativos garantiu que a pesquisa fosse mais completa.
“Nossas opiniões são independentes. Ponto final ”, disse Hofheinz por e-mail. “Não sei por que essas organizações em campanha pensam que somos idiotas que não conseguem raciocinar sozinhos. Há algo muito insultuoso nessa ideia. E muito errado.”

Rir é o melhor remédio

 

Quando a inspiração chega...

14 janeiro 2021

Diferença nas normas IFRS e Fasb

Aqui uma publicação de 380 páginas, da Deloitte, com as diferenças nos tratamentos contábeis segundo o US GAAP e os padrões internacionais de contabilidade. 

Quanto custa a vacina?

Uma das condições dos laboratórios é que o valor unitário de aquisição não seja revelado. Isto ocorre na Europa. Mas parece que um funcionário da Comunidade publicou, "sem querer", o preço das vacinas. Eis a listagem:

De acordo com a imagem publicada pela governante, a UE vai gastar entre 1,78 euros e 18 dólares por casa dose das vacinas. A lista das seis vacinas distribuí-se da seguinte forma: 

Oxford/AstraZeneca: €1.78 

Johnson & Johnson: $8.50 (cerca de €6,94) 

Sanofi/GSK: €7.56 

BioNTech/Pfizer: €12 

CureVac: €10 

Moderna: $18 (cerca de €14.70)

Aqui um texto de uma revista informando que o Brasil já gastou mais de 2 bilhões de reais ou uma média de R$10 por brasileiro. 

Velho Oeste e Informação

Parece que a informação não tem nenhuma relação com o "velho oeste". Exagero? Nem tanto. Veja a imagem abaixo:

Segundo David Gracy II, o crescimento da pecuária após a guerra civil nos Estados Unidos ocorreu graças a informação. 

A gestão da informação no comércio de gado “tornou-se tão central para a ascensão da indústria quanto a criação de gado mais carnudo”. Questões como quem era dono do quê, preços de mercado e a localização das opções de remessa mais baratas levaram a novas ocupações de informações, como inspetores de marcas e contadores. (...)

Os animais individuais foram marcados com ferros quentes moldados em padrões exclusivos para mostrar propriedade. Essas marcas eram, idealmente, prontamente legíveis e à prova de ladrões. (...)

Rir é o melhor remédio

 

Um ano depois na contabilidade

13 janeiro 2021

Cartões de Natal


Tim Harford escreveu dois textos sobre o Natal. O primeiro, sobre cartões de natal, onde conta um antigo experimento - de 1974 - onde foram enviados cartões de Natal para pessoas aleatórias e a reação destas pessoas: 

Junto com a descoberta de uma forte norma de reciprocidade do cartão de Natal [as pessoas responderam ao cartão, mesmo sem conhecer o remetente], o estudo descobriu que o status (e as diferenças de status) importavam: se o cartão era em papel caro, assinado "Dr. Kunz", ou recebido por pessoas em empregos de colarinho azul, uma resposta era mais provável. Um quarto de século depois, um Kunz diferente - Jenifer, também sociólogo - repetiu o experimento e encontrou resultados surpreendentemente semelhantes: uma taxa de resposta de 20 por cento, com cartões de alto status particularmente propensos a receber uma resposta, especialmente de destinatários operários .

Outro texto é sobre a comercialização do Natal. Eis um trecho que gostei: 

Economistas (principalmente Joel Waldfogel, autor de Scroogenomics ) costumam fazer reclamações semelhantes. E, embora a maioria das pessoas aprove a preocupação de Beecher Stowe, quando nos deparamos com uma experiência real de varejo, com frequência compramos lixo. Estamos muito confiantes em nossa capacidade de escolher os presentes certos, prestamos muita atenção a embalagens sofisticadas e não olhamos para listas de desejos, embora as evidências sugiram que são uma ótima maneira de comprar um presente de boas-vindas sem parecer grosseiro . Dizemos a nós mesmos que é o pensamento que conta e, então, geralmente compramos sem pensar. Ah, sim, ao contrário do que muitos pensam, a comercialização não foi uma invenção da Coca-Cola.

Erro de previsão?

 Carls Sunstein é o conhecido co-autor de Nudge. Há quase um ano ele escreveu um artigo para Bloomberg (conforme lembra Jason Collins no seu blog):


Sunstein desprezou o risco do Covid. Seria um erro de previsão ou o assunto é mais sério? Collins lembra que com o tempo Sunstein foi "mudando" sua opinião, sem reconhecer o erro da análise feita em fevereiro. 

O artigo de Collins traz algumas considerações importantes e interessantes sobre a chamada economia comportamental. Se tiver condições, irei retornar à ele. 


Rir é o melhor remédio

 

Agenda e resultado esperado de uma reunião

12 janeiro 2021

Custos dos Jogos Olímpicos

Uma pesquisa mostra que 80% dos japoneses gostariam que os Jogos Olímpicos fossem postergados ou cancelados. Mesmo sendo realizado em 2021, como planejado, o custo aumentou, como afirma esta reportagem sobre os Jogos Olímpicos de Tóquio


Ainda que o montante possa vir a aumentar, o comité organizador dos Jogos Olímpicos de Tóquio (previsto para acontecer em 2020 mas adiado para 2021), fez um balanço final dos custos associados a realizar o maior evento desportivo do mundo, onde estima que a quantia poderá chegar aos 15,4 mil milhões de dólares (12,6 mil milhões de euros), avança o portal “Palco 23”.

A última versão do orçamento divulgado pelos organizadores, revela um aumento de 21% (ou 2,8 mil milhões de dólares a mais) em relação ao cálculo anterior. Os Jogos Olímpicos de Tóquio vão acontecer entre 23 de julho a 8 de agosto de 2021.

O aumento, segundo o comité organizador, está diretamente relacionado aos custos decorrentes do adiamento e às medidas sanitárias que tiveram de ser introduzidas face à pandemia de Covid-19. A prorrogação do aluguer das instalações ou os gastos extra em mão-de-obra ultrapassam os 1,9 mil milhões de dólares (1,5 mil milhões de euros), e as medidas de prevenção de infeções, 930 milhões de dólares (763 milhões de euros).

O aumento dos custos será assumido pelo Governo de Tóquio, que contribuirá com cerca de mil milhões de dólares (820 milhões de euros), enquanto que o executivo japonês injetará mais 700 milhões de dólares (574 milhões de euros). O restante capital virá de um fundo privado financiado pelo comitê organizador, que planeia ainda aumentar o número de patrocínios. “Estamos a pedir aos patrocinadores que estendam as suas contribuições, mas ainda não chegamos a uma conclusão”, disse Toshiro Muto, CEO da comissão organizadora.

Na última versão do orçamento, a contribuição do Comité Olímpico Internacional (COI) permanece em 800 milhões de dólares (656 milhões de euros). O COI já aumentou a sua injeção para financiar a transferência dos eventos de maratona e marcha de Tóquio para Sapporo.

Apesar do aumento, Muto, afirmou que “procurámos minimizar despesas adicionais e simplificar ao máximo o evento”.


Frase


Meio óbvio, mas não custa lembrar:

“A previsão é difícil em tempos normais. Considerando onde estamos, isso torna tudo muito mais difícil.”

Rir é o melhor remédio

 

Solucionando meu problema: 

11 janeiro 2021

FSB apoia a divulgação de informação sobre o clima

O Financial Stability Board (FSB, não confundir com o Federal Security Service, a agência de inteligência russa) divulgou, no final de dezembro, uma nota em que incentiva a Fundação IFRS e outras entidades a usar as recomendações do TCFD. 

Em 2015, o FSB criou uma força-tarefa sobre informação relacionada com o clima, com esta sigla. Esta força-tarefa deveria desenvolver recomendações de divulgações voluntárias que fossem relevantes para a decisão dos investidores, credores e seguradoras sobre a questão do clima. As recomendações foram publicadas em 2017 e desde então quase 1700 organizações apoiaram as recomendações. 

O FSB, portanto, acolhe com satisfação a abordagem recomendada pelos curadores da Fundação IFRS de focar inicialmente nos padrões para divulgações financeiras relacionadas ao clima, conforme estabelecido no documento de consulta IFRS de setembro de 2020 sobre relatórios de sustentabilidade. O foco inicial em informações relacionadas ao clima seria apropriado dado o crescente interesse dos investidores no tema para gestão de risco financeiro e a importância da consistência global nas ações que já estão começando a ser tomadas por autoridades nacionais e regionais para desenvolver requisitos e orientações nesta área.

(...) O FSB incentiva fortemente a Fundação IFRS a desenvolver o trabalho do TCFD, usando as recomendações do TCFD como base para normas para divulgações financeiras relacionadas ao clima. As recomendações do TCFD estabelecem uma estrutura abrangente que foi desenvolvida por, e responde diretamente às necessidades dos, usuários e preparadores de registros financeiros em uma variedade de setores financeiros e não financeiros em todo o mundo. As recomendações do TCFD atraíram amplo apoio de usuários e preparadores.

Veja mais aqui

SEC multa por falha na divulgação dos efeitos da pandemia


A entidade que fiscaliza o mercado de capitais dos Estados Unidos multou a Cheesecake Factory em 125 mil dólares. Dois aspectos importantes sobre esta notícia.

Em primeiro lugar, trata-se de um dos primeiros casos onde o regulador multa uma empresa por cometer falhas na divulgação dos impactos causados pelo Covid nas operações. A multa somente não foi maior, pois a empresa cooperou com a investigação. Mas foi a primeira vez que a SEC pune uma empresa com ações negociadas na bolsa em razão da pandemia. Pela notícia, a Cheesecake Factory tinha afirmado que estava operando de maneira sustentável, embora estivesse com dificuldades e perdendo 6 milhões de dólares por semana, com um saldo de somente 16 semanas. 

O segundo motivo? A Cheesecake Factory era a cadeia de restaurante onde a Penny, do The Big Bang Theory, trabalhava, no início da série (foto). 

Rir é o melhor remédio

 

Usando o cérebro para melhorar?

10 janeiro 2021

APB 4 e Normas Internacionais de Contabilidade


Na década de 60 estava claro que a associação profissional de contadores dos Estados Unidos não tinha condições de manter um nível de emissão de normas compatível com a necessidade do mercado de capitais daquele país. No ano de 1970, o APB (Accounting Principles Board) fez um esforço e divulgou um documento que correspondia a uma espécie de estrutura conceitual, batizado de APB 4. 

Com um pouco mais de 100 páginas, nove capítulos e 219 parágrafos, o APB 4 não teve uma grande influência sobre os desenvolvimentos futuros da contabilidade. Mas veja o que é possível ler no parágrafo 218 do documento (o penúltimo)

218. Considerable interest has been shown in international accounting standards or "international generally accepted accounting principles." Prerequisite to the development of accounting standards on an international scale is not only knowledge of accounting practices and principles in various countries but also some attempts on the part of the accounting profession of each country to formalize and codify the accounting practices used in the country.

Uma visão que antecedeu a criação do Iasc, que sempre contou com a participação ativa dos estadunidenses. 

Tentativa de bloquear do Sci-Hub

 


Do Ciência Aberta:

Em poucas palavras, Elsevier, Wiley e a American Chemical Society (ACS) decidiram que o meio da pandemia de Covid-19 é o momento acertado para entrar com uma ação para bloquear o Sci-Hub num país pobre e vulnerável. E, ao que tudo indica, também pressionaram e conseguiram que o Twitter bloqueie a conta do site – Twitter que, por sinal, cedeu sem titubear. 

O agravante da pandemia vem em vários sentidos pois: cientistas precisam de acesso à literatura mais do que nunca para lidar com o problema; médicos nem se fala, e a maioria das instituições de saúde não tem como pagar acesso; muitos pesquisadores estão em home-office, de forma que mesmo quem teria acesso pela universidade está com esse acesso dificultado, se não impossibilitado; grandes números de grupos cidadãos mobilizados para contribuir aos esforços científicos dependem do Sci-Hub; para não falar de cidadãos buscando se manterem informados e melhor combater falsidades. 

E não venham falar que alguns periódicos tem liberado acesso à literatura sobre Covid, isso é uma grande cortina de fumaça, o acesso liberado não dá conta de nem 1% da literatura relevante, como aponta bem Peter Murray Rust neste texto.  

Incongruência e vergonha para a comunidade científica.

Veja aqui, aqui e aqui

Rir é o melhor remédio

 

Controle interno de algumas empresas

09 janeiro 2021

Normas de Contabilidade com a saída do Reino Unido da Comunidade Europeia


Há alguns anos os eleitores do Reino Unido votaram pela saída da Comunidade Europeia. Este conjunto de países adota as normas internacionais de contabilidade e participa ativamente da sua elaboração. E como ficam as normas internacionais para o Reino Unido, a partir do dia primeiro de janeiro de 2021?

O Reino Unido criou um Conselho de Endosso do Reino Unido ou UKEB. A entidade já tem presidente, Pauline Wallace (foto), já nomeada desde setembro de 2020. Se consultar o currículo da Pauline é possível notar que ela já foi partner da PwC, embora as últimas funções seja na área de governo. 

Veja que o termo usado é endosso. O UKEB vai "influenciar, endossar e adotar" dos padrões de contabilidade emitidos pelo International Accounting Standards Board, Iasb, para serem usados nas empresas do Reino Unido. Apesar da entidade se chamar "endosso", no seu site tem a seguinte frase: 

O UKEB consultará publicamente as partes interessadas que têm interesse em relatórios financeiros no Reino Unido para que possam desenvolver e representar visões do Reino Unido baseadas em evidências com o objetivo de atuar como a voz do Reino Unido em relatórios financeiros IFRS 

Ou seja, é possível não adotar ou adotar parcialmente uma norma. O UKEB será composto de sete a 14 membros, selecionados por "concurso" e nomeado pelo Presidente, aprovado pelo Secretário de Estado. 

As atividades do UKEB serão comunicadas ao parlamento e as normas adotadas serão obrigatórias para as companhias abertas.