Translate

Mostrando postagens com marcador Barcelona. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Barcelona. Mostrar todas as postagens

05 agosto 2022

Futebol e contabilidade: Barcelona


Aqueles que gostam de futebol e estudam contabilidade sabem que esta época do ano também é o momento em que os clubes fazem as grandes transações com seus atletas. Os clubes europeus estão voltando de férias e o anúncio de reforços mantém as colunas esportivas. Um caso chama a atenção neste momento: o clube Barcelona. 

No ano passado, o clube tinha anunciado que não conseguia cumprir o Fair Play Financeiro, com uma dívida de 1,35 bilhão e uma folha de pagamento que representava 103% da receita. Isto terminou por provocar a saída do seu maior ídolo, Lionel Messi. 

Mas eis que um ano depois o clube começa a fazer contratações de forma surpreendente. Como conseguiu superar isto em menos de um ano? O Barcelona está usando uma forma alternativa de financiamento. Para obter 540 milhões, o clube vendeu  25% dos direitos de televisão. Os direitos, para os próximos 25 anos, foram vendidos para fundos, CVC e Sixth Street. 

En concreto, Sixth Street se ha llevado el 10% de los derechos de televisión del Barça por 207,5 millones de euros durante 25 años. Un préstamo que se ha calculado sobre la base de ingresos actual en este concepto que es de 166 millones. Es decir, 16,6 millones anuales de pago de intereses, que en 25 años serán 414 millones. El doble del dinero del préstamo. Un acuerdo nefasto.

Laporta  [presidente do clube] ha fiado todo al mundo especulador, y ha vendido lo mejor que tiene un club de esta categoría: sus derechos. Eso es algo que crece siempre y siempre va a dar rentabilidad. Todo para poder pagar salarios, deudas y fichar estrellas.

07 outubro 2021

Situação financeira do Barcelona (o clube de futebol)


O Barcelona apresentou nesta quarta-feira o resultado de uma auditoria feita pela diretoria em relação às dívidas do clube. O resultado, como era de se esperar, foi catastrófico. O clube está afundado em dívidas, com gastos injustificáveis e em uma situação financeira que fez com que Ferran Reverter, diretor geral do clube, dissesse, na apresentação, que se o clube fosse uma SAD (Sociedad Anónima Deportiva, modelo de clube-empresa espanhol), teria aberto falência. 

A auditoria revelou que o último ano fiscal do Barcelona teve um prejuízo de € 485 milhões, em um ano que teve receitas de € 581 milhões. Em março de 2021, o clube tinha um patrimônio líquido no vermelho: € 451 milhões negativos. O fundo de manobra, o dinheiro disponível para disponível para fazer cargo das operações de curto prazo, estava negativo em € 554 milhões. 

“Se fosse uma SAD, o Barcelona teria entrado em processo de falência. Em março de 2021, a situação era de quebra contável, mas como somos um clube e não uma SAD, por isso houve como refinanciar a dívidas”, apontou Reverter, que descartou que o Barcelona possa se tornar uma SAD. O clube é um dos poucos que funciona como clube social, tal qual acontece nos clubes brasileiros, junto com o Real Madrid, Athletic Bilbao e Osasuna. 

O principal responsável pelo aumento de gastos foi o alto número de contratações por valores grandes. O Barcelona fez três das cinco contratações mais altas da história do futebol: Philippe Coutinho, que veio do Liverpool por € 135 milhões (mais variáveis) em janeiro de 2018; Ousmane Dembélé, que veio do Borussia Dortmund por € 135 milhões (mais variáveis) em agosto de 2017; e Antoine Griezmann, que veio do Atlético de Madrid por € 120 milhões em 2019. 

(...) Fonte: aqui. Imagem aqui

12 abril 2020

Barça e Superfaturamento - Parte 2


A novela envolvendo o clube de futebol Barcelona teve mais um capítulo (vide post anterior aqui).

Diante das denúncias, a empresa de auditoria PwC foi contratada para analisar o contrato entre o clube catalão e a empresa I3 Ventures. Esta empresa foi contratada para gerir as mídias sociais do clube, mas em um determinado momento começou a atacar jogadores (Messi, inclusive) e adversários do presidente atual.

O jornal espanho Sport  (via aqui) teve acesso ao relatório inicial da empresa de auditoria. A PwC afirmou que o contrato entre o clube e a I3Ventures  teria um valor de apenas 150 mil euros. Este é o valor que o clube deveria pagar pelos serviços da I3. O valor do contrato foi de 980 mil euros.

Mas duas coisas chamam a atenção. A primeira é que os pagamentos foram realizados em cinco parcelas, cada uma de 198 mil euros. Este valor é interessante, pois existe uma norma de controle interno que pagamentos acima de 200 mil euros devem ser aprovados por uma comissão interna.


O segundo ponto: parece que as faturas entre a I3 Ventures e o Barcelona foram "destruídas". Estranho, não? Mas nunca é demais lembrar que o presidente anterior do Barcelona esteve envolvido em diversos negócios escusos, chegando a ficar quase dois anos preso.

11 abril 2020

Barça e superfaturamento

Uma grave crise está ocorrendo no clube de futebol Barcelona. Recentemente, o presidente do clube (fotografia) foi acusado de contratar uma empresa para divulgar notícias negativas de alguns jogadores. O presidente disse, depois, que a empresa contratada não está agindo a mando dele.

Agora, seis diretores renunciaram. E pediram que o presidente saía do cargo. O motivo é desvio de dinheiro. A empresa PwC foi contratada para fazer uma auditoria:

Os seis demissionários pediram por uma investigação sobre o caso, que foi chamado de Barçagate. Uma auditoria chegou a ser feita pela Price Waterhouse Cooper e os demissionários exigem que o trabalho seja concluído e divulgado. Esperam que a empresa conclua quem errou e que o dinheiro seja devolvido aos cofres do clube.

O ex-vice-presidente do clube sugeriu que o próprio contrato com a empresa de mídia estava superfaturado.

O antigo presidente do clube, Sandro Rosell, chegou a ficar preso quase dois anos. 

18 fevereiro 2020

Peso do Barcelona em Barcelona

Um estudo da empresa de auditoria PwC mensurou o impacto que o clube de futebol Barcelona tem para a cidade de Barcelona. Os dados são relativos ao período 2018/2019 e considera o impacto direto (gasto do clube, impostos e empregos), indireto (fornecedores, investimentos do clube e outros) e colateral (torcedores no dia do jogo, receita de mídia, apostas etc). O resultado: uma contribuição para economia da cidade de 1,3 bilhão, representando 1,46% do PIB da cidade, 19.500 empregos e receita de tributos de 400 milhões de dólares. (*)


(*) Estes números são do texto, mas estão estranhos. O PIB de Barcelona é de 171 bilhões, conforme aqui. O percentual de 1,46% seria mais de 2,5 bilhões. E aqui a notícia que o presidente do clube contratou um empresa de mídia para difamar jogadores (Messi incluso).

25 maio 2017

Futebol e fraude: prisão do ex-presidente do Barcelona

La juez de la Audiencia Nacional Carmen Lamela ha decretado este jueves prisión incondicional para el expresidente del Fútbol Club Barcelona Sandro Rosell y su socio Joan Besolí, quienes han declarado este jueves ante la magistrada, acusados de haber blanqueado unos 15 millones de euros procedentes de comisiones supuestamente ilegales, según han confirmado fuentes jurídicas. La juez, titular del Juzgado Central de Instrucción número 3, entiende que concurren riesgo de fuga debido a la gravedad de los delitos, destrucción de pruebas y reiteración delictiva. La Fiscalía de la Audiencia Nacional había pedido prisión sin fianza para ambos. (...)

A questão envolve o futebol brasileiro, conforme continua a notícia do El País:

La causa apunta también al expresidente de la Confederación Brasileña de Fútbol (CBF), Ricardo Teixeira, del que los investigadores sospechan que era un socio necesario de Rosell para que este pudiera cobrar las antedichas comisiones. Los investigadores no han actuado contra Teixeira, ya salpicado por varios escándalos, entre ellos el de corrupción en la FIFA, caso destapado por el FBI hace dos años.

(...) Hacienda impuso una multa millonaria al expresidente del Barça por no declarar los beneficios que obtuvo con la venta de los derechos de imagen televisivos de la Confederación Brasileña de Fútbol.

06 julho 2016

Fraude Fiscal: Messi

Lionel Messi e o pai do jogador, Jorge Horacio Messi, foram condenados na Espanha a 21 meses de prisão, além de pagamento de multa, por fraude fiscal. Os dois são acusados de terem sonegado 4,1 milhões de euros em impostos e a sentença foi confirmada nesta quarta-feira (06) pelas autoridades do país.

A condenação, no entanto, não deve implicar em prisão. Isto porque a lei espanhola prevê que condenados a menos de dois anos de prisão e sem antecedentes criminais cumpram suas sentenças em liberdade condicional. Além disso, a decisão desta quarta-feira ainda cabe recursos das partes envolvidas junto a Suprema Corte da Espanha. O jogador, porém, terá que desembolsar uma multa de 2 milhões de euros, enquanto seu pai será obrigado a pagar 1,5 milhão de euros.

Messi e seu pai foram considerados culpados de três acusações de fraude fiscal por terem utilizado empresas em paraísos fiscais para burlar a receita espanhola. A dívida do jogador com o fisco é referente aos anos de 2007, 2008 e 2009, envolvendo valores recebidos como direito de imagem pelo astro do Barcelona.
[...]

A sentença sai um mês depois do julgamento, que aconteceu em junho. Messi, inclusive, precisou deixar temporariamente a seleção argentina durante a Copa América Centenário, nos Estados Unidos, e viajar à Espanha para depor ao tribunal.

Na época, Messi negou qualquer responsabilidade no caso. "Eu me dedico ao futebol e confio no meu pai e nos meus advogados".

O Diário da Catalunya publicou as 58 páginas do caso e ressalta que o documento mostra que Messi "permaneceu sem saber do que estava acontecendo por muito tempo mesmo em uma situação que o beneficiava".

Também é explicado que foram criados contratos de fachada e empresas em paraísos fiscais. "O pai do atleta cuidou da gestão dos interesses econômicos de seu filho, também depois de o atleta atingir a maioridade penal", diz.

Segundo o jornal espanhol Sport, o Barcelona recebeu a notícia sobre a condenação de Messi durante a apresentação do novo reforço da equipe Denis Suárez e ficou indignado com a decisão da justiça. "O Barcelona vê como totalmente injusta a condenação". publicou o jornal.

Também na manhã desta quarta, o clube soltou um comunicado sobre o caso demonstrando total apoio ao pai do jogador e a Lionel Messi. "O clube expressa total apoio a Messi e seu pai na situação com a justiça e acredita que o jogador e sua família farão de tudo para regularizar a situação no Tribunal. O Barcelona fica à disposição da família para prestar auxilio na defesa dos dois no caso".

O Barcelona e alguns de seus principais jogadores têm enfrentado problemas com o fisco. O clube e seus dirigentes tiveram que buscar um acordo para pagamento de multa por conta de fraudes fiscais no pagamento de impostos referentes à contratação de Neymar. O próprio brasileiro e seu pai também enfrentam acusação semelhante e já precisaram depor na Justiça.

Em fevereiro, o zagueiro argentino Javier Mascherano se livrou da prisão por fraude fiscal ao fazer um acordo com a Justiça espanhola. Admitiu sua culpa e aceitou pagar 1,6 milhão de euros de impostos devidos, além de multa de 816 mil euros, para encerrar o processo judicial.

Fonte: Aqui