Translate

Mostrando postagens com marcador legibilidade. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador legibilidade. Mostrar todas as postagens

01 agosto 2022

Escrita científica piorou?


A linguagem científica deveria ter pouco adjetivo e advérbio. Mas parece que isto não aconteceu, entre 1969 a 2019. 

Writing in a clear and simple language is critical for scientific communications. Previous studies argued that the use of adjectives and adverbs cluttered writing and made scientific text less readable. The present study aims to investigate if the articles in life sciences have become more cluttered and less readable across the past 50 years in terms of the use of adjectives and adverbs. The data that were used in the study were a large dataset of 775,456 scientific texts published between 1969 and 2019 in 123 scientific journals. Results showed that an increasing number of adjectives and adverbs were used and the readability of scientific texts have decreased in the examined years. More importantly, the use of emotion adjectives and adverbs also demonstrated an upward trend while that of nonemotion adjectives and adverbs did not increase. To our knowledge, this is probably the first large scale diachronic study on the use of adjectives and adverbs in scientific writing. Possible explanations to these findings were discussed.

(via aqui)

Poderia argumentar que é a língua inglesa, mas hoje quase todas as ciências produzem nesta língua. 

Foto: aqui

13 dezembro 2021

Readability melhora após a IFRS

O resultado da pesquisa de doutorado de João Antonio S de Souza e seu orientador, José Alonso Borba, foi publicado na Revista de Contabilidade e Finanças. Eis o resumo:

O objetivo deste artigo foi avaliar o efeito do resultado das empresas e da harmonização com as IFRS na readability do Relatório da Administração no mercado acionário brasileiro. Existe uma lacuna a ser preenchida, seja na elaboração e adaptação de medidas de readability ao contexto estudado, porque os estudos tendem a replicar as fórmulas originais, seja na identificação dos determinantes da readability nos relatórios de empresas brasileiras, pois as pesquisas nessa seara ainda são incipientes e os resultados, inconclusivos. Os resultados fornecem indícios para os investidores identificarem informações textuais complexas e podem auxiliar os formuladores de políticas públicas a instituir um manual de escrita simples, nos moldes do promovido pelo Plain English Handbook da SEC de 1998. As métricas modificadas e a desenvolvida superam as críticas sobre a utilização de fórmulas de readability nas pesquisas contábeis e podem ser utilizadas em substituição das métricas originais em pesquisas futuras. Foi utilizado um modelo econométrico apresentando os determinantes da readability. A readability foi calculada para a seção Análise dos Resultados do Relatório da Administração. O constructo resultado é entendido por três atributos: a persistência, o desempenho atual e o benchmark de referência. A harmonização com as IFRS é uma variável dummy, que delimita o período pré e pós-IFRS. As hipóteses foram testadas em uma amostra de empresas brasileiras constituída por 714 empresas-ano para o período de 2006 a 2019. Os resultados descritivos mostram que há uma aparente melhoria na readability dos relatórios na comparação do período pré e pós-IFRS. As evidências econométricas mostram que, no geral, as empresas com resultados persistentes e positivos apresentam relatórios menos complexos e têm chances de ter relatórios com alta readability, porque os gestores divulgam relatórios com melhor readability, para sinalizar ao mercado o resultado positivo.


13 julho 2021

Legibilidade e Auditor


A questão da legibilidade das informações contábeis permite um grande número de pesquisas. Eis uma pesquisa recente, publicada no Journal of Accounting and Public Policy, onde a baixa legibilidade faz com que o auditor "perceba" um risco maior. Também aumenta o custo da auditoria, sugerindo que o número de horas trabalhadas também aumente. 

We show that increased audit effort is associated with lower annual report readability to compensate for a perceived increase in the risk of financial misstatement for United States (US) firms. In particular, we find that lower annual report readability is associated with longer audit delays and higher audit fees for Form 10-K for US auditors, suggesting that auditors spend more effort auditing clients when annual reports have lower readability. We also find that low readability increases the likelihood of auditors using more explanatory language in unqualified audit reports.

Foto: Kelly Sikkema

18 junho 2021

Complexidade, Legibilidade e os Padrões Contábeis


Os padrões contábeis, emanados dos reguladores, estão cada vez mais complexos (aqui, por exemplo). Partimos do suposto que quanto menor a complexidade e maior a legibilidade, melhor seria o produto final entregue pelos reguladores. Mas parece que estes reguladores não estão preocupados com isto, limitando a traduzir o produto realizado no exterior, quando é o caso do CPC. 

Um artigo da revista australiana Intheblack traz um ponto de vista interessante. O texto dá voz aqueles que acreditam que este é um debate mais controverso do que parece. O texto apresenta a opinião de diversos pesquisadores sobre o assunto. Um professor da Universidade de Adelaide, Bryan Howienson, acredita que a tecnologia pode ser útil neste caso, estabelecendo conexões entre os padrões para ajudar o usuário. Este professor acredita que não é possível remover um pouco da complexidade, já que a atividade econômica também é complexa. 

Parte dessa complexidade também remete ao debate fundamental entre uma abordagem baseada em princípios e uma abordagem baseada em regras. As regras criam muitas complicações e os princípios são complicados em sua aplicação. 

Acho que a questão fundamental é: qual a quantidade necessária de complexidade, considerando o que a transação pode exigir e que você está tentando contabilizar? 

Em outro trecho, o artigo chama a atenção para o usuário. O usuário não é um leigo. As pesquisas mostram que é alguém com um profundo conhecimento dos padrões contábeis e que desempenham um papel fundamental na interpretação. Ou seja, faz parte de um grupo pequeno, seleto e qualificado.

Para uma leitura mais simplificado do conteúdo de um padrão, o artigo lembra que as pessoas contam com materiais educacionais das empresas de auditoria. Segundo o texto, algumas pessoas começam com este material, em lugar de ir direto para as normas. 

Sem dúvida, uma boa polêmica 

17 fevereiro 2021

Linguagem e desempenho: duas pesquisas

 


Dois artigos interessantes. O primeiro estabelece uma relação entre legibilidade e custo do capital. Eis o abstract:

Using a large panel of U.S. public firms, we examine the relation between annual report readability and cost of equity capital. We hypothesize that complex textual reporting deters investors' ability to process and interpret annual reports, leading to higher information risk, and thus higher cost of equity financing. Consistent with our prediction, we find that greater textual complexity is associated with higher cost of equity capital. Our results are robust to a battery of sensitivity checks, including use of multiple estimation methods, alternative proxies of annual report readability and cost of equity capital measures, and potential endogeneity concerns. In addition, we hypothesize and test whether the nature of the relation between readability and cost of capital depends on the tone of 10-K filings. Our results show that the effect of annual report complexity on cost of equity is greater when disclosure tone is more negative or more ambiguous. We also find that the effect of annual report readability on cost of equity capital depends on the degree of stock market competition, level of institutional investors' ownership, and analyst coverage.

No mesmo periódico, um artigo que analisa a relação entre a linguagem positiva e o retorno do acionista. A conclusão é importante: que exagera na linguagem positiva não entrega resultado. Eis o abstract: 

We examine S&P 500 firms over 1999–2014 that characterize their annual performance with extreme positive language. Only 18% of such firms increase shareholder value, while over 80% have either negative or insignificant abnormal returns. Our evidence suggests that firms often base their claims of extreme positive performance on high raw returns or strong relative accounting performance. In comparison to firms that generate positive abnormal returns without boasting, our sample firms tend to have superior accounting performance. We conclude that boasting about performance is rarely associated with value creation and is more consistent with an emphasis on accounting metrics.

Imagem aqui

02 maio 2020

Um editor de texto diferente


Este é o sonho de quem deseja escrever obras didáticas ou para um público mais geral. Um editor de texto que possui um banco de palavras básicas. Se você escreve algo fora deste dicionário, o editor aponta que aquela palavra é difícil entendimento. São mil palavras, com as suas derivadas.


A página é muito básica, mas tem sido usada por cientistas que desejam descrever suas pesquisas. Há uma versão em inglês, norueguês e espanhol. Torcendo para uma versão na língua portuguesa.