Translate

24 novembro 2017

Percentagem de mulheres em cada profissão

O gráfico comostra em azul o percentual de homens em cada profissão nos Estados Unidos. As mulheres estão representadas pela cor vermelha. Mecânicos, eletricistas e motoristas de caminhão são profissões masculinas. Já o cargo de secretário, enfermeiro e recepcionista são ocupados por mulheres. Na parte debaixo, contadores, hoje uma profissão feminina nos Estados Unidos, assim como no Brasil.

Rir é o melhor remédio


Fonte: Aqui

23 novembro 2017

Domínio público

O dia 19 de novembro marcou o 89o. aniversário de Steamboat Willie, um curta-metragem em preto e branco estrelado por Mickey Mouse. Esta foi a animação sonora de maior sucesso da época e tornou o rato Mickey famoso em todo o mundo. Mas o site ProMarket, tomando os dizeres de Cory Doctorow lembra também que é sinônimo de extensão dos direitos autorais e o sucesso da empresa Walt Disney de manter o ratinho fora do domínio público.




A empresa Walt Disney, fundada em 1923, é uma multinacional de mídia, com produção de filmes, redes de televisão e parques temáticos. Touchstone, rede ABC, Disney Channel, ESPN, A+E, Pixar, Marvel e LucasFilm (Star Wars) são algumas das empresas e marcas associadas ao império Disney. No conjunto, receitas de 55 bilhões de dólares e quase 200 mil empregados.


Se Mickey entrasse em domínio público, outros personagens poderiam também ser explorados por qualquer empresa, como o Pateta (Goofy), Pluto, Donald, Branca de Neve, Dumbo e outros. O direito de exploração deveria terminar em 2024. Obviamente que a empresa está montando uma estratégia para impedir que isto ocorra ou ampliar o prazo.


Entretanto, conforme destaca o ProMarket, a proteção de direitos autorais estava programada originalmente para expirar os direitos autorais de Mickey Mouse em 1984. Mas o Congresso dos Estados Unidos mudou a lei com o Copyright Act de 1976 e extendeu o prazo para 2003. Já nos anos 90, a Disney começou o lobby para ampliar o prazo ainda mais. E gastou muito em dinheiro para obter o seu intento.


Através do Copyright Term Extension Act (CTEA) obteve uma extensão de vinte anos sobre os direitos autorais do ratinho Mickey. A lei ficou conhecida por alguns como Lei Disney, ou Mickey Mouse Protection Act. Muitos legisladores receberam dinheiro da empresa. A empresa fez um grande esforço para não divulgar como os seus lobistas trabalharam.


Diversos economistas famosos, incluindo Kenneth Arrow, Milton Friedman, George Akerlof, Ronald Coase e James Buchanan, argumentaram que a prorrogação não incentiva a produção de novas obras e a criatividade, incentivando o monopólio. A lei foi considerada constitucional e a Disney obteve o prazo de 2023 para esgotar os efeitos dos direitos autorais.


A dúvida é como a empresa irá conseguir manter a marca

Eleições dos CRCs (2)

Por Eliedna Barbosa

Corroborando com a análise dos resultados das eleições dos Conselhos Regionais de Contabilidade divulgada pelo Prof. Dr. César, cabe destacar, tomando por base a estimativa que do total de 530 mil profissionais, cerca de 310 mil votaram para escolher os presidentes da entidade de classe, restam 220 mil profissionais, se esses não justificarem tempestivamente a ausência no pleito, receberão uma multa no valor de 20% (vinte por cento) da anuidade do técnico em contabilidade do exercício da realização da eleição (R$ 482,00), ou seja R$ 96,40, gerando uma arrecadação “extra” de mais de 21 milhões de reais.

É preciso, ainda, nessas eleições dos conselhos regionais chamar a atenção para o fato de não existir a opção do voto nulo. De acordo com o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), o voto em branco é aquele em que o eleitor não manifesta preferência por nenhum dos candidatos, enquanto que o voto nulo é tido como um voto de protesto contra os candidatos ou contra a classe política em geral. Ainda, para completar, no “sistema” utilizado nesse processo, o desenho de tela de votação não colocava o “voto em branco” como opção de voto, pois o mesmo não se encontrava ao lado da(s) opção(ões) de chapa(s), mas estava na barra de ferramentas abaixo, ao lado da opção confirmar o voto, isso pode ter influenciado nos resultados.

Por fim, outro aspecto relevante, corresponde ao fato de mais da metade dos eleitores concentrarem-se nas regiões de São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais, que em tese, poderiam, também, eleger o próximo presidente do Conselho Federal de Contabilidade, se tornam inexpressivo nesse caso, devido ao fato que no CFC a eleição é indireta. Em 10/11/2017 seu resultado deixou isso bem claro, quando os eleitos que escolherão o presidente em janeiro/2018, são em sua maioria das regiões norte e nordeste. E, ainda, dos nove Estados do nordeste, apenas Pernambuco não teve representante, conforme figura.



Menor concorrência

Analisando a frequência de palavras nos relatórios das empresas - por 10 mil palavras - percebe-se a presença cada vez menor da concorrência (competição, competidores, pressão). Da revista The Economist

Eleições dos CRCs


As eleições dos Conselhos Regionais de Contabilidade encerraram ontem. O resultado apontam que 310 mil profissionais votaram para escolher os presidentes da entidade de classe. Este número é bastante expressivo, quando analisado sob a ótica do número absoluto. Metade deste total foram eleitores de São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais, reproduzindo a concentração da população brasileira. Se a eleição fosse para cada registro um voto, os eleitores destas três regiões poderiam, em tese, eleger também o próximo presidente do Conselho Federal de Contabilidade. Mas este é um outro ponto que não iremos discutir nesta postagem. Vamos ficar com dois aspectos que os números da eleição revelam.

Votos em Branco - O primeiro aspecto é o elevado número de votos em branco. Em termos absolutos, foram mais de 45 mil profissionais que optaram em não votar em nenhum chapa. Isto corresponde, aproximadamente, a 15% do número de pessoas que votaram. Como seria de esperar, naquelas unidades da federação onde existiam somente duas opções, chapa 1 ou voto em branco, o percentual é maior: 18%. Em três unidades, para cada 4 eleitor, 1 votou em branco: Distrito Federal (28%), Paraíba (27%) e Rio Grande do Norte (27%). Assim, parece existir uma relação entre concorrência nas eleições e um menor percentual de votos em brancos. Como se espera. Os eleitores do DF não receberam uma mensagem indicando quem estava concorrendo, qual a proposta e outras informações básicas. Os estados onde o percentual de votos em branco foi menor que 10% tiveram mais de uma chapa.

Participação - A participação dos eleitores aptos a votar parece que foi reduzida. Este número não foi divulgado, mas usamos uma informação divulgada pelo CFC para fazer uma estimativa: o número de profissionais registrados. De um total de 530 mil  profissionais, pessoas físicas, menos de 60% votaram. É bem verdade que este percentual talvez seja pessimista, já que nem todo profissional registrado estava apto a votar. Se retirarmos os votos em branco, dos 530 mil profissionais registrados, um pouco menos da metade votaram em alguma chapa. Aqui o leitor pode escolher o seu número: se considerar que o não votante fez a escolha baseado no desânimo com o processo, o percentual a trabalhar seria de 50% de participação. Caso o leitor considere que o não votante muitas vezes não exerceu seu direito ao voto por um problema no sistema ou por estar ausente ou ..., o percentual seria 60%.

Para finalizar, o último número - Usando os dados da Eliedna, cada voto custou R$2,58 (incluindo o voto em branco). Este número está subestimado, pois não considera o custo de oportunidade do profissional registrado e os custos não rateados dos conselhos. (Grato ao Alexandre Alcântara, por ter alertado sobre o link do resultado)

Rir é o melhor remédio


Fonte: Aqui

22 novembro 2017

É o custo...

O gráfico mostra o custo de material para fazer um iPhone, com valores em dólares. Se um iPhone SE tinha um custo de 160 dólares por unidade, no novo iPhoneX este custo mais que dobra: 370 dólares, principalmente em razão da sua tela. 

Rir é o melhor remédio

Fonte: Aqui

21 novembro 2017

História do Petróleo na Venezuela em um gráfico

O gráfico mostra a produção de petróleo da Venezuela por habitante. Na sua origem, o destaque para o período bolivariano, a partir de 1998, quando a produção caiu de 60 barris para quase 20. Entretanto, os problemas começaram antes. Em 1971, o presidente Rafael Caldera aprovou uma lei de nacionalização da indústria de petróleo. Coincide com o início da decadência. Logo a seguir, em 1973, criou-se a PDVSA.

A partir dos anos 80 a produção ficou entre 40 e 60 barris por habitante.

Legado do combate à corrupção

Até mesmo experiências aparentemente negativas podem trazer algo bom. Essa é a avaliação do especialista em gestão de risco e governança corporativa Norman Marks sobre os recentes escândalos envolvendo corrupção no Brasil. (...)

Marks vê as atuais investigações [brasileiras sobre o assunto] como um divisor de águas na cultura empresarial. “Será interessante discutir aí no Brasil como as organizações precisam repensar sua postura quando o assunto é corrupção e quais as lições que podemos tirar dos escândalos. No fim, acho que muitas companhias aprenderam uma lição positiva e importante com isso” (...)

No caso brasileiro, o especialistas acredita que, passados os efeitos negativos das investigações feita pela Polícia Federal, é natural que as empresas passem a valorizar cada vez mais seus departamentos de governança corporativa.


Fonte: Aqui

Links

Banco da Inglaterra está mudando o auditor

Deloitte dos EUA desenvolve tecnologia de auditoria para pequenas empresas

TV: sobre Woodford, que revelou as trapaças na Olympus

Mais prazo para negociação na Samarco

Universidades britânicas (incluindo Oxford e Cambridge) espionavam ilegalmente ex-alunos para verificar o potencial de doação