Translate

04 setembro 2015

Economia: Curso rápido #5 e #6

Macroeconomia:


Produtividade e Crescimento

Rir é o melhor remédio

Músculos

Microempreendedor Individual - MEI

Fonte: Aqui
Eu notei várias discussões sobre Microempreendedor Individual (MEI) no Facebook e achei válido postar o seguinte texto da Exame:

Para quem trabalha sozinho e possui rendimentos anuais de até 60 mil reais, a inscrição e formalização como Microempreendedor Individual (MEI) traz uma série de vantagens e alguns pontos de atenção.

Uma das principais vantagens corresponde ao fato de obter um CNPJ (Cadastro Nacional de Pessoas Jurídicas), Inscrição Estadual e Inscrição Municipal. Estas inscrições cadastrais parecem não ser tão relevantes, mas conferem a formalização da condição de empreendedor e possibilitam, por exemplo, a abertura de conta bancária e a obtenção de empréstimos, fundamentais para qualquer atividade empresarial.

Após a obtenção destes cadastros, o MEI poderá emitir notas fiscais de venda de produtos ou prestação de serviços. Este ponto é muito importante, considerando que o empresário individual e informal perde diversos negócios pelo simples fato de não emitir nota fiscal, quando requerida pelo seu cliente.

Em relação ainda às notas fiscais, é importante desmistificar este temor do microempreendedor. Emitir notas fiscais só traz vantagens ao MEI, uma vez que o valor dos tributos que devem ser pagos, neste caso, não está relacionado ao volume de notas fiscais emitidas.

Outra relevante vantagem corresponde à cobertura previdenciária para o empreendedor, tais como: aposentadoria por idade (65 anos para homens e 60 para mulheres), auxílio doença, salário maternidade e benefícios para a sua família como: pensão por morte e auxílio reclusão.

Agora alguns pontos de atenção sobre a cobertura previdenciária: 1. é preciso contribuir por um determinado tempo para ter acesso a estas coberturas. Para a aposentadoria, por exemplo, é necessário contribuir por 15 anos, pelo menos; 2. os benefícios possuem o teto de um salário mínimo; 3. a aposentadoria ocorre apenas por idade, ou seja, não há direito a aposentadoria por tempo de serviço.

Para ter acesso a estas vantagens, o MEI deverá pagar, mensalmente, alguns tributos em valores fixos:

• R$ 5,00 de ISS para o município;
• R$ 1,00 de ICMS para o Estado; e
• 5% do salário mínimo (R$ 39,40) para o INSS.

Agora, cuidado: o pagamento dos tributos deve ocorrer mensalmente, mesmo que a receita auferida no mês seja igual a zero, ou seja, serão pagos os tributos, mesmo no caso de inatividade no mês.

Observem que os valores dos tributos não possuem relação com o faturamento do seu negócio, entretanto são muito mais baixos, quando comparados com as demais alternativas tributárias que existem em nosso ordenamento jurídico.

Outra dica importante, e pouco comentada, é que o microempreendedor deve lembrar que as regras do MEI não se estendem aos alvarás e licenças para atividade, ou seja, o microempreendedor continua sujeito às regras e restrições impostas para a manutenção das diversas atividades. Assim, é de fundamental importância conhecer previamente as regras e obrigações, por meio de consulta junto às normas municipais.

O MEI pode ter apenas um empregado, com remuneração de um salário mínimo ou o piso da categoria.

[...]

A legislação vigente não prevê tratamentos diferenciados e graduais para o incremento de suas atividades e, consequentemente, não incentiva o seu crescimento.

Assim, o empreendedor que atinge sucesso em seus negócios e decide expandir o seu faturamento (para patamares superiores a R$ 60.000,00 anuais) e o número de funcionários, deve ficar atento à elevada carga tributária exigida ao romper os limites de enquadramento do MEI e buscar as melhores práticas de planejamento tributário.

O primeiro passo é a formalização do seu negócio. Então busque um contador, consulte o portal do empreendedor para obter mais informações e ótimos negócios!

Um rara entrevista com Jim Simon, o matemático bilionário filantropo

As a mathematician who cracked codes for the National Security Agency on the side, Jim Simons had already revolutionized geometry -- and incidentally laid the foundation for string theory -- when he began to get restless. Along with a few hand-picked colleagues he started the investment firm that went on to become Renaissance, a hedge fund working with hitherto untapped algorithms, and became a billionaire in the process.

Now retired as Renaissance’s CEO, Simons devotes his time to mathematics and philanthropy. The Simons Foundation has committed more than a billion dollars to math and science education and to autism research.


Whether Simons is building charities, plotting strategies or contemplating his own legacy, it always comes back to the math.” — Bloomberg, January 2008 



 Aqui uma reportagem muito interessante que conta a história de Jim Simons

03 setembro 2015

Rir é o melhor remédio






Netflix e Apple?

Saiu na Época Negócios:
Apple pode ser nova concorrente do Netflix

E eu digo: até que enfim! Porque bem que a Netflix está precisando de uma concorrenciazinha mais acirrada heim!

Leiam:

A Apple pode entrar na área de produção de conteúdo e competir com grandes empresas que já investem no setor. Netflix e Amazon estão entre as possíveis concorrentes para a gigante da tecnologia. [Mas não no Brasil né? Pelo que sei o serviço de streaming só funciona nos Estados Unidos]
Fontes que não foram identificadas confirmaram à revista norte-americana Variety a disposição e o trabalho da empresa para entrar na área da produção de programação em vídeo. Um executivo do alto escalão diz que o objetivo é a criação de divisões de produção e desenvolvimento de conteúdo, visando concorrer com o Netflix.

O que não está definido, no entanto, é se a atuação da Apple se daria por série de TV ou filmes. [...]

Embora alguns pontos ainda sejam incertos, a Apple tem mostrado indícios de que irá investir na criação de conteúdo inédito e nos serviços de streaming, não só em vídeo como em música, de acordo com a Variety. O recente lançamento do Apple Music é visto como uma resposta da empresa à concorrente do setor de música, Spotify.

100 pessoas mais influentes na contabilidade


Saiu a edição especial da Accounting Today com as 100 pessoas mais influentes que estão moldando e mudando a profissão contábil.

Dentre eles:
Barack Obama (President of the United States)
Barry Melanson (President & CEO, AICPA)
Brian Peccarelli (President, Tax & Accounting, Thomson Reuters)
Cathy Engelbert (CEO, Deloitte)
George Farrah (Executive Editor, Tax & Accounting, Bloomberg BNA)
J. Russell George (Treasury Inspector General for Tax Administration)
James Doty (Chair, PCAOB)
John Koskinen (Commissioner, IRS)
Lynne Doughtie (Chair & CEO, KPMG)
Nina Olson (National Taxpayer Advocate, IRS)
Orin Hatch (Chair, Senate Finance Committee)
Paul Ryan (Chair, House Ways & Means Committee)
Robert Moritz (Chair, PriceWaterhouseCoopers)
Russell Golden (Chair, FASB)
Stephen Howe (Managing Partner, EY)
Tim Christian (Incoming Chair, AICPA)

Além do blogger e professor Paul Caron, do blog TaxProf.