Translate

31 outubro 2016

Desemprego do setor contábil

Segundo dados primários do Ministério do Trabalho, compilados por este blog, o desemprego do setor contábil continuou refletindo a crise da economia e do setor. Em setembro, o número de demitidos foi 776 a mais do que o número de admitidos. Considerando o acumulado desde janeiro de 2014, este número chega a quase 26 mil profissionais, mais precisamente 25.719. O gráfico abaixo permite visualizar que as demissões são maiores que as admissões há meses, desde novembro de 2015.


Em razão do comportamento do ano passado, este blog acredita que o próximo mês será decisivo para saber se a crise já está finalizando ou não. O gráfico também permite notar que dezembro é um mês ruim para o emprego no setor contábil, já que as duas grandes baixas nas admissões ocorreram justamente neste mês em anos anteriores.


Como tem sido praxe desde que começamos a coletar estes dados, o salário médio dos admitidos tem sido bem inferior ao salário médio dos demitidos. Mas a distância aumentou em setembro de 2016, para 24,94% (versus 19,98% do mês anterior). Na realidade, a diferença dos salários foi a quarta maior desde janeiro de 2014. Os demitidos tinham em média 34,11 meses de emprego e 30,12 anos de idade, versus uma idade média dos admitidos de 32,19 anos. A exemplo dos meses anteriores, a contratação tem ocorrido mais fortemente nos profissionais com maior idade.

Analisando o saldo entre os admitidos e os demitidos é possível notar quue a maioria deles é do sexo feminino (-658 versus -188), com ensino médio completo e escriturários. Outro ponto relevante é que dos 8.072 demitidos, 77% foram sem justa causa. Este percentual é bem superior aos dos meses anteriores.

Professores - Conforme explicamos em postagem anterior, a questão do desemprego para professores de contabilidade é analisada utilizando os 12 meses acumulado. E como nos meses anteriores (e desde janeiro deste ano, o número de demitidos tem superado o número dos admitidos, conforme é demonstrado no gráfico.


O tempo médio de emprego dos demitidos está em quase 42 meses. A análise dos dados permite observar que a demissão tem atingido, cada vez mais, os professores mais antigos. Para que se tenha uma ideia, em setembro de 2014 a idade média dos professores demitidos era de 26 meses. Entretanto, o salário médio dos admitidos tem sido superior aos professores demitidos, exatamente contrário ao que ocorre no setor como um todo. Existem duas possíveis explicações para isto: as escolas (instituto, faculdades, universidades etc) estão contratando empregados que lecionam uma maior carga horária; e isto pode ser reflexo da maior qualificação dos docentes.

Nenhum comentário :

Postar um comentário