Translate

06 dezembro 2021

Rir é o melhor remédio

 

Demitido injustamente

Links


Esta banda toca muito mal o Jingle-Bell (e "nenhum professor foi demitido") - via aqui

Os pesquisadores descobriram que as datas de "expiração" - que raramente correspondem a alimentos que realmente expiram ou estragam - são principalmente bem-intencionadas, mas aleatórias e confusas. Gostei da frase: “Na ausência de informações culinárias, as pessoas assumem que qualquer informação que tenha sido fornecida deve ser a informação mais importante."

“Se eu não fosse otimista, não acho que teria fundado uma empresa de carros elétricos ou de foguetes”  Os maiores erros de Musk nos últimos cinco anos

Como garantir que a guerra climática não se torne uma guerra de classes - A repressão da União Européia aos combustíveis fósseis pode trazer problemas no futuro: Mesmo que um futuro de emissão zero prometa novas oportunidades em setores como carros elétricos ou construção com eficiência energética, ele destrói trabalhos intensivos em carbono ao longo do caminho. A avaliação de impacto da UE estima uma perda total de 494.000 empregos até 2030 em conjunto; isso pode não parecer muito, mas, como eles se concentrariam em setores como o carvão, são regiões inteiras que enfrentam o problema. O impacto da transição elétrica já atingiu visivelmente o setor automotivo, responsável por quase 3 milhões de empregos na Europa.

Congresso brasileiro deixa de fiscalizar Orçamento e não julga contas presidenciais há 20 anos  - Então para que serve o Congresso?



05 dezembro 2021

Disputa do título mundial de xadrez

Começou no final de novembro a disputa do título mundial de xadrez. De um lado, o atual campeão, o norueguês Magnus Carlsen. O desafiante, que disputou em venceu um torneio na metade do ano, é o russo Ian Nepomniachtchi. Ambos possuem 31 anos de idade e são excelentes jogadores. São grandes mestres, ou seja, estão na pequena elite dos melhores jogadores do mundo. Mesmo com a qualidade de ambos, o torneio, jogado em Dubai e com direito a um prêmio total de 2 milhões de euros, tinha um grande favorito.

Carlsen talvez seja o maior de todos os tempos. No xadrez existe uma medida que informa a qualidade atual de cada jogador, que é a pontuação no rating. Se um jogador ganha uma partida de um adversário mais forte, irá melhorar seu rating. Se perde de um adversário com rating pior, também irá perder pontos no rating. Com este sistema, podemos indicar a força de cada jogador de xadrez antes de uma partida. O rating atual de Carlsen é de 2855. Isto é quase 3 pontos abaixo do maior rating obtido por Kasparov, outro russo, que é uma referência no xadrez. A questão é que o rating atual de Carlsen não é a sua maior marca. O norueguês já chegou a 2889 de rating, uma marca absurdamente elevada e 30 pontos acima do melhor desempenho de Kasparov.


Além disto, Carlsen também é muito bom no xadrez com menor tempo para as jogadas. Na verdade ele é o melhor do mundo também quando é necessário pensar mais rápido. Isto é uma vantagem, quando o jogador estiver com problema de tempo na partida ou no critério de desempate da disputa do título, que será através de partidas rápidas.


Eu disse que Nepo, como Nepomniachtchi é chamado, também é um bom jogador. Seu rating atual é de 2.782, um número muito bom, mas um pouco mais de 70 pontos abaixo do rating de Carlsen. E o seu ponto máximo foi de 2.797, em abril deste ano. Diante desta diferença, era razoável supor que o norueguês confirmasse sua posição de campeão mundial. No entanto, antes do torneio começar, havia uma impressão de que Nepo está focado na sua preparação, enquanto Carlsen estava disputando torneios rápidos, participando de programas na televisão norueguesa e fazendo uma preparação ruim.


O começo das 14 partidas mostrou que Nepo realmente estava bem preparado. Nas cinco primeiras partidas, os jogos foram marcados por uma elevada precisão de ambos os jogadores. Uma análise histórica realizada pelo site 559, de Nate Silver, mostrava que este era a disputa de maior precisão da história. Como isto é mensurado? Para cada jogada ,de cada partida, de cada disputa do título era calculado a melhor jogada - em alguns casos “as melhores jogadas” - e comparado com a jogada realizada. Isto diz muito sobre o nível do xadrez que estamos vendo em Dubai.


Até chegar a sexta partida da disputa, que entrou para a história, por ser a partida mais longa da história das disputas de títulos em termos de movimento. Foram 136 movimentos de cada jogador, superando uma partida de Karpov e Korchnoi, nos anos setenta. Em termos de tempo foram 7 horas e 45 minutos, o que é muito. Imagine duas pessoas passarem quase oito horas, jogando um xadrez de elevado nível, praticamente sem cometer erros.


A partida começa a tomar um rumo decisivo no 79o. lance. Carlsen estava com as peças brancas e tinha duas torres, três peões e um cavalo. Nepo, de pretas, tinha a dama, um bispo e dois peões. A figura a seguir mostra a posição do tabuleiro. Veja que no lado direito tem um ponteiro que mostra a vantagem da posição. O ponteiro está próximo do nível zero, indicando que o jogo esta equilibrado.



Nos livros de xadrez há uma correspondência entre cada peça e seu valor. A maioria dos livros diz que peão teria um valor de 1 ponto, cavalo um valor de 3 pontos, bispo 3 pontos ou um pouco mais, torre corresponde a 5 pontos e a dama é igual a 10. Ou seja, neste momento, o lado branco teria 16 pontos (3 peões, 1 cavalo e duas torres) e as pretas teria 15 pontos (2 peões, um bispo e uma dama). Como o bispo é um pouco melhor que o cavalo e a dama tem uma grande mobilidade, a posição é equilibrada. Neste momento, havia uma probabilidade de 62% de empata na partida, segundo os cálculos do computador.


Uma das características de Carlsen é sua persistência. Ele busca pequenas vantagens e joga para provocar o erro do adversário. Em muitas situações, o norueguês conseguiu vitórias em situação de claro empate, explorando estas pequenas vantagens ou insistindo até o erro do adversário. Este seria o caso. A partida tinha iniciado as nove horas, horário de Brasília, e já estava no início da tarde. Neste ponto, os jogadores precisam fazer lances mais rápidos. Carlsen decide trocar peças e avançar seus peões, que estão no centro do tabuleiro. Neste momento, ele decide trocar uma das torres por um peão e um bispo. Ou seja, troca 5 pontos por 4 pontos. Não parece ser uma boa escolha.


No 110o. lance, ou seja, 30 lances depois da troca que Carlsen realizou, o campeão conseguiu avançar um dos peões. A figura a seguir mostra a posição do tabuleiro:



Veja que o ponteiro da vantagem, no canto esquerdo, manteve a mesma posição. Ou seja, a partida, no momento, estava empatada, com chance de 29% de Carlsen vencer. Nepo decide trocar seu peão, ficando somente com a dama contra torre, cavalo e dois peões. Em termos de contagem, 10 pontos para cada. Entretanto, a mobilidade enorme da dama pode ser compensada pelo fato de Carlsen ter dois peões no tabuleiro. Caso um deste peões chegue na última fileira, poderá ser convertido em uma dama.


Assim, o russo tentava evitar o avanço dos peões e usando o poder da dama, repetir por três uma posição, alcançando um empate. Ou quem sabe um erro do campeão. A estratégia de Carlsen é defender suas peças, enquanto tenta avançar seus peões. Eis a posição após o lance 132 das pretas:



Carlsen já conseguiu avançar um pouco seus peões. Nepo está agora ameaçando tomar a torre branca e Carlsen precisa defendê-la. Ele pode trazer o rei para perto da torre e tudo se resolve. Observe que a barra na lateral esquerda agora é quase toda branca. Há uma vantagem de 3 pontos (que corresponde a 3 peões) para o lado branco. E o computador já indica que as brancas possuem 100% de chance de vencer.


Mas em lugar de defender sua torre, Carlsen avança o peão. Depois de quase oito horas de jogo, ele consegui ver uma linda jogada. No xadrez quando temos uma jogada bonita geralmente usamos o ponto de exclamação. Seria este o caso. Qual razão? Ele deixou a torre para dama tomar. Ou seja, o avanço do peão significa a perda da torre. Mas se Nepo fizer isto, o cavalo move, dando cheque e após o movimento do rei, cavalo toma a rainha de Nepo. Esta jogada é conhecida como garfo, onde uma peça ataca duas ao mesmo tempo.


Depois disto, Nepo abandona no lance 136. Esta partida foi disputada na sexta. No sábado, uma rápida partida que terminou em empate. No domingo, nova vitória de Carlsen, agora aproveitando um erro de Nepo. A disputa está 5 a 3 e se antes estava difícil para Nepo, agora parece impossível.


Ah, um ponto muito relevante. No xadrez moderno, quando você quer reconhecer que perdeu a partida, você não derruba o rei. Isto é coisa de cinema (e do xadrez antigo). Para falar para seu adversário que você abandou a partida, basta parar o relógio. 



Para assistir o torneio, há diversos sites com transmissão e comentário. O Chess24 possui em diversas línguas. Em inglês tem a Judit Polgar, fantástica, e Giri comentando. Há também lá em língua portuguesa. Mas de preferência opte pela transmissão em espanhol.  

02 dezembro 2021

Revolução na Filantropia


A revista The Economist traça um perfil sobre Kenzie Scott, uma das fundadoras da Amazon, que após o divórcio, resolveu gastar sua fortuna com doações para o terceiro setor. O texto traz algumas informações relevantes. Eis algumas delas:

Além do ritmo das doações, Scott é extraordinária pela maneira como doa. A maioria dos “megadoadores” de hoje se vale de uma abordagem tecnocrática. Eles estabelecem uma fundação, definem beneficiários por meio de extenuantes processos seletivos, financiam projetos específicos e os monitoram atentamente. Já Scott está doando como as pessoas da classe média doam: distribuindo dinheiro entre várias organizações e permitindo que elas continuem seu trabalho.

(...) A abordagem envolve distribuir doações por organizações relativamente pequenas, que atuam em uma gama de campos, incluindo equidade racial e de gênero. Boa parte das doações de Scott foi para grupos locais nos EUA, como bancos de alimentos e YMCAs.

A Bloomberg News enviou questionários para os beneficiários de todas as 786 doações de Scott e obteve resposta de 270 organizações. A pesquisa constatou que metade delas, excluindo faculdades e universidades, mantém menos de 50 funcionários. Para quase 90% dos grupos, a doação de Scott foi a mais alta que já receberam. Em contraste, a Fundação Gates doou cerca de 30% de seu fundo ao longo de duas décadas para dez grandes instituições internacionais, incluindo a Organização Mundial da Saúde; a aliança vacinal Gavi; e o Fundo Global de Luta Contra Aids, Tuberculose e Malária.

A segunda decisão é como distribuir o dinheiro. Neste sentido, a decisão de Scott de realizar doações irrestritas é popular entre beneficiários. Líderes de ONGs reclamam há muito que doadores destinam dinheiro para projetos específicos, o que faz com que eles tenham dificuldades para financiar as atividades cotidianas. Um terço dos grupos que receberam doações de Scott está usando o dinheiro para contratar mais funcionários, e mais de um quinto planeja investir em tecnologia, segundo pesquisa da Bloomberg.

(...) A terceira decisão é como avaliar o que as ONGs fazem com o dinheiro. Scott falou pouco desse assunto, mas neste sentido também, afirmam os beneficiários, a abordagem dela é suave. A uma delas, o Centro Nacional para Filantropia Familiar, foi solicitado o envio de um relatório anual “simples e breve” nos próximos três anos, que informe as atividades da organização. Não há nenhum tipo de formulário ou modelo para esse relatório e nenhum esforço de aconselhamento para a organização é feito ao longo desse tempo. Scott cunhou um termo para essa abordagem: “semear concedendo”.

Tenha sido esta sua intenção ou não, Scott fez um desafio muito necessário ao modelo hierárquico de burocracia que prevaleceu na filantropia por décadas. Isso parece já estar influenciando outros ricaços. O ex-marido de Scott, por exemplo, é criticado por rejeitar a assinar o Giving Pledge e ser vagaroso em fazer doações. Mas, quando Bezos voltou para a Terra, após sua primeira viagem ao espaço, este ano, ele anunciou uma doação de US$ 200 milhões que foi uma surpresa para os beneficiários e foi concedida na forma de financiamentos irrestritos. “Sem burocracia”, afirmou ele.

Nada disso indica que Scott tenha encontrado alguma fórmula mágica para a filantropia responsável. Em busca de discrição, ela abdica de transparência. Scott manteve secretos seus conselheiros e, desta maneira, nenhum dos líderes de ONGs ávidos para entrar em seu radar conseguiu entrar em contato com ela, a não ser por comentários em seu blog.

Existem tantos estelionatários que fingem fazer doações em nome de Scott que o perfil dela no Twitter direciona vítimas para a página de reclamações do FBI. E pelo motivo de Scott doar como indivíduo, ela não é sujeita à mesmas auditorias que uma fundação. Rob Reich, da Universidade Stanford, aponta que essa opacidade é rara entre grandes doadores. “Isso insulta cidadãos democráticos por causa do tipo de poder que ela ostenta”, observa.

Caneta da Nasa e Lápis dos soviéticos


Você já deve ter escutado uma história de que a NASA, durante a corrida espacial, gastou milhões de dólares para desenvolver uma caneta que pudesse ser usada no espaço. O dinheiro fez com que a caneta fosse um exemplo de gasto público inútil. O motivo? Os soviéticos também tinham o mesmo problema durante a corrida espacial e tiveram uma solução brilhante: levaram lápis para o espaço. 

Esta é uma história boa para se contar na aula de custo ou de contabilidade pública. Pena que seja tudo uma invenção. O que realmente ocorreu: era realmente necessário usar caneta no espaço, pois o lápis não tinha a mesma qualidades. O lápis, por exemplo, flutuava. Uma empresa, a Fisher Pen, investiu US$1 milhão para projetar uma caneta espacial e ofereceu para Nasa. A agência relutou em comprar e somente depois de muitos testes resolveram adquirir 400 unidades. Um ano depois, os próprios soviéticos compraram 100 unidades. Por conta da quantidade, as agências receberam um desconto de 40%. E pagaram US$2,39 por unidade, em lugar do preço de US$3,98. Certamente um valor mais elevado, na época, do que uma caneta comum. Mas o gasto da Nasa foi de 956 dólares. 

Quem ficou com um elevado prejuízo foi a empresa, a Fisher Pen. 

Foto: Nasa

Quanto é o consumo de energia do Bitcoin?


Quantas vezes você leu algo como "bitcoin usa tanta eletricidade quanto a Malásia ou Suécia ou Dinamarca ou Chile...". Que chato. Você já se perguntou, no entanto, por que a comparação é com países? Porque é que nunca lhe dizem o que parece ser uma comparação mais natural, que é a quantidade de Bitcoin gasta em eletricidade?

O motivo é que a eletricidade é muito barata, fazendo com que as despesas de eletricidade do Bitcoin em dólares não parecer ser muito grande. A moeda Bitcoin usa algo como 100 terawatt horas de eletricidade anualmente (dependendo do preço da Bitcoin), mas uma TWH custa menos de 100 milhões de dólares (10 centavos por KHW vezes 1000000000). Assim, a Bitcoin gasta anualmente cerca de 10 bilhões de dólares em eletricidade. De fato, é menos que isto, uma vez que os mineiros podem estar localizados onde os preços da eletricidade são baixos.

10 bilhões de dólares em gastos não é muito. É menos que o mundo gasta em pasta de dentes (30 bi), muito menos que os EUA gastam em cigarros (80bi) e bem menos do que o governo federal os EUA gasta em um dia (18 bi). 

Se pensarmos nos 10 bilhões de dólares gastos pela Bitcoin como orçamento de segurança (uma vez que a despesa assegura a cadeia de bloqueio), também se compara razoavelmente à despesa dos bancos norte-americanos em segurança. Só o Banco da América gastou mais de um bilhão de dólares no seu orçamento de segurança cibernética e o orçamento total de segurança financeira é muito maior.

Nada disto prova que os gastos com a Bitcoin são bem gastos, mas coloca as coisas em contexto. É também verdade, claro, que a maioria das novas plataformas criptográficas como a Elrond (sou conselheiro) utiliza provas de aposta que demandam muito menos eletricidade do que provas de trabalho.

Ainda assim, da próxima vez que ler que a Bitcoin consome tanta eletricidade como a Suécia substitui por a Bitcoin gasta tanto em eletricidade como os americanos gastam em fantasias no Halloween.

Fonte: aqui

Em termos nacionais, o que o mundo gasta com a Bitcoin por ano é metade da receita trimestral da Petrobras. 


Links


 A ciência do estalar de dedos

e a ciência comportamental do abraço

Como a pandemia afetou o setor de turismo (gráfico acima)

Executivos indianos e as empresas que comandam - por valor de mercado:


 Meio de comunicação e mentira

Rir é o melhor remédio

 

Imposto e morte.