Translate

18 junho 2024

Rir é o melhor remédio

Uma empresa de contadores queriam envolver seus funcionários em um esforço de eficiência para que todos entendessem a necessidade de ter cuidado com o dinheiro da empresa.
 

Ela introduziu um mecanismo de sugestão e prometeram um prêmio de 100 euros para a melhor sugestão a cada mês - em termos de uma medida simples de implementar a poupança de dinheiro.
 

O prêmio de 100 euros só foi concedido uma vez.
 

Ele foi para um funcionário que sugeriu reduzir o prêmio mensal para 50 euros.

(Baseado aqui)

Simulando trabalho

A notícia:


 O Wells Fargo demitiu mais de uma dúzia de funcionários no mês passado após investigar alegações de que eles estavam falsificando trabalho.

Os funcionários, todos da unidade de gestão de patrimônio e investimentos da empresa, foram “dispensados após uma revisão de alegações envolvendo simulação de atividade de teclado criando impressão de trabalho ativo”, de acordo com divulgações apresentadas à Autoridade Reguladora do Setor Financeiro (Finra).

Em complemento:

os dispositivos para jigging o mouse do seu computador explodiram durante a pandemia, quando dezenas de funcionários anteriormente não remotos de repente se viram trabalhando em casa. Embora certamente não tenha sido o caso de todos os trabalhadores de laptops por aí, muitos desses trabalhadores se viram com muito mais tempo em suas mãos do que anteriormente. Assim, várias ferramentas surgiram como um meio para algumas dessas pessoas para se certificar de que parecia que eles estavam trabalhando em dias inteiros.

17 junho 2024

Indexação de informações complexas

Demonstramos que as restrições cognitivos produzem injustiça na sua forma mais paradigmática: veredictos incorretos em julgamentos judiciais. Respondendo a um pedido de ajuda, realizámos um estudo de campo nos tribunais do trabalho mexicanos, no qual a pressão do tempo sobre os juízes os leva a cometer erros, muitos dos quais são objeto de recurso. Tudo o que fizemos foi indexar páginas a arquivos de casos aleatórios para ajudar os juízes a encontrar rapidamente informações relevantes. Não fizemos nenhuma outra alteração. Nosso tratamento reduziu muito os recursos bem-sucedidos, totalmente 50% em casos complexos, e resultou em opiniões judiciais mais curtas e mais pontuais. Estas conclusões já informaram reformas recentes nos procedimentos judiciais do trabalho no México e têm uma aplicabilidade mais ampla.

O texto completo está aqui. Será que o mesmo poderia acontecer com a justiça empresarial? 

Um caso de falência e o preço do ativo

A notícia é bem interessante:

Em maio os advogados responsáveis pela falência da FTX apresentaram um plano de reorganização que reembolsaria quase todos os clientes da corretora e também pagaria 18% de juros pelo período em que seus investimentos ficaram presos. Se a maioria dos credores e o juiz da falência concordassem, os cheques seriam emitidos dentro de dois meses.

Pelos padrões típicos de falência, esse é um ótimo acordo. Raramente todos os credores recebem em dinheiro, e alguns podem esperar anos para recuperar apenas uma fração de suas reivindicações. Mas nem todos os credores estão comemorando. Alguns estão insatisfeitos porque não receberão suas criptomoedas de volta.

Em vez disso, os ex-clientes serão reembolsados em dólares com base no valor de suas participações na época do pedido de falência da FTX em novembro de 2022, quando as criptomoedas estavam desvalorizadas pela crise da indústria que levou a empresa à ruína.

Desde então, o valor do bitcoin quase quadruplicou, assim como o de muitos outros tokens, cujos preços bateram recordes. Essa oportunidade foi perdida pelos investidores cujas criptomoedas ficaram presas na corretora.

A falência é sempre um caso atípico e no caso em questão os ativos foram pagos pelo preço histórico mais uma percentagem adicional. Mas os ativos se valorizaram e o preço atual é maior que o histórico. E se tivesse ocorrido o contrário? Provavelmente não haveria o pagamento, nem a reclamação. 

14 junho 2024

Acionistas dizeram sim para Musk

Os acionistas da Tesla votaram para conceder ao CEO Elon Musk um pacote de ações no valor de cerca de US $ 56 bilhões, relata a BBC, e para transferir a sede da empresa para o Texas, onde os tribunais são menos propensos a interferir. O acordo estabelece um recorde mundial e representa um enorme ganho financeiro para um homem que já está entre os mais ricos do mundo.


O valor do pacote salarial muda com o preço das ações, mas é mais do que a empresa obteve no lucro líquido em toda a sua existência, cerca de três vezes o lucro bruto da empresa em 2023 e mais do que todo o valor de mercado da General Motors. Como um CEO pode conceder a si mesmo um bônus? É simples: ele controla o conselho e muitos acionistas são fãs da Elon que não são particularmente racionais sobre isso. Musk ameaçou ir embora. 

A mudança para o Texas é porque Delaware, onde a Tesla está atualmente sediada, já havia bloqueado o acordo. 

Fonte: aqui

Paradoxo de Jevons e a questão ambiental

Tim Harford lembra do Paradoxo de Jevons na discussão sobre a questão ambiental. Trata-se de uma proposição de William Stanley Jevons, de 1865. Jevons observou que, ao contrário da intuição, o aumento da eficiência no uso de um recurso não leva necessariamente à redução no consumo desse recurso. Em vez disso, pode até aumentar o consumo total. Por exemplo, a melhoria na eficiência do uso de carvão durante a Revolução Industrial levou a um aumento na demanda por carvão, não a uma diminuição.

Antigamente, quando queríamos nos comunicar com as pessoas, usávamos a carta. Para os mais novos, a carta era escrita em um pedaço de papel e, muitas vezes, íamos aos correios, colocávamos dentro de um envelope, e os correios encarregavam-se de levar ao destino. Poderia levar dias ou meses. Hoje, quando queremos fazer a mesma coisa, usamos o e-mail ou uma mensagem de telefone. Pelo paradoxo, aumentou a eficiência do recurso, mas provavelmente agora devo ter mensagens no meu celular e minha caixa de e-mails tem centenas delas por responder.


O fato de Jevons ter proposto sua ideia em 1865 e hoje, em 2024, estarmos falando sobre ela é um sinal de que deve ter um certo sentido. E parece que efetivamente funciona. E aqui voltamos para a questão ambiental. Tim Harford, um conhecido colunista do Financial Times, lembra que uma das esperanças para resolver o problema do ambiente é melhorar a eficiência energética. Ou seja, tornando os automóveis mais eficientes no consumo de combustível, ganhando qualidade nos aparelhos domésticos, entre outros. O que seria uma solução, na verdade, tornou-se um problema. É o efeito rebote: um bem se torna mais eficiente e barato, seu uso tende a aumentar porque as pessoas o consideram mais acessível e útil, levando a um consumo geral maior.


Conforme lembra Harford, o paradoxo é importante para lembrar que não devemos necessariamente esperar um milagre da tecnologia para resolver o problema ambiental. Mas há esperança, já que vários casos passados mostram que a eficiência energética realmente diminuiu o consumo de energia.

Um fato que devemos lembrar é nunca esperar resolver um problema somente com uma solução. Não podemos descartar, conforme lembra o colunista, que juntamente com o milagre da eficiência, tenhamos, por exemplo, uma política que institua um imposto sobre o carbono.