Translate

17 janeiro 2019

Ranking: as maiores punições do mercado dos EUA

AAER significa Accounting and Auditing Enforcement Releases. De 1999 até hoje foram 2.700, sendo que a maioria antes de 2010. Estão relacionadas com o mercado de capitais dos Estados Unidos e, por extensão, ao seu regulador, a SEC. A empresa brasileira Petrobras só perde para WorldCom.

Para se ter uma ideia do peso da multa da Petrobras, veja as maiores multas em 2018:

Curso presencial de Holding Familiar

Dia 24 de abril, no Hotel Barramares, Avenida Senador Sérgio Guerra, 544 - Piedade, Jaboatão dos Guararapes - PE, 54400-003. A Márcia é doutora em Contabilidade e excelente profissional.

Lucros Acumulados ainda sobrevive

Quando a legislação societária brasileira foi alterada, um dos assuntos de maior destaque foi a extinção da conta de lucros acumulados. Na verdade, a conta não foi extinta, mas seu saldo deveria ser zerado no final de cada exercício social.

Apesar disto, a conta parece continuar existindo. Veja o balanço da empresa Birla Carbon. Esta é uma empresa de receita de mais de 500 milhões de reais, com ativo da mesma ordem. Ou seja, não é uma pequena empresa:
Veja que o grupo do patrimônio líquido é constituído de duas contas: Capital social e lucros acumulados. A conta de lucros acumulados da empresa é bastante significativa: 160 milhões em 31 de março de 2018, para um ativo de 509 milhões.

Eis o que diz o item 2 das notas explicativas:

As demonstrações financeiras foram elaboradas de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil. 

E no parecer do auditor (que agora chama Relatório)? Leiam:

Em nossa opinião, as demonstrações financeiras acima referidas apresentam adequadamente (...) de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil. 

Empresa de auditoria: KPMG.

Mais uma observação (e não que isto seja importante): a empresa não divulgou a DVA.

Plágio ajuda na liberação do Roundup

Em 2017, a Comunidade Europeia decidiu permitir, novamente, o uso de glifosato (ou Roundup, seu nome comercial, ou Mata-Mato). Esta substância está presente em produtos usados na agricultura e existe uma controvérsia se seu uso causa ou não câncer nos seres humanos. A decisão dos países europeus estava baseada em um relatório redigido pelo Instituto Federal Alemão de Avaliação de Riscos ou BfR. Esta entidade fez um levantamento de evidências científicas sobre o produto e concluiu que não há um comprovação de que o produto seja cancerígeno.

Dois pesquisadores, Stefan Weber e Helmut Burtscher, afirmam que o relatório feito pelo BfR plagiou um artigo escrito pela indústria agroquímica.  Ou seja, não foram os cientistas que trabalham para o BfR que escreveu boa parte do relatório que embasou a decisão, mas um consórcio de empresas do setor agroquímico.

Na terça feira, dia 15 de janeiro, foi divulgado um estudo que comparou a avaliação feita pelo BfR e um relatório feito pela Monsanto e outras entidades interessadas no assunto. O estudo divulgado no dia 15 descobriu que os pesquisadores do BfR plagiaram o relatório do setor agroquímico. Parágrafos inteiros do texto, descrevendo estudos, relevância e confiabilidade, foram retirados do outro texto, perfazendo um total de 50,1% do texto do BfR como sendo plágio. Assim, a base para decisão da Comunidade Europeia tem sua origem em um relatório feito pelo setor interessado na liberação do glifosato. Segundo Weber e Burtscher, isto afeta a validade da conclusão de que o produto não representa um risco para os seres humanos.

Apesar do plágio, não é possível ainda dizer que o produto realmente apresenta um risco para a saúde das pessoas que estão expostas. Alguns estudos afirmam que sim; outros, que somente em casos de elevada exposição. A segunda opção parece ser o mais correto, mas somente com mais estudos será possível afirmar sobre os riscos do produto. De qualquer forma, o plágio no estudo levanta dúvidas sérias sobre o assunto.

Mais aqui

Suborno de 100 milhões de dólares

Durante o julgamento de Joaquin Guzman, o famoso traficante mexicano, preso nos Estados, uma testemunha afirmou que o ex-presidente do México, Enrique Peña Nieto, recebeu 100 milhões de dólares de subornos dos traficantes. O depoimento é de Alex Cifuentes Villa, um colombiano que trabalhou com El Chapo.

Para quem gosta de série, a terceira temporada de Narcos trata da relação entre traficantes e a estrutura administrativa no México. Quem assistiu não irá duvidar do depoimento, apesar de não ter sido apresentada provas.

Rir é o melhor remédio




Mais parquinhos inapropriados aqui

16 janeiro 2019

Streaming para amigos 2

Em setembro postamos sobre o Tidal. A empresa de streaming de música de Jay Z estaria manipulando o número de assinantes (3 milhões versus 850 mil), assim como o número de vezes que um álbum é escutado, favorecendo alguns artistas em detrimento de outros.

Apesar da denúncia, de um jornal da Noruega, ser do ano passado, somente agora a polícia daquele país abriu um investigação. Os albuns de Beyoncé e West foram lançados exclusivamente no Tidal e estariam superestimados. Beyoncé é esposa de Jay Z e West seria seu amigo. A empresa disse que as acusações são falsas e chamou a investigação do jornal norueguês de "campanha de difamação". Além disto, o Tidal estaria atrasando o pagamento de gravadoras, agências de publicidade e bancos. Em 2017, West afirmou que o Tidal devia 3 milhões de dólares e no seu álbum seguinte não usou o serviço para o lançamento.

Lucro e Alavancagem

É interessante quando um conceito da contabilidade gerencial é usado na contabilidade financeira. Este foi o caso da Embraer, que anunciou que sua projeção de resultado operacional para 2018 será de 200 milhões de dólares. Anteriormente, a projeção estava na faixa de 270 a 355 milhões. A justificativa, segundo a empresa:

Segundo a Embraer, as mudanças ocorreram devido a uma menor alavancagem operacional em função do menor volume de entregas na aviação executiva e uma redução nas receitas do segmento de defesa e segurança.

Lembrando que o conceito de alavancagem operacional mostra como os custos fixos influenciam no resultado. Com um menor volume de receita, os custos fixos existentes da empresa devem ser "alocados" para um menor número de aeronaves.

Mais ainda, a empresa disse que espera que em 2019 o lucro será aproximadamente zero. Que corresponde ao conceito de ponto de equilíbrio. 

Contadores são confiáveis. Nos Estados Unidos

Uma pesquisa do Gallup investigou as profissões mais confiáveis nos Estados Unidos. Os enfermeiros, pelo 17o. ano seguido ficaram em primeiro lugar. Mas os contadores não fizeram feio: 42% de confiança da população. Veja a listagem:

1. Enfermeiros = 84%
2. Médicos = 67%
3. Farmacêuticos = 66%
4. Professores do Ensino Médio = 60%
5. Policiais = 54%
6. Contadores = 42%
7. Clérigos = 37%
8. Jornalistas = 33%
9. Empreiteiros = 29%
10. Banqueiros = 27%
11. Agentes Imobiliários = 25%
12. Advogados = 19%
13. Executivos = 17%
14. Vendedores de carros = 8%
15. Membros do Congresso = 8%

Países mais obesos

Segundo a World Health Organization (WHO) em 200 países, aqueles que apresenta as taxas com maior número de obesos são:

American Samoa
Nauru
Ilhas Cook
Tokelau
Tonga
Samoa
Palau
Kiribati
Ilhas Marshall
Kuwait

Entre os países da OECDE:

EUA (38.2% da população adulta)
México (32.4%)
Nova Zelândia (30.7%)
Hungria (30%)
Austrália (27.9%)
Reino Unido (26.9%)
Canadá (25.8%)
Chile (25.1%)
Finlândia (24.8%)
Alemanha (23.6%)

Fonte: Aqui

História da Contabilidade: nepotismo em 1859

Em 1859, na reforma do Tesouro, alguns funcionários foram nomeados. Um deles, José Francisco Vianna, era filho do conselheiro Joaquim Francisco Vianna. O filho tinha acabado de se formar em direito pela faculdade de direito de Recife. Um texto do A Actualidade (1859, n. 3, p. 2) perguntava:

O paíz será tão falto de pessoal, que para esse lugar só se encontrasse o filho do Sr. director da contabilidade? Os talentos financeiros serão hereditarios na casa do Sr. Vianna? Não encontrou o Sr. Salles em todo o paiz pessoas que estivessem no caso de preencher melhor esse emprego? Seria preciso pagar ao Sr. Vianninha 3:200$ annuaes para fazer o seu curso de legislação de fazenda? Não será isso aprender nas barbas do aprendiz? Não será semelhante nomeação dictada pelo nepotismo? 

Mais adiante, o Brasil irá começar a adotar concursos para algumas funções, sendo um dos conhecimentos necessário será contabilidade.

Rir é o melhor remédio

Mundo moderno:





Via aqui

15 janeiro 2019

Curso Prático de Contabilidade: Analisando um evento na Gama

A seguir, mais um estudo de caso que poderá ser usado como material de aula por parte dos professores. Ou então, como um "teste seu conhecimento" em contabilidade.

No capítulo 3 do livro Curso Prático de Contabilidade aprendemos como os eventos são tratados pela contabilidade. Para cada evento, mostramos a análise dos eventos sobre a equação contábil básica, ou seja, a análise em termos do débito e crédito e o seu registro no livro diário e razonetes. No capítulo anterior do livro, mostramos como as demonstrações contábeis apresentam informações sobre uma empresa.

Este balanço que apresentamos a seguir é da Gama Incorporação Imobiliária S/A. Analisando a DRE, é possível perceber que é um empreendimento que apresentou pouca movimentação no ano de 2017. Isto não deixa de ser estranho, já que é uma empresa que possui um profissional de contabilidade; assim, deveria receber um salário por esta função, o que corresponderia a uma despesa.
Mas vamos assumir que as demonstrações estejam corretas para nosso estudo de caso. Com base nas demonstrações, responda o que se pede a seguir:

a) quais as três contas do balanço que apresentaram movimentação em 2017?

b) Houve também uma variação de centavos no Patrimônio Líquido da empresa durante o ano de 2017. Você saberia dizer o que explica esta variação?

c) Observe agora a demonstração dos fluxos de caixa (erroneamente chamada de “do fluxo” no singular). Analisando os valores dos fluxos de investimento e de financiamento, você poderia descrever o evento que ocorreu? Lembre-se de fazer uma análise completa, conforme mostramos no capítulo 3.

d) Ponto adicional para quem descobrir um erro (aparentemente de digitação) na Demonstração dos Fluxos de Caixa.

Curso Prático de Contabilidade - César Augusto Tibúrcio Silva e Fernanda Fernandes Rodrigues. Gen, 2018, 2a edição. 

É importante combater a corrupção?

Um capítulo do livro de Clayton Christensen (foto) foi publicado pela Época. Trata de corrupção. Inicialmente ele constata que o problema da corrupção é generalizado, sendo necessário enxergar sob outra ótica. (Na verdade, a abordagem dele não é tão inovadora, mas sintetiza pensamentos que não são dominantes sobre o assunto). A questão da corrupção não é moral e o combate à corrupção deveria ser repensado, já que se gasta muita energia.

A corrupção não é recente e muitos países considerados exemplos de retidão, mas que eram pobres no passado, também eram corruptos. Além disto, os programas de combate à corrupção são falhos pois não reconhecem que “a corrupção é o melhor caminho, um atalho, uma utilidade em lugares onde há poucas opções melhores”.

Segundo Christensen há três motivos que justifica o fato de uma pessoa adotar a corrupção: (1) é uma forma de facilitar as pessoas progredirem na vida (2) a estrutura de custos não é compatível com a receita (ou seja, o salário da pessoa não é suficiente para o seu sustento); (3) é uma forma de subverter as estratégias para se beneficiar. Este último motivo é como se fosse a aplicação da relação custo e benefício.

A partir daí, o autor classifica um país em três fases: fase 1, onde a corrupção é escancarada e imprevisível; fase 2, onde é encoberta e previsível; e fase 3, da transparência. A situação da fase 3 refere-se, por exemplo, a Lei de Práticas Corruptas Estrangeiras dos Estados Unidos. “Walmart, Siemens, Avon e Alstom, um grupo industrial francês, e muitas outras companhias burlaram a FCPA e em consequência pagaram centenas de milhões de dólares em multas.”

O que garante a mudança seria, segundo Christensen, o desenvolvimento econômico do país. Os Estados Unidos, no século XIX, era um país corrupto. A Coréia do Sul de Park Geun-hye também.

A solução seria: parar de concentrar os esforços no combate à corrupção:

Em vez de continuar combatendo agressivamente a corrupção com seus recursos muito limitados, o que aconteceria se governos zelosos de países pobres se empenhassem em fomentar a criação de novos mercados que ajudassem os cidadãos a resolverem seus problemas cotidianos? Com a criação de mercados suficientes, as pessoas terão interesse no êxito desses mercados. Governos começarão a gerar mais receita para melhorar seus tribunais, o cumprimento das leis e os sistemas legislativos. Além disso, os mercados criam empregos que dão às pessoas uma alternativa viável a acumular fortuna com meios corruptos. Pedir às pessoas que rejeitem a corrupção sem lhes dar um substituto viável não é muito realista e, conforme os dados mostram, nem sempre funciona.


O próprio autor mostra alguns exemplos onde as soluções propostas parecem simplórias: Napster é um caso.

Ao examinar as crenças muito difundidas de que estabelecer instituições sólidas e extinguir a corrupção são pré-requisitos para o desenvolvimento de uma economia, constatamos continuamente que as inovações, especialmente aquelas que criam mercados, podem ser um catalisador crucial para a mudança. Inovações que criam mercados conseguem introduzir aquilo que é necessário, independentemente da existência de instituições firmes ou do grau de corrupção. Isso virá na sequência, assim como a peça mais visível do quebra-cabeça do desenvolvimento: a infraestrutura.
(grifo no original)

Aqui uma tese sobre desonestidade em grupo. Aqui outra sobre desonestidade com tributos.

Fluxo de Caixa livre negativo da Netflix

No dia 17 de janeiro a Netflix deverá divulgar seus resultados. A expectativa é a confirmação de que a empresa está queimando muito caixa. Em 2018 o fluxo de caixa livre da empresa atingiu um valor negativo de 3 bilhões de dólares. Foi de 2 bilhões em 2017.

O resultado seria uma grande aposta da empresa. Para se manter no mercado, a Netflix necessita de ter no seu catalógo um grande número de atrações. E isto exige dinheiro. Segundo seu executivo, Reed Hastings:

"Quando produzimos um show incrível como 'Stranger Things', é muito capital na frente, mas você recebe por muitos anos"

E a empresa tem aumentado a produção de séries como “Stranger Things”. Ao mesmo tempo, novos concorrentes estão entrando no mercado, como a Disney e a ATT, ou estão investindo também, como a Amazon. Assim, a Netflix precisa de boas produção e originais para manter o crescimento dos assinantes. Mais ainda, alguns programas precisam estar no catalogo da empresa, como Friends, que a Netflix pagou 100 milhões de dólares para manter os direitos de transmissão.

Há aqui um problema que é contábil e financeiro. Se Friends deve manter uma base de fiéis fãs, outros programas talvez não tenha o mesmo interesse. É difícil estabeler uma taxa de deterioração (rate of deterioration) que permite avaliar por quanto tempo um programa deve permanecer no catálogo da empresa. A contabilidade precisa estabelecer esta informação os usuários (internos e externos).

Uma estimativa de analistas do Morgan Stanley mostrou, no entanto, que o fluxo de caixa livre deverá ser positivo em 2021, conforme o gráfico abaixo:


Leia mais aqui

Controle Interno e Refugiados

Uma auditoria realizada pela ONU na agência de refugiados no Brasil,  Alto Comissariado da ONU para Refugiados (
Acnur), encontrou alguns problemas relacionados com viagens, gastos com colchões e contratos sem licitação adequada. Não foi encontrado desvio de dinheiro ou corrupção, segundo a notícia divulgada.

A Acnur tem no Brasil 17 funcionários e gastos de 2,7 milhões de dólares, em 2017. Um dos pontos encontrados pela auditoria foi o gasto de 38 mil dólares com compra de colchões, sendo que existia um orçamento de 14,3 mil. Esta diferença não tinha sido explicada. As licitações, com valor total de 479 mil dólares, não estavam de acordo com as normas da ONU no que diz respeito ao número de concorrentes convidados.

Outro problema constatado foi o fato de que o funcionário que entrevistava os refugiados ser o mesmo que aprovava os pagamentos. Pelas normas da ONU, estas funções deveriam ser feitas por pessoas distintas.

Leia mais aqui

Rir é o melhor remédio

14 janeiro 2019

Big Data e Teoria

A questão do Big Data ainda irá gerar uma boa discussão na ciência. Há uma certa associação entre a chegada do Big Data e o fato de estarmos livre da teoria. A pesquisa tradicional começa com uma teoria. Em uma ótica mais atual, coleta-se uma tonelada de dados para validar o palpite e tenta encontrar padrões.

A questão é que os padrões podem surgir em um grande conjunto de dados sem que exista uma base para isto

Em seu best-seller 2001 Good to Great, Jim Collins comparou 11 empresas que superaram o mercado de ações geral nos últimos 40 anos com 11 empresas que não o fizeram. Ele identificou cinco características que as empresas de sucesso tinham em comum. "Nós não começamos este projeto com uma teoria para testar ou provar", gabou-se Collins. "Procuramos construir uma teoria a partir do zero, derivada diretamente da evidência".


O fracasso de Collins é bastante conhecido.

Após a publicação de Good to Great, o desempenho das magníficas 11 ações da Collins foi claramente medíocre: cinco ações tiveram um desempenho melhor do que o mercado de ações em geral, enquanto seis tiveram resultados piores.

Em um exemplo mais recente, a empresa Google criou um programa que usava as consultas de pesquisa para prever os surtos de gripe. Usando 50 milhões de consultas de pesquisa, foram identificados 45 termos que possuíam mais correlação com a incidência de gripe. Depois disto, o programa estimou os casos. Na verdade, superestimou, já que o número de casos previsto foi o dobro do que realmente ocorreu.

Segundo Gary Smith:

Uma boa pesquisa começa com uma ideia clara do que alguém está procurando e espera encontrar. A mineração de dados apenas procura padrões e, inevitavelmente, encontra alguns.

Um pouco nesta linha, aqui uma interessante discussão entre o aprendizado de máquina e a econometria.

História da Contabilidade: Fábrica de máquinas contábeis

Muitas vezes estamos pesquisando a história da contabilidade e deparamos com coisas interessantes. Uma delas é o anuncio abaixo, publicado na revista O Cruzeiro Internacional, 1964, ed 18, p67. Apesar de ter mostrado um número relativamente pequeno de profissionais contábeis que existia no Brasil em 1961 em postagem anterior, o anúncio parece desmentir isto:

O que diz o anúncio: a planta industrial da Remington, no populoso bairro de Deodoro, que fabrica máquinas de escrever e de contabilidade.

História da Contabilidade: Educação contábil

A educação contábil merece muitas postagens. O assunto é bastante complexo e rico.

Em 1855, um texto foi publicado no O Jornal das Senhoras criticando o ensino no Brasil:

Eis como no Brasil se educa geralmente  a mulher de quem deve um dia depender o futuro de uma familia inteira. Tudo superficialidade, nada sciencia. 

Esquecia-me citar tambem a ignorancia da contabilidade, que tão indispensavel é a qualquer senhora em qualquer circumstancia da vida; acredita-se que é uma superfluidade, ou cousa impropria de uma senhora (...).

Conforme já postamos aqui, naquela época a contabilidade era ensinada quase que universalmente, para todos os que aprendiam matemática (vide, por exemplo, a postagem anterior). Observe como o artigo deplora o fato de que as mulheres, na metade do século XIX, não sabiam contabilidade.

Cem anos depois, uma estatística mostrava que existiam no Brasil 12.095 diplomados em técnico em contabilidade (Jornal do Comercio, Nanuque, ed  4, p. 1, 1968, "umas & outras", Newton Messias Brito). Só para fins comparativos, a população brasileira era de 70 milhões de habitantes. Mas o técnico era de longe a profissão com maior número de diplomados. Veja a lista:

Filosofia = 5.920
Direito = 3.646
Bachareis = 2.646
Licenciados = 2.973
Medicina = 1.706

Parece pouco? Note que ocorreu uma expansão do ensino nos anos seguintes. Nesta época, algumas cidades começaram a receber escolas técnicas de contabilidade:

Notícia que nos enche de alegria, é que nos anos vindouros, estará em funcionando em nossa cidade uma Escola de contabilidade (Memórias Estudantis, 1964, ed. 3, p. 3. Este era um jornal dos estudantes da cidade de Nanuque). 

Historia da contabilidade: Capital Intelectual na Agricultura

O conceito de capital intelectual parece bastante moderno. E aplicável a setores de elevado desenvolvimento tecnológico. Entretanto, em 1859 o conceito foi usado no Brasil no setor agrícola.

Na Revista Popular, na sua edição 4, p. 75, trazia o seguinte:

A publicidade e o ensino practico, ao passo que dotão a agricultura do capital intellectual, não menos precioso do que o capital predial, são ao mesmo tempo estimulos poderosos, para que os fazendeiros se preoccupem incessantemente de augmentarem o capital circulante. (...) Cumpre não perder de vista que tres sao os generos de capitaes, que carece o agricultor simultaneamente, de cuja acquisicao depende sua maior ou menor prosperidade: o capital predial; o capital intellectual; o capital circulante. (...)

O texto prossegue com um vínculo com a contabilidade:

Acontece outro tanto pelo que respeita ao capital intellectual? Quantas vezes o conhecimento da mathematica e de suas applicações á contabilidade, á mechanica, á hydraulica, teem sido mais uteis ao fazendeiro, do que a acquisicao de uma nova quadra de terra (...)

Rir é o melhor remédio

Fotografias (antigas) de animais:

13 janeiro 2019

Conselho da Petrobras


Ainda sobre a Petrobras, o atual presidente da empresa parece estar interessado na demissão de dois dos membros do conselho de Administração, informou também a Reuters.Castello Branco, o novo CEO da empresa, estaria pressionando a renúncia de Segen Estefen e Durval Soledade, cujo mandato termina em 2020.

Uma das fontes disse que a pressão pela demissão dos diretores é vista dentro da Petrobras como uma ameaça às regras de governança corporativa aprovadas, já que a empresa buscava proteger a empresa de influência política indevida.

No início do ano, dois outros conselheiros renunciaram.

Mudança? - Parte 2

Anteriormente comentamos que os efeitos da Operação Lava Jato ainda não tinha chegado nas empresas multinacionais. Mas que o executivo de uma empresa que aparentemente comandou uma rede de corrupção na Petrobras teria sido detido nos Estados Unidos.

Agora, a empresa multinacional Trafigura recusou a ordem judicial de entregar os e-mails de dois ex-executivos acusados de corrupção, segundo a Reuters.Há uma desconfiança que as mensagens podem ter evidências que outros executivos da Trafigura sabiam dos subornos pagos para executivos da Petrobras.

Agora, os promotores estão almejando seus maiores alvos ainda - multinacionais que fizeram negócios com a Petrobras nas últimas duas décadas. Os promotores brasileiros alegam que a corrupção ocorreu em solo norte-americano e que o dinheiro foi lavado através de bancos americanos e europeus, o que poderia ampliar bastante a investigação.

Um novo ciclo de maldição dos recursos naturais?

Ribamar de Oliveira, na sua coluna de quinta do Valor Econômico, chama a atenção para uma projeção feita pela ANP da geração futura (em 2030) de uma receita derivada do petróleo de 300 bilhões de reais. Ou seja, haverá um novo ciclo de geração de royalties. Atualmente estas receitas seriam de 60 bilhões. A estimativa decorre de uma produção de 7,5 bilhões de barris dia em 2030 (versus 2,5 bilhões atuais) em razão dos recentes leilões.

Oliveira pede urgência nas reformas estruturais necessárias para que a economia possa aproveitar este novo ciclo, incluindo a reforma da previdência.

Entretanto, a notícia é ruim por três motivos. Em primeiro lugar, existe a maldição dos recursos naturais, já constatada em diversas pesquisas (por exemplo, aqui). Em segundo lugar, a divulgação ampla da notícia pode fazer com que os nobres representantes posterguem suas decisões inadequadas. Finalmente, a redução de custos de fontes de energia renováveis e a pressão pela troca do petróleo pode reduzir o consumo de petróleo.

SpaceX e a finalidade de dispensar funcionários

A Empresa SpaceX anunciou que está dispensando 10% da sua força de trabalho. Na justificativa:

“To continue delivering for our customers and to succeed in developing interplanetary spacecraft and a global space-based Internet, SpaceX must become a leaner company. Either of these developments, even when attempted separately, have bankrupted other organizations. This means we must part ways with some talented and hardworking members of our team." (grifo nosso)

A empresa, cujo objetivo é lançar satélites e uma missão para Marte, tenta se manter apesar dos elevados investimentos.

A questão dos custos também é bastante interessante na SpaceX. Recomendamos a leitura da postagem sobre o assunto.

Como estudar e manter o hábito de leitura

Rir é o melhor remédio

Mais um para sorrir!

por Gavin Aung
http://zenpencils.com/

dizeres: “Eu costumava pensar que era a pessoa mais estranha do mundo/ … mas então eu pensei: bem, há muitas pessoas no mundo…/ …deve ter alguém como eu, que se sinta estranha e errada da mesma forma que eu me sinto./ Então eu imagino essa pessoa, e imagino que ela deve estar lá fora pensando em mim também. Bom, eu espero que se você está lá fora…/ e ler isso, saiba que sim, é verdade… eu estou aqui… e eu sou tão estranha quanta você.” - Frida Kahlo

Via depósito de tirinhas.

12 janeiro 2019

Acusação contra Ghosn

Na medida que o tempo passa e novas informações são apresentadas, a prisão de Carlos Ghosn, ex-CEO da Nissan, torna-se mais "estranha". Preso desde novembro e sem chances de sair tão cedo da cadeia no Japão, Ghosn é acusado de "violação de confiança" e "declaração a menor de renda", o que tem implicações sobre o pagamento de imposto de renda. O executivo negou as acusações.

O executivo, que esteve à frente da aliança entre as montadoras Renault, Nissan e Mitsubishi - que vende cerca de 10 milhões de veículos por ano e tem 500 mil funcionários -, é suspeito de usar a Nissan para encobrir perdas financeiras de investimentos pessoais no valor de US$ 17 milhões (cerca de R$ 63 milhões).

Ele é acusado ainda de fazer pagamentos equivalentes a US$ 14,7 milhões (aproximadamente R$ 55 milhões) ao empresário saudita Khaled al-Juffali usando recursos da Nissan em troca de uma carta de crédito que seria usada também para cobrir prejuízos com seus investimentos pessoais.

Ghosn foi detido pela primeira vez em 19 de novembro de 2018, para que fosse interrogado pelas autoridades japonesas, e teve a prisão prorrogada por duas vezes em dezembro.

Se considerado culpado, o executivo pode ser condenado a até 10 anos de prisão e ao pagamento de uma multa de até 700 milhões de ienes (cerca de R$ 24 milhões), conforme as leis japonesas.


Uma auditoria realizada pela Renault não encontrou, no entanto, qualquer indício de fraude.

Pouco depois da prisão de Ghosn, as montadoras japonesas Nissan e Mitsubishi removeram-no da posição que ocupava nas empresas, de presidente do conselho.

A Renault, contudo, o manteve no cargo de CEO, alegando não ter encontrado qualquer indício de fraude fiscal.


Quanto vale a sua informação na internet?

Algumas das maiores empresa do mundo conseguem um grande valor com a utilização dos dados das pessoas que navegam pelo endereço. Assim é o Facebook e o Google, para citar duas das mais famosas empresas do mundo atual.

Entretanto, se você tentar vender os seus dados em um leilão, o valor obtido talvez seja irrisório. Um artigo recente da Wired (via aqui) encontrou que o preço a pagar seria de 0,3 centavo de um dólar. Mas atenção:

No entanto, valor médio e marginal não coincidem. Se alguém pudesse comprar um bloco inteiro de votos, o que por sua vez poderia influenciar uma eleição, o preço poderia ser muito maior.

Cidades mais Perigosas do Mundo

Segundo a ONG Seguridad, Justicia y Paz (via aqui) e baseado no número de homicídios por 100 mil pessoas, estas sãos as dez cidades mais perigosas do mundo:

10 - Belém, Brasil, com uma taxa de homícidio de 71,38 por 100 mil habitantes
9 - Ciudad Guayana, Venezuela
8- Ciudad Victoria, Mexico
7- Fortaleza, Brazil - foram 3.270 mortes para um população de 4 milhões de habitantes
6- La Paz, Mexico
5- Tijuana, Mexico
4- Natal, Brazil - com 1.378 mortes em 2017 e uma população de 1.35 milhões
3- Acapulco, Mexico
2- Caracas, Venezuela
1- Los Cabos, Mexico

Na lisonjeiro

Rir é o melhor remédio

Cenas de uma viagem:



Mais cenas horrorosas aqui

11 janeiro 2019

Novas normas e seus efeitos

Teremos, em algumas semanas, notícias sobre os potenciais efeitos de duas normas contábeis que foram alteradas (e que serão adotadas) no Brasil: reconhecimento da receita e arrendamento. Na realidade, já aparecem os efeitos. Veja o caso do Gol:

A companhia aérea Gol reviu nesta sexta-feira projeções para uma série de indicadores econômicos da empresa, elevando entre eles as estimativas de margem de lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) de 2018 e 2019 e prevendo margem de cerca de 28% em 2020.

A empresa informou que a revisão das projeções ocorreu para incorporar variações mais recentes dos preços do petróleo, a valorização do dólar ante o real, a incorporação de aeronaves Boeing 737 MAX a sua frota e a adoção do sistema contábil IFRS 16 [arrendamento].

Cordel

A literatura de cordel é um gênero popular com origem no século XVI. O nome vem da forma como os folhetos eram expostos para venda, pendurados em barbantes. Desde o ano passado, a literatura de cordel é um patrimônio cultural imaterial do Brasil.

Um texto interessante mostra a dificuldade mostra a luta dos autores para manter viva a tradição da literatura de cordel. O texto descreve as perseguições e os problemas de manter o acervo produzido durante muito tempo. Também mostra como a migração interna, ocorrida no Brasil, foi importante para a divulgação deste tipo de literatura. Há anos conheço o "seu Manoelzinho", que produz cordel e lançou livro com este tipo de poesia.

Um ponto importante é a questão da produção e reprodução impressa da literatura. Veja um trecho onde se comenta a questão do custo de produção e reprodução da literatura e sua evolução recente:


Na tentativa do cordel de sobreviver, os poetas buscaram, ao longo das décadas, diferentes maneiras de concretizar seu trabalho. Inicialmente, os folhetos eram impressos em gráficas nas capitais e pequenas tipografias em cidades do interior. Com a proliferação de jornais e a diminuição do custo dos equipamentos, alguns poetas adquiriram suas próprias máquinas, ganhando autonomia no processo de produção e, consequentemente, de divulgação do trabalho. Entre 1910 e 1960, inicialmente no Nordeste, e depois com a circulação do cordel por outras regiões do país, constituiu-se uma rede de produção e venda que permitiu a autores e editores sobreviver dos folhetos.

Contratando um auditor que não existe

A Patisserie Holding resolveu demitir seu auditor, a Grant Thornton UK. Anteriormente, seu CFO quase levou a empresa para a falência por conta de falcatruas contábeis. E o auditor não percebeu.

Em um comunicado, a empresa anuncia que estaria contratando um novo auditor. Mas o nome apresentado estava errado. O que levou a um novo comunicado, corrigindo o nome (acima).