Translate

18 junho 2018

Empreendedor

A propaganda a seguir define bem o que é ser empreendedor. Da associação Finlandesa de Empreendedorismo:


Fonte: aqui, aqui e aqui

Prisão na família real espanhola

Em 2014, a princesa Cristina foi acusada de uma série de crimes relacionadas a uma pequena sociedade familiar. A defesa da princesa disse que ela não estava a par da gestão e que não tinha experiência em matéria de contabilidade fiscal. Os advogados afirmaram que Iñaki Urdangarin, o marido de Cristina, seria o responsável exclusivo pela gestão da empresa.

Entre os crimes, lavagem fiscal e fraude, além de falsificação de documentos e peculato.

Hoje, Urdangarin, o cunhado do ex-rei da Espanha, entrou na sua cela na prisão de Brieva. Ele tinha sido condenado pelo Supremo espanhol a cinco anos e dez meses de prisão por desvio de dinheiro. E por ter usado sua posição para obter facilidades que possibilitaram o desvio de fundos.

A princesa Cristina não corre risco de ir para a prisão: foi "imputada"

Rir é o melhor remédio

Cinco imagens da rede:






16 junho 2018

Pegada Ecológica

A Pegada Ecológica corresponde a uma medida da determinar a sustentabilidade de uma sociedade diante dos recursos da natureza. Sua mensuração tem sido realizada para verificar se no ritmo atual uma população estava usando mais do que a capacidade do ecossistema.

Portugal, por exemplo, possui uma pegada ecológica de 3,69 hectares, mas a biocapacidade é de 1,27 hectares globais. Se cada pessoa da terra vivesse como os portugueses, seriam necessários 2,19 planetas para sustentar estas atividades.

Isto não parece ser muito bom. A pegada brasileira é de 2,9 hectares, bem próximo da média mundial e muito abaixo da pegada portuguesa. A vantagem brasileira é que a biocapacidade do nosso país é muito elevada, apesar de estar em declínio com o passar do tempo. Em relação a média mundial, a biocapacidade do Brasil é muito elevada, assim como da Rússia (veja gráfico).

Análise de sentimento

Polyana Silva destaca pesquisa sobre o sentimento referente a greve dos caminhoneiros. A professora destaca:

Não se trata de nutrir carinho ou repulsa sobre o evento em questão. É uma técnica de análise de dados não estruturados que possui como objetivo identificar opiniões opostas (positivas, negativas e neutras).


Uma análise deste tipo foi apresenta pela revista Época. E revela o que ocorreu no país nos últimos anos. Em 2013 o gráfico representativo do debate político era o seguinte:


Observe a diferença entre o primeiro e o último gráfico. Em março de 2016 as posições políticas estavam polarizadas, muito mais que em 2013.

Política em família

Na coluna de divulgação científica de Fernando Reinach no Estadão uma pesquisa muito interessante:

É obvio que discussões políticas estragam reuniões familiares. O interessante é como um grupo de cientistas descobriu que, após a eleição de Trump, os jantares de Thanksgiving (O Dia de Ação de Graças americano), nas famílias em que existe discordância política, foram 38 minutos mais curtos que a média. Em 2016, na média, esses longos jantares duraram 4 horas e 28 minutos.


Mais interessante ainda foi a metodologia usada pelos autores:

Para determinar o efeito das discussões políticas sobre a duração do jantar, em 2016 os cientistas usaram duas fontes de dados. A primeira é um banco de dados que contém a posição exata (determinada pelo GPS) de 10 milhões de telefones celulares a cada minuto durante o mês de novembro de 2016. Esse banco de dados existe porque cada telefone celular, ao se comunicar com as torres do sistema de telecomunicação, envia sua posição exata. No total foram analisados 21 bilhões de posições enviadas por 10 milhões de telefones durante novembro.

Continuando:

Analisando esses dados os cientistas puderam determinar o local em que esses 10 milhões de telefones “moram”, pois esse é o lugar onde passaram a maior parte das noites nas semanas anteriores ao Thanksgiving. Além disso, puderam identificar para onde se deslocaram na noite do jantar, pois eles enviaram às respectivas torres suas localizações precisas.

Mais que isso, é possível saber quanto tempo ficaram juntos durante o jantar, determinando o horário que eles chegaram à casa em Chicago e o horário que saíram. Dessa maneira os cientistas conseguiram determinar a residência de 6.390.634 pessoas e onde essas pessoas passaram o jantar de Thanksgiving. (...)

O segundo banco de dados que os cientistas usaram foi o resultado da votação de 8 de novembro de 2016, semanas antes do jantar de Thanksgiving, que elegeu Donald Trump. Esse banco de dados não contém o nome das pessoas que votaram, mas o número de votos que cada candidato recebeu em cada uma das 172.098 regiões eleitorais (precincts) em que os EUA são divididos. Cruzando esses dois bancos de dados os cientistas puderam determinar a probabilidade de como votou cada um dos 10 milhões de donos de telefones celulares analisados. Isso porque se uma pessoa mora em um distrito eleitoral onde Trump teve 95% dos votos essa pessoa muito provavelmente votou nele.

Com base nesses dados é possível identificar a provável ideologia de cada participante nos jantares de Thanks giving e, em um passo seguinte, identificar os jantares em que todos os participantes votaram no mesmo partido (Democrata ou Republicano) e os jantares em que participaram pessoas que haviam votado, semanas antes, em diferentes candidatos. Após identificar jantares em que todos eram muito provavelmente do mesmo partido e jantares em que as pessoas provavelmente eram de partidos diferentes, os cientistas determinaram quanto tempo duraram esses jantares.

E aí veio a conclusão: os jantares em que havia pessoas de diferentes partidos foram 38 minutos mais curtos que a média (que foi de 257 minutos). Mas os cientistas foram adiante identificando os distritos eleitorais que foram mais bombardeados por anúncios políticos antes da eleição. Quando pessoas desses distritos se encontraram semanas depois da eleição, os jantares foram ainda mais curtos.

Rir é o melhor remédio

Efeito propriedade

15 junho 2018

Pesquisa

Prezados leitores:

Você está sendo convidado a participar de uma pesquisa para o trabalho final de dissertação de mestrado desenvolvida no Programa de Pós-Graduação em Contabilidade da Universidade de Brasília (PPGCont - UnB) que tem por objetivo compreender como você vê a previdência em sua vida.

Caso tenha interesse, o questionário pode ser acessado pelo link seguinte:

https://goo.gl/forms/RgduXnKZrdQqLQsI3

Peço, por gentileza, que divulgue​ a pesquisa e compartilhe o link entre os colegas e em suas listas de email!

Em caso de dúvidas, pode entrar em contato pelo email: eduarda.augusta.sales@gmail.com

Desde já, agradecemos a sua participação!

Sem comemoração

Sobre as demonstrações contábeis dos Correios, alguns breves comentários:

1) As demonstrações foram auditadas pela BDO que deu um parecer com ressalvas.

2) Além disto, o parecer destaca a incerteza sobre a continuidade operacional da empresa. Ademais, a empresa afirma que a continuidade depende de aporte do controlador.

3) Sobre os números, o destaque foi a questão dos benefícios pós-emprego. No balanço, representou um passivo de 2 bilhões de reais a menos, o que reverteu o PL negativo que existia no exercício anterior. Isto também fez com que a empresa tivesse lucro operacional, em lugar de prejuízo. E mesmo o resultado abrangente foi melhor em mais de 2,5 bilhões.

4) Se o lucro melhorou, a capacidade da empresa em gerar caixa com as atividades operacionais piorou em 2017 em R$448 milhões.

5) De igual modo, piorou o caixa de investimento (em razão das aplicações financeiras) e financiamento. Assim, a empresa teve uma variação de Caixa e Equivalentes de 1,34 bilhão, negativo. Era 1,689 em 31/12/2016 e passou para 0,347.

Assim, não existe motivo para comemorar: parecer com ressalva, resultado dependendo de um lançamento não recorrente, não geração de caixa operacional, queima de caixa, ...

Polêmica ou não

Um texto publicada há mais de uma mês. Mas não resisti em fazer alguns pequenos comentários, pois está recheado de pérolas.

Depois de dois anos de prejuízos bilionários, a Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (ECT) teve um surpreendente lucro de R$ 667 milhões em 2017, anunciou ontem o ministro Gilberto Kassab (Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações).

A virada nos números foi divulgada por Kassab, em uma audiência pública na Câmara dos Deputados, como sinal de recuperação da saúde financeira da estatal. Para ele, esse resultado mostra que os Correios são viáveis como empresa pública (1) e tira da pauta uma eventual privatização (2). “Não se fala mais nisso”, afirmou o ministro, dando como superada (3) a grave crise enfrentada pela ECT nos últimos anos. Houve prejuízo de R$ 2,1 bilhões em 2015 e de R$ 1,5 bilhão em 2016. (4)

De acordo com Kassab, o balanço dos Correios foi aprovado na véspera pelo conselho fiscal e será remetido hoje para análise do conselho de administração (5).

Apesar da comemoração do ministro, a reviravolta foi vista com cautela. Até outubro, a estatal registrava déficit em torno de R$ 2 bilhões (6). Segundo pessoas ligadas à ECT, não houve inversão da tendência e esse rombo cresceu ainda mais no último bimestre do ano. O que houve foi uma mudança das premissas atuariais no registro conhecido como “benefício pósemprego”, com uma redução de gastos meramente contábil (7), sem refletir qualquer equilíbrio entre receitas e despesas. (8)

Em março, uma decisão do Tribunal Superior do Trabalho (TST) restringiu o alcance da Postal Saúde, empresa criada pelos Correios em 2014 para gerir diretamente o convênio médico de seus 140 mil empregados e aposentados. (9)

O plano, que representava 90% do déficit anual da empresa, incluía outras 250 mil pessoas como cônjuges, pais e filhos.

A principal mudança avalizada pelo TST é a introdução da cobrança de mensalidade para titulares e dependentes. Pais e mães também serão excluídos a partir de julho de 2019. Com todas essas alterações, foi possível reduzir em aproximadamente R$ 3 bilhões o provisionamento futuro e os reflexos foram trazidos para valor presente. (10)

A operação contábil foi duramente criticada pelo representante dos trabalhadores no conselho de administração, Marcos César Silva, que prometeu votar pela rejeição ao balanço. Ele chamou o resultado de “forjado” e enfatizou que o lucro não decorre da “competência de políticos indevidamente colocados na direção da empresa”. “Votarei contra a aprovação das contas.” “A empresa tem a obrigação de explicar muito bem como um déficit que chegava em novembro a mais de R$ 2 bilhões virou um lucro de mais de R$ 600 milhões ao final do exercício”, completou. (11)

O próprio presidente interino dos Correios, Carlos Fortner, admitiu ter ficado surpreso com o lucro quando recebeu a notícia na semana passada. “Que mágica você fez?”, disse ter perguntado à equipe responsável pela contabilidade (12). Ele defendeu, porém, a legitimidade do cálculo e ressaltou: “Houve auditoria externa (13) e fomos crivados por questionamentos”.

A deputada Maria do Rosário (PTRS), uma das coordenadoras da Frente Parlamentar em Defesa dos Correios, ficou insatisfeita com as explicações. Ela discorda da análise de Kassab de que a privatização da companhia postal saiu do radar. “Não saiu e estamos atentos ao movimento. Já é uma prática comum resolver as contas do ponto de vista contábil (14) para apresentar ao mercado uma situação favorável à venda da empresa”, afirmou.

Um requerimento já foi protocolado na Comissão de Trabalho, Administração e Serviço Público da Câmara para aprofundar as discussões sobre o resultado da ECT no ano passado. Maria do Rosário criticou também o indicativo de fechamento de mais de 500 agências próprias dos Correios, em localidades onde há sobreposição com agências franqueadas, por entender que a estatal deixa de faturar em pontos melhores.


(RITTNER, Daniel. Virada súbita no balanço dos correios cria polêmica. Valor, 10 de maio de 2018, B6, via aqui). Figura, aqui

(1) o lucro, por si só, não é suficiente para afirmar que uma empresa é viável.
(2) existe aqui uma lógica estranha. Só pode ser empresa pública se for viável, caso contrário, privatize. Na realidade, o resultado contábil não deveria ser a razão final desta decisão, mas a política de governo ou, em alguns casos, a constituição.
(3) novamente, o resultado de um ano não é suficiente para chegar a esta conclusão.
(4) observe que o prejuízo acumulado em três anos é de 3 bilhões. E a crise acabou, segundo o ministro.
(5) ou seja, o ministro divulgou os resultados antes da empresa dar conhecimento ao Conselho de Administração. E já considerou como uma crise superada, mesmo não tendo a aprovação do Conselho de Administração. Aqui, uma postagem sobre este assunto. Observe que o texto é bastante feliz em usar “análise” e não “aprovação”.
(6) Deve estar falando do déficit acumulado até esta data.
(7) se mudaram somente as “premissas atuariais” é muito estranho falar em “gastos meramente contábeis”. E faz sentido falar em “gastos meramente contábeis”?
(8) Na verdade, o reporter quer dizer que na parte operacional a empresa continua com problemas, onde as despesas são superiores as receitas. O que fez o resultado ser positivo foi uma alteração nas premissas atuariais que afetou o resultado da empresa.
(9) Aqui a razão da mudança. Tendo por base a decisão, a contabilidade da empresa parece que fez o correto, ao contrário do que induz a reportagem. Parece que ocorreu uma manipulação, mas existindo uma mudança como esta, a mesma deve ser reconhecida no resultado.
(10) Veja que faz sentido a decisão da contabilidade.
(11) A leitura das demonstrações e as explicações parecem coerentes. Bastava entender contabilidade. A posição do representante parece mais política que técnica.
(12) A fama da contabilidade e do contador ... Mas ele defendeu os números, pois são favoráveis.
(13) A auditoria externa fez ressalvas, inclusive de continuidade da empresa. Isto não está comentado na reportagem, provavelmente pelo fato do balanço não ser de conhecimento público na data de publicação do texto.
(14) O que ela falou mesmo? “resolver as contas do ponto de vista contábil” seria “manipular”? O contador da ECT deveria entrar com um processo de difamação contra a deputada.

P.S. Os números não permitem comemoração

Conselho de Administração

No início de maio, o ministro Kassab, de um partido chamado PSD, anunciou o resultado dos Correios, antes que o mesmo fosse aprovado pelo Conselho de Administração. No sítio da ECT tem a composição deste Conselho. Anotei, ao lado de cada fotografia, um pequeno destaque para o currículo de cada um:
Adendo: Marcos é o representante dos trabalhadores no Conselho.

Nuvem de palavras

A nuvem de palavras é uma técnica de análise textual, onde um software seleciona as palavras mais usadas em um texto. Em geral, não se considera na nuvem as palavras de ligação  e algumas outras que podem distorcer a análise.

A nuvem acima foi construída a partir da nova estrutura conceitual do Iasb. Foi considerada somente dez palavras (isto pode ser regulado pelo analista). Percebe-se o destaque para o termo "financial" e "information", além dos conceitos de "asset, liability, income".
A nuvem acima é do CPC 00R1, onde predomina "informação" e "entidade", mas não "financeiro" ou termo que traduziria o "financial" da primeira nuvem. Mas atenção, a nuvem foi construída a partir da tradução e adaptação do CPC da norma anterior do Iasb. De qualquer forma, é curioso que uma das palavras mais usadas na norma seja "exemplo".

Contadora na GM

Em 13 de junho, a General Motors (GM), fabricante dos carros Buick, Cadillac e Chevrolet, disse que Dhivya Suryadevara, de 39 anos, assumirá o cargo de CFO em setembro. Suryadevara ingressou na empresa em 2005 e ocupou vários cargos ao longo dos anos. Desde julho de 2017, ela atua como vice-presidente de finanças corporativas.

Nascida na Índia, Suryadevara tem MBA por Harvard, além de graduação e mestrado em Madras. Ela trabalhou na PwC, UBS e, aos 25 anos, entrou na GM. Ela é "chartered financial analyst" e "chartered accountant". Fonte: Aqui

Ranking da Fifa

A Fifa, a entidade que regula o futebol mundial, resolveu adotar o rating Elo no futebol mundial. Este ranqueamento foi uma ideia de uma matemático, Arpad Elo, para o jogo de xadrez. Basicamente, cada jogador é classificado conforme o resultado de cada jogo. Se um jogador com menor pontuação ganha de outro com maior pontuação, seu ranking cresce.

De certa forma, o ranking de cada jogador é uma especie de previsão do resultado de uma partida. Assim, caso um jogador com ranking alto empate uma partida com um jogador de ranking mais baixo, a sua nova pontuação irá diminuir. O ranking é bastante intuitivo e sabemos, com base nele, as chances de ganhar, empatar ou perder uma partida de xadrez. Sabemos se um jogador é forte, mediano ou um jogador eventual. Temos a informação se um jogador está em forma, pois seu ranking subiu, ou está em má fase, se o Elo caiu. No xadrez calcula-se o ranking para os jogos normais, blitz e rápido. E ao final de cada jogo, é possível ter a nova pontuação.

Este sistema tem sido usado em outros esportes, com adaptações. No futebol feminino, o Elo é usado pela Fifa desde 2003. Assim, a melhor equipe mundial é os Estados Unidos, com um ranking de 2.115; o Brasil é a oitava melhor equipe, com 1968, após Inglaterra, Alemanha, Canadá, França, Austrália e Holanda.

No futebol masculino, a Fifa insistia em usar um sistema de pontuação diferente. O atual ranking é o seguinte:

1. Alemanha
2. Brasil
3. Bélgica
4. Portugal
5. Argentina
6. Suíça
7. França
8. Polônia
9. Chile
10. Espanha

Qualquer pessoa que entenda de futebol sabe que a listagem acima não reflete a qualidade das equipes. Por este critério, meses atrás a Polônia foi considerada um dos cabeças de chave da Copa da Rússia, pois estava bem posicionada no ranking. Usando uma relação não oficial a partir do Elo tem-se a seguinte relação:

1. Brasil
2. Alemanha
3. Espanha
4. França
5. Argentina
6. Portugal
7. Inglaterra
8. Bélgica
9. Colômbia
10. Peru

Nesta relação, a Polônia seria a 19a equipe, a Suíça a 14a. e o Chile a 15a. força.

Como tudo na Fifa, a questão é que a entidade não está seguindo os critérios Elo exatamente como deveria. Ela decidiu que jogos amistosos terão um peso menor que os jogos oficiais. Assim, o ranking não oficial acima pode sofrer alterações.

Leia mais aqui. (Figura: a fórmula adotada pela Fifa)

Copa do Mundo

Em imagens:
Noruega
Roma, Itália, e o aqueduto
 China
 Tóquio, Japão
 Suíça
Suíça e o Lago Geneva
 Haiti
 Mineira, Rio de Janeiro
 Rússia
 Escola da Somália
 Tatuyo, perto de Manaus, Brasil
 Tailândia
Mais aqui

Custo da Copa do mundo

A cada quatro anos, à medida que os torcedores se preparam para a Copa do Mundo, os pesquisadores se envolvem em um jogo: tentar determinar o quão caro é o torneio para os empregadores e as economias. (...) Para calcular o número de horas produtivas perdidas pelo torneio deste ano, supomos que o horário de expediente local é entre 9h e 17h e que 50% da força de trabalho de cada país estará interessada em assistir aos jogos. Estimamos que um total de US $ 14,5 bilhões em produto interno bruto em todo o mundo podem ser perdidos nas duas primeiras semanas do torneio.

A partir daí, porém, a história fica mais complicada. Talvez de forma não intuitiva, assistir ao futebol poderia, na verdade, contribuir para um dia de trabalho mais produtivo. Como um artigo recente demonstra, assistir ao futebol pode afetar a felicidade de um torcedor uma hora antes do início do jogo e até três horas depois que os jogadores desaparecem no túnel. Outra pesquisa mostrou que aumentar a felicidade das pessoas pode torná-las entre 10% e 12% mais produtivas no trabalho - o que significa que um bom dia em campo trará um bom dia no escritório. O problema é que o efeito negativo de ver o seu time perder é duas vezes maior do que o aumento da felicidade de vê-lo vencer.

Então, o que isso nos diz sobre a Copa do Mundo? Usando esses números como base, calculamos quanto o resultado esperado de cada jogo - baseado nas probabilidades dos corretores do Reino Unido - afetaria a produtividade dos trabalhadores. No total, descobrimos que metade dos 48 jogos da fase de grupos poderia ter consequências econômicas. Embora tais cálculos sejam inerentemente especulativos, eles podem, no entanto, contar uma história econômica útil. E neste caso, não parece bom.

Tome o jogo França-Peru. A partida está marcada para as 14h (horário da França) de quinta-feira, o que significa que os trabalhadores franceses estarão no trabalho uma hora antes e depois do jogo. Como a França tem uma alta probabilidade de ganhar esse jogo, estimamos que os trabalhadores franceses serão 4,4% mais produtivos naquele dia, o que implica um aumento de US $ 354 milhões no PIB. Isso pode parecer uma boa notícia. No entanto, esse impulso não chega perto de compensar os US $ 2 bilhões perdidos durante as duas horas do jogo em si - para não falar na queda do trabalho produtivo se a França perder de forma inesperada.

O Brasil oferece outra história preventiva. Seus jogos contra a Sérvia e a Costa Rica parecem ser caros, pois interrompem os dias de trabalho. Embora o Brasil esteja entre os favoritos para ganhar a Copa, o aumento da produtividade dessas vitórias não seria significativo ou duradouro o suficiente para compensar as horas perdidas de trabalho. Uma perda inesperada, por sua vez, poderia ser um desastre: se o Brasil fosse derrotado pela Costa Rica, a produtividade poderia diminuir em 14,4% nas horas após a partida.

(...) cabe aos empregadores decidir como lidar com os jogos. Considerando o que sabemos sobre como os esportes afetam a felicidade e a produtividade, o que eles devem fazer?

Uma opção é simplesmente ignorar a coisa toda e esperar que os funcionários apareçam normalmente. Outra poderia ser negociar: deixe os trabalhadores ajustarem seus horários para assistir aos jogos em troca de compensar o tempo perdido de alguma outra forma. Ambas as táticas minimizariam as interrupções no dia de trabalho. Mas eles também podem ser uma oportunidade perdida.

Uma terceira abordagem é seguir o exemplo da lenda do futebol holandês Johan Cruyff, que disse uma vez: "O ataque é a melhor defesa". Nesse espírito, por que não ligar a TV do escritório e convidar os funcionários para assistirem aos jogos juntos? É verdade que pouco trabalho será feito. Mas pense nisso como uma oportunidade para melhorar o engajamento, cultivar um senso mais forte de comunidade e criar alguma boa vontade a longo prazo.

Os benefícios de tal abordagem seriam mais difíceis de quantificar do que as perdas de horas de trabalho. Mas lembre-se que as maiores satisfações do futebol e dos esportes em geral são geralmente intangíveis - e que os verdadeiros custos e benefícios da Copa do Mundo quase certamente não podem ser medidos em dólares.

Maude Lavanchy e Willem Smit - How Expensive is The World Cup - Bloomberg - 15 de jun 2018

Rir é o melhor remédio

Fonte: Aqui

14 junho 2018

Protestos e Mídia Social

Um texto de Heldon Simões para o G1 mostra como o Facebook perdeu lugar para o WhatsApp como rede para organizar debates e mobilizações.

Segundo especialistas, acadêmicos, ativistas e empresários ouvidos pelo G1, em cinco anos, o aplicativo de bate-papo tornou-se a forma mais simples de se comunicar para muita gente que teve contato pela primeira vez com a internet; deu abrigo aos insatisfeitos com as políticas de distribuição de conteúdo do Facebook e; fomentou a criação em seu entorno de um submundo de empresas que, por exemplo, ganham milhares de reais dando visibilidade a grupos de conversa.

Nada disso, no entanto, seria possível sem que os smartphones virassem a principal ponte entre os brasileiros e o mundo online.


Tenho outra hipótese: o celular. O aparelho possui maior alcance e certamente é muito mais fácil usar o Wpp do que o Facebook.

Copa do Mundo e Traders


Baseado na última copa do mundo, os traders mais ligados na Copa do Mundo estão no Brasil e Alemanha. Ou melhor, os traders mais distraídos.

Projeções na Copa do Mundo

Início da Copa do Mundo e muitas projeções sobre o torneio. Soccernomics está prevendo uma final Brasil e Espanha, com vitória brasileira. O interessante é que na projeção deles não existe empate.
O mesmo site, em outra postagem e usando oito rankings, faz uma projeção do ganhador estar entre Alemanha, Brasil e França, nesta ordem.
O PollingData calculou a dificuldade de classificação:
Usando o conceito de entropia, a previsão é a maior disputa no grupo H. 

O NYT procurou os grandes bancos para verificar a previsão: 

UBS = Alemanha
Goldman = Brasil
ING = Espanha
Nomura = França ou Espanha

Sobre o Goldman, o mesmo destacou o fato de usar Inteligência Artificial para fazer a previsão. Em março, na bolsa de apostas, a Alemanha era favorita. Mas hoje, o Paddy Power mostra que os apostadores acreditam no Brasil, com 17% de chance (ou 5/1), com Neymar favorito para artilheiro (11%)

China e Energia

A redução das perdas representa um incentivo pequeno. A explicação do custo de capital também é questionável. Há o componente político em assumir esses negócios.

Prudência na nova Estrutura Conceitual

Desde 2008, os reguladores sofreram uma grande pressão para voltar a incorporar, na estrutura conceitual, a prudência. Com a crise, os ativos avaliados a valor de mercado tiveram redução, influenciando nos resultados das entidades. A contabilidade, ao não usar a prudência, fez com que empresas apresentassem grandes prejuízos, o que teria um efeito de alimentar, ainda mais, a crise econômica. Assim, a estabilidade econômica poderia ser uma das finalidades da estrutura conceitual. A comunidade europeia chegou a ameaçar retirar as doações dos seus países para o Iasb em 2013.

Aparentemente a pressão parece que produziu resultado. Em 2018, ao aprovar uma nova estrutura conceitual, o Iasb afirmou que a neutralidade é apoiada (supported, no original) pelo exercício da prudência. Fazendo uma ginástica para justificar a presença da prudência na sua estrutura conceitual, o regulador internacional, o Iasb, afirma que a prudência não significa que os ativos e as receitas estariam subestimados e o passivos e despesas superestimados. Entretanto, usar a prudência é exatamente isto, o que parece um contrassenso. Eis o que diz a norma:

Neutrality is supported by the exercise of prudence. Prudence is the exercise of caution when making judgements under conditions of uncertainty. The exercise of prudence means that assets and income are not overstated and liabilities and expenses are not understated. Equally, the exercise of prudence does not allow for the understatement of assets and income or the overstatement of liabilities and expenses, because such mis-statements can lead to the overstatement of income or the understatement of expenses in future periods

Kindle II


Nos comentários do primeiro post sobre o Kindle e em algumas conversas no Instagram surgiu o assunto: Kindle e os estudos.

Falando-se apenas do aparelho Kindle – e não do app e da biblioteca: não acredito ser a melhor opção para usar para estudar, especialmente pelo tamanho físico. Havia um modelo anterior chamado Kindle DX que era fantástico para livros técnicos e PDFs... Mas nesse tamanho atual de 6 polegadas, não há praticidade na minha opinião. A não ser que seja uma consulta rápida...

Ao invés de usar o aparelho Kindle, prefiro um tablet. Aí o mundo é seu e você pode instalar qualquer app que se adeque melhor às suas necessidades, incluindo o do próprio Kindle, para ter acesso à sua biblioteca. (Também é possível instalar o aplicativo no seu computador ou ler as obras pelo browser da web mesmo, caso prefira ou necessite. Eu uso todos!)

Fonte da imagem: Aqui
Acredito que por causa da pirataria, muitas obras nacionais nem cheguem a virar epub, então não escolha um Kindle pensando apenas em utilizá-lo para os estudos. (Coloque o termo “contabilidade” na busca de livros da Amazon e, em seguida, filtre apenas “loja kindle” para ver como o catálogo diminui!) Ainda, de uma forma geral, não acho que os preços de livros técnicos sejam muito melhores, então também é um atrativo a menos. O Manual FIPECAFI, por exemplo, é apenas R$ 10 mais barato. O que pesa a favor, no caso, é poder consultar o seu material em qualquer lugar.

Eu cheguei a comprar e-book da editora Atlas e agora nem me lembro qual aplicativo eles usavam porque era tão ruim que deletei. Agora então, que mudou para editora Gen, nem sei se migraram esses dados. Então evite comprar os livros virtuais direto das editoras, a não ser que liberem o download. Prefira sites como Amazon (Kindle), Cultura (Kobo), Saraiva (Lev), além do Google Play.

Rir é o melhor remédio

Fonte: Aqui

13 junho 2018

Manipulação no Bitcoin

Uma concentração de manipulação de preços pode ter respondido por pelo menos metade do aumento no preço do Bitcoin e outras grandes criptomoedas no ano passado, de acordo com um estudo divulgado na quarta-feira por um acadêmico com histórico de fraude nos mercados financeiros. .

(...) Griffin analisou o fluxo de tokens digitais entrando e saindo da Bitfinex e identificou vários padrões distintos que sugerem que alguém ou algumas pessoas na bolsa trabalharam com sucesso para aumentar os preços quando eles caíram em outras bolsas. Para fazer isso, a pessoa ou pessoas usaram uma moeda virtual secundária, conhecida como Tether, que foi criada e vendida pelos proprietários do Bitfinex, para comprar essas outras criptomoedas.


Continue lendo aqui

Contas com Ressalvas

O Tribunal de Contas da União (TCU) fez 4 alertas, 24 ressalvas e 22 recomendações, ao se posicionar a favor da aprovação das contas do presidente da República, Michel Temer, no exercício de 2017. Em sessão nesta quarta-feira, 13, o tribunal enfatizou a deterioração fiscal do país nos últimos anos e projetaram uma possível paralisação da máquina pública nos próximos anos diante da dificuldade de cumprir o teto de gastos. O julgamento sobre as contas do governo é uma atribuição do Congresso Nacional, para onde o parecer do TCU será encaminhado.

Continue lendo aqui. Sobre a participação do TCU na aprovação das contas, clique aqui

Links

Alexa, Cortana, Siri... afinal para que servem vocês?

Amazon: Foxconn investiga fábrica do Kindle e da Alexa
Nova série baseada em Senhor dos Anéis

Os crimes que alimentaram um fantástico museu brasileiro

Truques para melhorar a busca no Google

Novo supercomputador mais poderoso do mundo entra em operação nos EUA

10 junho 2018

Auditoria em gráfico

Três gráficos da AuditAnalytics



Controle de velocidade de vídeo

A vida é curta, fale rápido
Se por algum motivo você assiste a muitos vídeos no seu computador, indico a extensão “Vídeo Speed Controler” para o Google Chrome. Dá para mais que dobrar a velocidade sem perder a inteligibilidade. 

Vale para desde aquele curso à distância, até os videozinhos legais no YouTube.

Efeito adverso: impaciência com a velocidade da fala na vida real.