Translate

24 fevereiro 2018

Um tuíte valendo ... 2

Reuteurs insinua que Kylie Jenner, que destruiu US$1 bilhão do valor da Snapchat, deveria ensinar os contadores. Going Concern responde:

se o valor da sua empresa é altamente dependente dos caprichos de pseudo-celebridades superficiais e vagas, então, descobrir como explicar isso pode valer a pena. Eu acho que isso também pode ser um sinal de que você não tem muito negócio

Warren Buffett deixa conselho da Kraft Heinz

Fonte: Aqui
O bilionário Warren Buffett vai renunciar ao conselho de administração da empresa de alimentos americana Kraft Heinz ao fim do seu mandato, em abril, segundo comunicado divulgado ontem pela companhia.

O empresário, que tem 87 anos de idade, tomou a decisão porque quer diminuir suas viagens. Segundo o jornal “O Estado de S. Paulo”, o conselho da Kraft Heinz deve nomear Alexandre Van Damme como candidato ao cargo de Buffett na eleição que deve acontecer na assembleia anual da companhia, que deve acontecer no dia 23 de abril. Van Damme é membro do conselho da Anheuser-Busch Inbevand Restaurantes Brands International e diretor do centro de doação de medula DKMS.

Em comunicado, o presidente do conselho de administração da Kraft, Alex Behring, afirmou que trabalhar com Buffett nos últimos cinco anos “tem sido uma honra”. “Suas várias imensuráveis contribuições para a Kraft Heinz terão um impacto duradouro na companhia nos próximos anos”, disse o executivo. “O conselho pretende continuar a parceria com seu maior acionista, Berkshire Hathaway.”

Fonte: Aqui

Um tuíte valendo US$1 bilhão

Um simples tuíte fez uma empresa perder mais de US$1 bilhão em valor de mercado. Na quinta feira, Kylie Jenner (quem?) tuitou uma mensagem onde expressa seu descontentamento com a nova versão do Snapchat dizendo algo como “alguém não abre mais o Snapchat ou sou só eu?”. Muitos responderam de maneira afirmativa, em razão das mudanças recentes no aplicativo.

Com apenas 20 anos, Jenner é considerada uma das jovens mais influentes do mundo. Possui uma grande presença nas mídias sociais, assim como sua família. E tem uma marca de perfumes com um grande crescimento nas vendas. 

Rir é o melhor remédio


23 fevereiro 2018

Resenha: O Ódio Que Você Semeia

Fonte: Aqui
As resenhas são publicadas às quartas, mas vou antecipar esta na vibe Seven Seconds que está no Netflix (só assisti o trailer – que me lembrou desta resenha incompleta – e, por isso, cá estou), hoje quero falar sobre o livro “O Ódio Que Você Semeia” da Angie Thomas. Eu o li no fim do ano passado e, para mim, foi sem dúvida nenhuma a melhor obra do ano. Muitos concordam, já que o livro ganhou diversos prêmios em 2017, incluindo Melhor Estreia e Melhor Ficção Young Adult.

A história foi inspirada pelo movimento “Black Lives Matter” (As Vidas Negras Importam) que ocorreu em 2014 após muitos jovens negros morrerem injustamente nas mãos de policiais e narra a vida de Starr Carter, uma adolescente de 16 anos que presenciou a morte de um amigo. A trama mostra dois lados da vida de Starr: um em seu bairro pobre, periférico e negro; outro em sua escola cara, rica e com colegas brancos.

O balanço entre os mundos é quebrado quando ela presencia Khalil, um amigo de infância, ser baleado por um policial. A notícia se tornou manchete e muitos julgaram o jovem como sendo traficante ou membro de uma gangue. Há protestos tomando as ruas em defesa de Khalil. Policiais e o chefe do tráfico tentam intimidar Starr... Mas o que todo mundo quer saber é: o que aconteceu naquela noite? O que ela responder pode afetar a comunidade dela e até arriscar a própria vida. O que você faria?

Eu traduzi aqui um pouco da sinopse, mas não há palavras que resumam com qualidade o poder desta obra. O que mais me impressionou foi a capacidade da autora em nos fazer sentir, em nos envolver com a história. Eu vi ali muitas coisas sobre racismo que eu realmente nem imaginava e gostaria que mais pessoas tivessem a oportunidade de entender. E é tudo contado de uma forma que me pareceu muito harmônica e bela para uma situação trágica. Eu virei uma fã da autora e aguardo ansiosamente pelo seu próximo livro.

Eu li alguém perguntando em um fórum se este é o tipo de livro que capitaliza em cima de problemas sociais, políticos ou raciais e este não é o caso. Apesar dos três serem tópicos que merecem atenção, como foi bem lembrado por quem respondeu essa questão, não há o sentimento de militância ou superioridade. Existem livros que ensinam coisas importantes... existem livros que você começa a ler e só consegue parar quando termina... e O Ódio Que Você Semeia é os dois.

A obra será adaptada para o cinema, com a atuação da Amandla Stenberg (The Hunger Games, Tudo E Todas As Coisas).

Vale a pena: Sim. E espero que um dia seja leitura obrigatória nas escolas. Eu definitivamente não fiz jus ao livro, mas espero que a indicação valha para instigar a leitura porque é realmente um tema importante e foi escrito por Angie Thomas da melhor forma possível.

Rir é o melhor remédio

Fonte: Aqui

22 fevereiro 2018

Ajuda em Pesquisa

Uma mestranda, Bruna Socreppa, de Sinop, aluna do mestrado, está solicitando apoio em uma pesquisa acadêmica. O link é aqui. O questionário pode ser respondido em menos de cinco minutos.

21 fevereiro 2018

Os mais citados

Em 2014, a Nature fez a relação das obras mais citadas. A revista usou o Scholar para fazer este levantamento. Em outubro de 2014 o texto mais citado era um artigo da própria Nature, com mais de 200 mil citações.

Tomei a relação da Nature e fiz uma atualização dos valores. Isto é, usando o Scholar, as 18 horas do dia 21 de fevereiro de 2018, ou três anos e meio depois. Só pesquisei os 15 primeiros da lista original e o resultado foi o seguinte:
O artigo de Laemmli, de 1970, aumentou neste período, 15% o número de citações. Nada mal, já que entre os 15 artigos, o texto sobre biologia ainda é o mais citado. Entre os quinze primeiros, Yin (que muitos brasileiros gostam de citar para sustentar o estudo de caso), Kuhn (que já foi mais influente), Zar e Cohen são muito mais obras de apoio. (Na relação dos 100 mais citados apareciam também Siegel, Greene, Steel, Miles, Hair, Kaplan, Cox, entre outros, com este mesmo enfoque)

Algumas obras mudaram um pouco, como é o caso de Maniatis, que possui outra autoria. É importante notar a grande presença de livros entre os mais citados: entre o 4o e o 12o., todos são livros, exceto o texto de Shannon. São destacados com um fundo verde. Um autor brasileiro estava na relação dos 100 mais, Freire, com Pedagogia dos oprimidos.

Avaliações online e erros de redação

Uma relação curiosa encontrada pelo Priceonomics (via aqui): as avaliações online com uma estrela apresentam mais erros de ortografia e gramática do que os produtos avaliados com cinco estrelas. Além disto, estas avaliações são mais longas e mais detalhadas. E a quantidade de erros é bastante razoável. Esta pesquisa é válida para língua inglesa.

Rir é o melhor remédio


Portugal não é um país sério

Sabe o acordo ortográfico? Assinado em 1990, o acordo era uma tentativa de convergir na unificação da língua portuguesa escrita. Em julho de 2010 entrou em vigor em diversos países. Agora, um grupo de políticos está propondo que Portugal não faça parte do acordo e uma renegociação do mesmo:

Os deputados debatem esta quarta-feira, 21 de fevereiro, a proposta do PCP de desvinculação de Portugal do Acordo Ortográfico, a par de uma petição com mais de 20 mil assinaturas no mesmo sentido.

O projeto dos comunistas “recomenda o recesso de Portugal do Acordo Ortográfico de 1990, acautelando medidas de acompanhamento e transição, a realização de um relatório de balanço da aplicação do novo Acordo Ortográfico da língua portuguesa e uma nova negociação das bases e termos de um eventual Acordo Ortográfico”.

20 fevereiro 2018

Mais RBS

É possível um banco ser acusado de sistematicamente falsificar a assinatura de pequenos clientes? Sim, em um pequeno banco isto deve ocorrer. Onde? Provavelmente em um país subdesenvolvido.

Errado e errado. Estamos falando do Royal Bank of Scotland (RBS), que anteriormente esteve nas notícias por problemas na contabilidade e na remuneração de seus executivos. É um bando que fica nas terras reais do Reino Unido, um país desenvolvido. Já foi comprovado que um professor aposentado e uma bisavó tiveram as assinaturas falsificadas. A Sra. Mackay, a bisavó, não queria somente a devolução do dinheiro, mas um pedido de desculpa e admissão de culpa. E conseguiu. O RBS pediu desculpas e ofereceu uma compensação de 500 libras, além de admitir a falsificação, embora tenha dito ser um incidente isolado.

O problema respingou no regulador bancário, que tentou encobrir outras falcatruas do RBS. As informações vazaram. Os resultados de 2017 devem trazer o peso dos problemas da Carillion (vide aqui), além de outros litígios. Se for divulgado um prejuízo, será o décimo seguido, apesar do aporte de 45 bilhões de libras na crise, que somados aos prejuízos nos últimos anos chega a um valor de 90 bilhões de libras. É uma Eletrobras dos britânicos (vide aqui)

Auditoria

Dois textos publicados recentes sobre a auditoria. O primeiro, a relação entre auditoria e a tecnologia:

Numa primeira instância, a função tem ela própria de adaptar as suas metodologias e técnicas para estar apta a auditar com sucesso as novas realidades. Auditar um processo maioritariamente manual é diferente de auditar um processo automatizado, que por sua vez é diferente de auditar um processo robotizado. Com o surgir da inovação, surgem novos riscos e requisitos de compliance a que a função tem de estar atenta.

Por outro lado, sendo premissa fundamental e inquestionável da AI a sua independência funcional, a evolução da função e das organizações em geral tem valorizado a sua vertente de aconselhamento estratégico e operacional. Tendo como grande valência o seu olhar abrangente e isento sobre a organização, a Auditoria Interna pode suavizar o processo de transformação organizacional, sensibilizando as unidades de negócio para riscos emergentes e para boas práticas de controlo em diferentes contextos. A título de exemplo, a figura do Data Privacy Officer (DPO) que o RGPD prevê pode beneficiar imensamente da experiência da AI na sua função de monitorização periódica, p.e. através de checklists.


O segundo, mais polêmico, sobre a atuação do TCU na área pública:

Freitas acusou a equipe técnica do Tribunal de levantar suspeitas sem apresentar provas do que julga estar irregular. “Esse relatório causou muita revolta aqui dentro. Os auditores do TCU não são os ‘papas’ do universo. Tem muito absurdo nesse relatório, que faz insinuações e não apresenta evidências. Vamos rechaçar. Estamos seguros do que colocamos lá e vamos nisso até o fim”, disse.

Oxfam e o escândalo do Haiti

A Oxfam é um conjunto de 19 organizações independentes de caridade que atua no mundo todo, com sede na Inglaterra. Esta entidade foi fundada durante a segunda guerra mundia, por um grupo de Quakers e acadêmicos de Oxford. Naquele momento, a preocupação da ONG era em ajudar os gregos, que estavam sofrendo com a ocupação nazista e o bloqueio naval dos aliados.

Mais recentemente, a entidade tem atuado na redução da pobreza e da injustiça, com o foco na fome, o que inclui questões vinculadas ao comércio e a produção em regiões pobres, além da prática de preço justo. Também tem atuado divulgando informações sobre transparência fiscal e concentração de riqueza no mundo. Uma das formas de atuação da entidade tem sido a venda de produtos fabricados na África, Ásia e América do Sul, através de 1.200 lojas existentes.

Junto com as realizações, as críticas. A entidade tem sido criticada por ter uma estrutura interna pouco democrática e preocupada mais com os sintomas do que com as causas da pobreza internacional, com um foco nas políticas neoliberais. Além disto, a ONG tem sido acusada de ter um foco na media, divulgando informações errôneas. A briga com a Starbucks sobre o café na Etiópia e a acusação de ajudar palestinos em atividades ilegais são algumas polêmicas que a entidade se envolveu nos últimos anos. Os dados sobre a concentração de riqueza no mundo (que divulgamos aqui) também foram questionados na sua metodologia.

Em fevereiro de 2018, a Oxfam foi acusada pelo jornal The Times de problemas de má conduta relacionado com exploração sexual, pornografia e bullying. Um relatório da própria entidade, de 2011, já apontava uma cultura de impunidade no Haiti, país que tinha sido devastado por um terremoto. Os funcionários da Oxfam admitiram o uso de prostitutas com fundos da entidade e, algumas delas, provavelmente menores de idade. Depois da descoberta do assunto, a presidência da Oxfam tentou uma saída para preservar a entidade, não relatando os casos para as autoridades do Haiti e evitando que o relatório produzido pela própria Oxfam fosse discutido internamente. Mais ainda, as investigações descobriram que as mesmas pessoas também usaram os serviços de prostitutas no Tchad, em 2006. Com a divulgação dos problemas ocorridos no Haiti, a ONG começou a agir, demitindo alguns funcionários.

Ao contrário de uma empresa, que se esconde quando ocorre um escândalo (vide as empresas envolvidas nas operações de investigação que evitam colocar estes fatos na páginas e nos relatórios contábeis), o Oxfam fez um comunicado sobre o fato. Isto aparece com destaque na sua página em inglês, assim como na página da entidade no Brasil. A seguir o comunicado:

Os casos de abuso sexual envolvendo integrantes da Oxfam Grã Bretanha são revoltantes e inadmissíveis, e devem ser condenados sem contemporização. É preciso reconhecer os erros cometidos. Os casos denunciados não foram tratados com a rigidez necessária e nem foram tomadas as medidas cabíveis. É preciso não apenas pedir desculpas às vítimas de assédio e abuso sexual, mas principalmente tomar providências para que isso não volte a ocorrer.
A Oxfam Brasil acredita que momentos de crise como este exigem o máximo de transparência e ações concretas e imediatas. Está sendo feito um trabalho com as demais afiliadas para que os fatos sejam divulgados de forma irrestrita. Uma comissão independente para investigação externa está sendo formada para a identificação dos erros cometidos e a prevenção de futuros casos. Os procedimentos de recrutamento também estão passando por um processo de revisão, o qual poderá contribuir para o aperfeiçoamento do setor de ajuda humanitária internacional.
Esse contexto exige a renovação de políticas, práticas e lideranças. Não pode haver espaço na Oxfam para quem abusa da posição de poder e da confiança de milhares de pessoas, nem para quem tem a obrigação de agir e não o faz.
Mas não se deve perder o horizonte da verdadeira força motriz da Oxfam – uma organização formada por milhares de pessoas ao redor do mundo comprometidas em salvar vidas, erradicar a pobreza, reduzir as desigualdades e lutar para uma vida melhor para todos.
Sobre o episódio referente a Juan Alberto Fuentes Knight, a Oxfam Brasil considera que seu indiciamento e prisão provisória na Guatemala tornou insustentável sua permanência no cargo de presidente do Conselho da Oxfam Internacional, ainda que o caso seja do período anterior ao seu mandato com a organização. Desde a noite de ontem (terça-feira, 13) ele não está mais no cargo.
A Oxfam Brasil reforça seu compromisso com a luta contra a exploração de pessoas em situação de vulnerabilidade e a defesa da justiça de gênero.
Espera-se que esse doloroso momento indique um caminho de fortalecimento de uma organização com mais de 70 anos, presente em cerca de 90 países, com mais de 10 mil funcionários e 50 mil voluntários, salvando incontáveis vidas ao longo de sua história. Atualmente a Oxfam está operando em mais de 30 situações de emergência pelo mundo, dos conflitos armados na Síria e Iêmen a desastres naturais na Índia e fome extrema no Sudão do Sul, provendo água limpa para beber, saneamento básico e apoio a famílias que perderam tudo o que tinham. Só na Síria, Jordânia e Líbano a Oxfam está atendendo cerca de 2 milhões de pessoas. É pensando nessas pessoas que a Oxfam tem a obrigação de ser maior do que seus erros.

Rir é o melhor remédio

Isto que é uma selfie.

19 fevereiro 2018

Valor de Zero unidades monetárias

Nos tempos de discussão sobre o valor da moeda (e da moeda digital), a notícia de que um nota de ZERO euros é interessante. Segundo o Jornal Econômico, uma nota de zero euros, com a figura de Eusébio da Silva Ferreira, está sendo lançada, com uma tiragem de cinco mil exemplares. A nota de zero euros custa três euros e fez sucesso na Alemanha. Em Portugal, a nota corresponde a uma parceria com os clubes Sport Lisboa e Benfica, onde o jogador atuou.

Tecnologia na Universidade

Rogoff analisa a lenta adoção de tecnologia no ambiente universitário.

Enfrentémoslo: los docentes universitarios no están más dispuestos a ver cómo la tecnología interfiere en sus empleos que cualquier otro grupo. Y, a diferencia de la mayoría de los trabajadores industriales, los docentes universitarios tienen un enorme poder sobre la administración. Cualquier decano universitario que se atreva a ignorarlos normalmente perderá su empleo mucho antes que cualquier miembro docente.

O interessante é que poucos professores se deram conta do aumento da concorrência da sua aula. Eles entendem isso como uma distração, como é o caso do aluno que olha o celular enquanto o professor explica a matéria. Além disto, diante de um problema, o Youtube possui aulas interessantes que são mais didáticas que um professor universitário. E existem muitas oportunidades de adquirir o conhecimento nos dias atuais: cursos de instituições estrangeiras de renome, pequenos vídeos sobre assuntos específicos, verbetes da wikipedia, entre outros. E postagens de blogs !

16 fevereiro 2018

Emitindo debêntures e aplicando em títulos públicos

O que você diria de uma empresa cujo principal negócio é captar recursos através de debêntures e aplicar este dinheiro em títulos públicos? Parece algo estranho, mas esta empresa existe, publica suas demonstrações e consegue captar uma grande quantidade de dinheiro dos investidores. Para se ter uma ideia, o ativo da empresa chegou a 69 bilhões de reais no final de 2017, sendo que boa parte deste valor eram títulos do governo.

Chega de suspense; a empresa é o Bradesco Leasing, que no seu balanço do final de 2017 apresentava uma captação de debêntures de R$ 64 bilhões (passivo de longo prazo) e uma carteira própria de 54 bilhões, basicamente em LTN e NTN (36 e 14 bilhões, nesta ordem). No ano passado, o valor do ativo era maior (102 bilhões) assim como os recursos de Debêntures (102 bilhões também).

A Demonstração dos Fluxos de Caixa é mais estranha ainda. De um lucro líquido de 0,3 bilhões, o caixa das atividades operacionais chega a 38 bilhões, em razão das variações do ativo de curto prazo, enquanto o caixa usado nas atividades de financiamento foi também de 38 bilhões.

Segundo a nota da empresa, a instituição tem por objetivo a prática de atividades de arrendamento mercantil. No ano passado já tinha notado este balanço esdrúxulo e mandei um e-mail para o RI, nos seguintes termos:

O balanço patrimonial mostra uma redução no item Aplicações Interfinanceiras, de 56 para 18.5 bilhões de reais. Enquanto isto os títulos e valores mobiliários aumentaram de 35 para 83,6 bilhões. São valores expressivos e não existe nenhuma observação nas notas explicativas para as variações. Mais ainda, na DFC existe uma redução de 21.8 bilhões no caixa das atividades operacionais, decorrentes principalmente do aumento em títulos e valores mobiliários. Parte desta variação foi absorvida com emissão de debêntures (11 bilhões) e parte com redução de Caixa e Equivalentes (11 bilhões)

Diante do exposto, o que justificaria estas variações?


Logo depois recebi a seguinte resposta nada esclarecedora a entidade:

As variações refletem o curso normal das operações e estão de acordo com a política adotada pela tesouraria para o gerenciamento e administração do fluxo de caixa da companhia de acordo com suas necessidades visando a melhor alocação dos recursos.


Na verdade, parece que a atividade de arrendamento é responsável por uma pequena parte dos valores que transitam pelo banco. Em 2017, as operações geraram 1,7 bilhão para uma receita total de 9,6 bilhões.

Em 2016 existe nas demonstrações a seguinte nota:
A norma é de setembro e meses antes a entidade fez uma operação de repactuação de emissão de debêntures.

Não sou acionista da entidade, nem seu cliente. Aqui o interesse é puramente acadêmico de tentar entender: (1) grandes movimentações em uma entidade; (2) como uma empresa de arrendamento tem como principal ativo Letras do Tesouro Nacional e Notas do Tesouro; e (3) como a regulação do Banco Central afetou os efeitos que ocorreram na entidade.

Nem o RI da entidade e nem o estudo das demonstrações contábeis da entidade permitiram entender isto. O mais relevante: como uma instituição tem como principal negócio emitir debêntures e aplicar o dinheiro em títulos público?

Rir é o melhor remédio

Propósito x Eu

Fonte: Aqui

15 fevereiro 2018

Custo do Pokémon Go

Recentemente comentamos sobre o experimento natural, como uma metodologia que tem sido usada cada vez mais nas pesquisas científicas. Uma pesquisa conduzida em uma cidade do interior dos Estados Unidos (Tippecanoe, Indiana) tentou verificar o efeito do jogo Pokémon Go no trânsito. Recentemente este jogo tornou-se uma febre, quando pessoas tentavam capturar o seu Pokémon, a exemplo do desenho japonês.

Mara Faccio e John J. McConnell, usando dados de acidente de trânsito, comprovaram um aumento desporporcional no número de batidas de automóveis depois do surgimento do jogo. Muitos motoristas jogavam enquanto dirigiam, o que seria responsável pelos acidentes de automóveis. Esses sinistros tiveram um custo para a localidade estimado entre 5,2 a 25,5 milhões de dólares. Extrapolando para o país, Faccio e McConnell estimaram num custo entre 2 a 7,3 bilhões de dólares.

Risco de Extinção da profissão 2

Ainda sobre o risco de extinção da profissão, eis um trecho de um artigo publicado no Valor Econômico (14 de fev 2018, p. A9) sobre o assunto:

Quando um software de planilhas apareceu na década de 1980 previu-se que ele dizimaria empregos na área de contabilidade. Na verdade, o número de contadores e auditores que trabalham nos Estados Unidos aumentou - de 1,1 milhão em 1985 para 1,4 milhões em 2016. A nova tecnologia expandiu o escopo do que os contadores poderiam fazer e gerou uma maior demanda por seus serviços. Esse é um dos subprodutos essenciais do aumento da produtividade - maior demanda pelos novos benefícios, que se tornaram possíveis pela tecnologia.

Basicamente Spiesshofer, da empresa ABB, argumenta que o medo da obsolescência humana no trabalho é um erro. O que deve mudar é que certos trabalhos serão redundantes, mas outros serão criados.

(A figura acima é dos Jetsons, onde existia a previsão do carro voador, que até hoje não se concretizou)

Rir é o melhor remédio

Ninguém lê a nota de rodapé...


Algo como: Este capítulo poderia ter se chamado "Introdução", mas ninguém lê a introdução e nós queríamos que você lesse isto. Nos sentimo seguros em admitir isto aqui, nas notas de rodapé, porque, igualmente, ninguém lê as notas de rodapé.

Fonte: Aqui

14 fevereiro 2018

Auditoria pelo mundo

Em junho de 2017, o Banco Popular, um dos maiores da Espanha e com uma forte participação em negócios com pequenas e médias empresas, teve suas ações suspensas e, depois de uma intervenção por parte dos reguladores espanhóis, foi vendido por 1 euro para o Santander. Antes disto, em maio de 2017, a empresa de auditoria Deloitte foi contratada pela Junta Única de Resolución (JUR) para avaliar a instituição e fez uma análise negativa. Agora, o El Mundo divulgou que em 2016 a Deloitte tinha assessorado o banco, num aparente conflito de interesse com o trabalho realizado na fase mais conturbada da entidade. A Deloitte informou que a remuneração de mais de 300 mil euros era para assessorar na implantação da IFRS 9.

Da Espanha para África do Sul. A PwC foi contratada pela Steinhoff para investigar como ocorreram as irregularidades contábeis na empresa de varejo (o auditor era a Deloitte). Com os problemas, a empresa de varejo perdeu 15 bilhões de dólares de valor de mercado. Agora parece que a PwC apresentou um relatório sobre o escopo das investigações conduzidas nos últimos dias.

A mesma PwC e novamente a Espanha. O Instituto de Contabilidad y Auditoría de Cuentas (ICAC), subordinado ao Ministério da Economia do país europeu, multou a PwC em 10,5 milhões de euros por falhas graves nos seus trabalhos na empresa AENA, que atua no ramo de administração de aeroportos.

El Instituto de Contabilidad y Auditoría considera que PwC, que dirigió la salida a Bolsa de AENA, no podía haber realizado la adaptación de la contabilidad a las nuevas Normas Internacionales de Contabilidad (NIC), como sí hizo, ni tampoco podía traducir al inglés los estados contables, como también realizó.

Las nuevas normas contables establecen límites a los auditores y restringen la prestación de otros servicios y que cobren por otros trabajos para garantizar la independencia de las firmas.

Uma atualização: um grupo de minoritários do LCB, uma instituição falida acusada de lavagem de dinheiro ligado ao tráfico de drogas e associação com o Hizbollah, com sede no Líbano, acusam a filial da Deloitte no Líbano de falhar no seu papel.

Imposto de Renda 2018

[...] Nesse ano, os formulários serão aceitos de 2 de março ao dia 27 de abril. Conforme alertam especialistas, ter todas as informações com antecedência evita erros no preenchimento. Neste ano, devem declarar aqueles que receberam rendimentos tributáveis de até R$ 28.559,70, em 2017.

— Os documentos mais importantes que precisam estar em dia são a cópia da declaração do Imposto de Renda do ano anterior (para comparação e checagem de informações), recibos, notas fiscais ou boletos pagos de transações patrimoniais, como a compra ou venda de imóveis ou veículos, recibos e notas fiscais de serviços médicos e odontológicos e comprovantes de contribuição previdenciária para empregados domésticos com carteira assinada — destaca Welinton Mota, diretor tributário da Confirp, Consultoria Contábil.

Vale lembrar que o informe de rendimentos dos bancos e o informe de rendimentos do empregador são essenciais para a declaração, porém, só ficam disponíveis semanas antes do início do prazo de entrega.


[...]
De acordo com Silvinei Toffanin, diretor da Direto Contabilidade Gestão e Consultoria, é preciso ficar atento aos gastos mais comuns para não cometer erros banais.

— Dados sobre empregados domésticos, aluguel, despesas com saúde, educação, investimentos e aplicações são imprescindíveis e merecem grande atenção. Por isso, é preciso deixar tudo organizado em uma pasta, especialmente os informes de rendimentos, para não ter dor de cabeça durante a entrega — diz.

RASCUNHO JÁ ESTÁ DISPONÍVEL

Para evitar dor de cabeça na entrega, o contribuinte pode optar por fazer o rascunho da declaração, já disponível no site da Receita. Esse recurso importa dados de 2017 e traz a maioria dos questionamentos que virão no preenchimento da declaração oficial. Segundo Welinton Mota, usar a ferramente é uma ótima saída para evitar erros.
[...]

Vale lembrar que Receita exige, no momento da declaração, o CPF para os dependentes a partir de oito anos. Para obter o documento basta se dirigir a uma agência da Caixa Econômica Federal, do Banco do Brasil ou dos Correios. É necessário apresentar o RG ou a certidão de nascimento da criança e um documento com foto que comprove a responsabilidade sobre o menor.

Fonte: Aqui

Teclas de atalho que todos deveriam saber

1 – Ctrl + C ou Ctrl + Insert
Talvez o Ctrl + C seja o atalho mais usado na computação. Os atalhos acima fazem a exatamente a mesma coisa: copiam o texto ou o arquivo selecionado.

2 – Ctrl + V ou Shift + Insert
O Ctrl + V é casado com o Ctrl + C. Sempre andam juntos. Isso acontece porque, a medida que o Ctrl + C copia o Ctrl + V cola. Faça o teste você mesmo, copie o texto abaixo e depois cole num bloco de notas usando um dos atalhos acima:

3 – Ctrl + Z e Ctrl + Y
O primeiro atalho, o Ctrl + Z, tem a função de desfazer a ação anterior. Por exemplo, se você conseguiu copiar e colar o texto acima num bloco de notas, vá novamente até ele novamente e utilize o atalho Ctrl + Z. Você perceberá que o comando irá desfazer a ação anterior, no caso, colar o texto. Assim o texto desaparecerá. Em muitos casos é possível usar o atalho Ctrl + Z várias vezes, para voltar várias etapas de ações ou comandos.

Já o atalho Ctrl + Y tem a função de refazer o que o Ctrl + Z desfez.

4 – Ctrl + F
O atalho Ctrl + F tem a função de pesquisa. Na grande maioria dos programas, incluindo o navegador pelo qual está lendo essa matéria, suporta esse atalho. Faça o teste! Aperte agora mesmo as teclas Ctrl + F e digite qualquer letra ou palavra. O navegador fará uma busca na página.

5 – Alt + Tab ou Ctrl + Tab
O atalho Alt + Tab tem a função de alternar entre as janelas e programas abertos no Windows. Isso agiliza muito o trabalho quando você está usando dois ou mais programas ou janelas.

Já o atalho Ctrl + Tab tem uma função semelhante. Ele alterna em as abas. Os navegadores atuais trabalham com abas. Faça o teste! Abra mais duas abas no seu navegador. Agora aperte as teclas Ctrl + Tab.

Poderá também mover as janelas e abas para trás. Para isso adicione a tecla Shift aos atalhos. Ficaria assim: Alt + Shift + Tab ou Ctrl + Shif + Tab.

No Windows Vista e Windows 7 os usuários poderão usar o atalho Windows + Tab para alternar entre as janelas e programas abertos.

6 – Ctrl + Backspace e Ctrl + Seta Esquerda ou Direita
O atalho Ctrl +Backspace tem a função de apagar uma palavra inteira, em vez de apenas um caractere por vez.

O atalho Ctrl + Seta para esquerda ou direita tem a função de movimentar o curso pelas palavras. Assim ao invés de ficar pressionando a Seta para esquerda ou direita até chegarmos no ponto desejado, seguramos o Ctrl junto e agilizamos o nosso trabalho. Se você quiser selecionar as palavras pelas quais o curso está passando, basta pressionar o Shift junto. O atalho, nesse caso, ficaria assim: Ctrl + Shift + Seta para Esquerda ou Direita.

7 – Ctrl + S
O atalho Ctrl + S tem a função de salvar. Então lembre-se, sempre que estiver trabalhando com algo importante, use constantemente este atalho.

8 – Ctrl + Home ou Ctrl + End
Os atalhos Ctrl + Home e Ctrl + End tem a função de mover o cursor até o inicio do documento e mover o cursor até o final do documento respectivamente. Faça o teste! Use esses atalho aqui na página do Guia do PC e veja o que acontece.

9 – Ctrl + P
O atalho Ctrl + P tem a função de abrir uma pré-visualização de impressão. Faça o teste! Pressione agora as teclas Ctrl + P e veja como ficaria essa matéria impressa. Poderá imprimi-la e distribuir aos seus amigos e familiares.

10 – Page Up, barra de espaço, e Page Down
As teclas Page Up e Page Down têm a função de mover a página para cima e para baixo respectivamente. A barra de espaço também pode ser utilizada para mover a página para baixo.

Se você utiliza a barra de espaço para mover as páginas para baixo, experimente adicionar o botão Shift ao comando.

Fonte: Aqui

Rir é o melhor remédio

Fonte: Aqui

08 fevereiro 2018

Experimento natural

Um dos métodos mais interessantes em utilização por parte dos economistas é o chamado “experimento natural” (ou “experimento acidental”). Basicamente o pesquisador descobre um evento que permite comparar a situação antes e depois deste fato. Com as informações existentes, procura-se determinar se o evento/fato/acidente provocou algum efeito sobre a economia/sociedade. De certa forma, o experimento se aproxima do estudo de caso, pois geralmente trata-se de uma situação única, onde a generalização é mais difícil. Mas a grande quantidade de dados e a possibilidade de comparar o antes e o depois podem trazer conclusões muito mais sólidas que o estudo de caso. Além disto, possui uma grande vantagem sobre o experimento em laboratório, como o questionário (1), onde o pesquisador simplifica a realidade.

O grande problema do experimento acidental é descobrir este evento/fato/acidente. Nem sempre ele está disponível para o pesquisador usar em um determinado assunto.

Eis um caso muito interessante sobre os efeitos da prostituição sobre a sociedade (via aqui). Em um determinado período, a prostituição deixou de ser ilegal em Rhode Island (vide aqui um verbete da Wikipedia). Com isto, dois pesquisadores compararam as estatísticas existentes antes e depois da medida e descobriram que o mercado de trabalho aumentou (isto é uma conclusão fácil, já que não existe mais a figura do crime), mas reduziram as estatísticas de estupro, assim como a incidência de doença sexualmente transmissível. O percentual de redução deste dois últimos pontos foi bastante expressivo: 30% e mais de 40% .

Com o experimento acidental foi possível determinar um benefício para a descriminalização da prostituição para sociedade, algo que talvez não fosse possível com outro método de pesquisa.

(1) No livro Comportamento Inadequado, Richard Thaler faz uma interessante defesa do questionário como método de estudo na área de ciências sociais.

Presidente do conselho da Samsung é suspeito de evasão fiscal de US$ 7,5 mi

Ex-diretor da Samsung e um dos principais líderes empresariais da Coreia do Sul, Lee Kun-hee está sendo acusado de sonegação fiscal pela polícia do país. Ele é apontado como o responsável por liderar um esquema responsável pela evasão de mais de US$ 7,5 milhões em tributos que deveriam ser pagos ao governo.

Além disso, de acordo com a acusação formal registrada pelas autoridades do país nesta quinta-feira (08), o magnata estaria usando contas bancárias de funcionários e parceiros comerciais para escapar das cobranças. Por meio delas, ele teria movimentado mais de US$ 367 milhões de maneira ilícita, evitando o pagamento de impostos.

Esta é, na verdade, a segunda vez que Lee é acusado de um crime deste tipo. Em 2009, ele chegou a ser condenado por sonegação fiscal por motivo semelhante — ele estaria usando contas que pertencem a funcionários “de confiança” para fazer movimentações financeiras e investimentos, sem atrelar tais atos à sua identidade real. Na época, também, ele foi acusado de utilizar fundos da Samsung na reforma de residências próprias e de seus filhos.

O magnata, entretanto, não chegou a ser preso, tendo a sentença perdoada anos mais tarde devido a problemas graves de saúde. Agora, se inicia uma história semelhante, uma vez que Lee, que tem 76 anos de idade, está internado desde 2014 por complicações geradas por um ataque cardíaco. Atualmente, ele está em condição estável, mas sem previsão de quando pode voltar para casa.
O caso atual, inclusive, decorre da investigação que já acontece há nove anos. Após ter acesso a documentos relacionados às obras feitas nas casas da família Lee, a polícia foi capaz de localizar registros de movimentação irregular em 260 contas bancárias pertencentes ao magnata e também a 72 outros executivos, muitos deles da própria Samsung. O grupo teria deixado de agir desta forma em meados do ano passado.

Sua condição física fez com que a polícia sul-coreana, inclusive, iniciasse o processo à revelia, sem que Lee pudesse ser interrogado. O caso deve ser enviado, agora, aos procuradores gerais do país, de forma que os procedimentos legais possam seguir adiante, no que deve levar a mandados, interrogatórios, apreensões de documentos e até novas prisões.

Cenário complicado
As novas acusações, ainda, se unem a um panorama político complicado na Coreia do Sul. Após a deposição da presidente Park Geun-hye sob acusações de tráfico de influência e recebimento de propina, inclusive da família Lee e outros executivos da própria Samsung, o novo presidente, Moon Jae-in, prometeu dar um basta nos escândalos corporativos e pesar a mão sobre os acusados de crimes como lavagem de dinheiro, suborno e evasão fiscal. A ideia seria reduzir a pressão que tais magnatas possuem sobre o governo.

Nesse caso, entretanto, colocar as mãos em Lee pode ser complicado, justamente devido aos problemas de saúde do ex-diretor da Samsung. Além disso, nesta semana, o filho dele, Lee Jae-yong, também deixou a prisão após quase um ano atrás das grades. Ele está em liberdade condicional e teve sua pena de cinco anos reduzida para dois anos e meio pelo envolvimento no escândalo presidencial, além de crimes como evasão fiscal e tráfico de influência.

Apesar de pertencerem à segunda e terceira geração da família que criou a Samsung, nenhum dos dois está envolvido diretamente com a companhia. Lee Kun-hee atuou como presidente da empresa e fez parte de sua diretoria até 2008, quando saiu do posto devido às acusações de sonegação. Ele retornou em 2010, mas está afastado de suas responsabilidades desde que foi hospitalizado.

Já seu filho, Lee Jae-yong, foi vice-presidente de planejamento estratégico e CCO antes de assumir a vice-diretoria da companhia, estando, também, longe de suas atribuições devido às investigações da polícia e o cumprimento de sua sentença de prisão. Existe a possibilidade de que ele retorne ao trabalho, mesmo sob liberdade condicional, mas nem ele nem a própria Samsung confirmaram essa hipótese.

Fonte: Reuters

Foi mesmo a sonegação de impostos que parou Al Capone?

Em inglês, sem legendas

Rir é o melhor remédio


07 fevereiro 2018

Futebol e Fisco

Mais um jogador caiu nas garras do Fisco. Agora é o jogador chileno Sanchez que acordou com as autoridades espanholas 16 meses de prisão por uma fraude de um milhão de euros entre 2012 e 2013. O jogador não declarou as receitas com imagem enquanto era jogador do Barcelona. Obviamente o jogador não será preso, mas se comprometeu não cometer crime nos próximos dois anos.

Dados de e-mail para justiça não necessita de cooperação internacional

Em um caso na justiça, determinou-se que a Yahoo Brasil fornecesse informações de uma conta de e-mail. A empresa alegou que a informação armazenada em outro país, para ser fornecida para a justiça, necessitaria de um acordo de cooperação internacional. Isto parece muito estranho para a realidade do mundo atual, mas a Yahoo Brasil argumentou que era uma entidade distinta da Yahoo Incorporated, o que impediria a cumprimento da decisão judicial.

Agora o STJ decidiu que este argumento não tem validade. Segundo o entendimento do STJ, "a pessoa jurídica multinacional que opera no Brasil submete-se, necessariamente, às leis nacionais, razão pela qual é desnecessária a cooperação internacional para a obtenção dos dados requisitados."

Crime e desempenho de empresa

Um trabalho de três pesquisadores italianos analisou a consequência de se ter o crime organizado dentro da empresa. De uma maneira geral, seria esperado que a presença de diretores “contaminados” pelo crime organizado pudesse tornar a empresa mais lucrativa em razão das vantagens ilegais obtidas pelas ligações com a máfia. Mas os diretores contaminados podem piorar a rentabilidade, em razão do seu comportamento. Os autores usaram uma amostra de empresas, usando dados confidenciais de investigações realizadas no país europeu. Foram usadas informações de 16.382 empresas no período de 2006 a 2013. Se um diretor tivesse seu nome sendo investigado, o mesmo seria considerado “contaminado”. Cerca de 7% destas empresas tinham pelo menos um diretor contaminado, o que mostra um grande número de entidades com a participação (ou a suspeita de participação) de organizações criminosas. Essas empresas tinham menos caixa e eram menos rentáveis.

Oferecemos duas interpretações dessas principais descobertas.
Uma possibilidade é que as empresas utilizem políticas financeiras para reduzir o risco de expropriação, potencialmente promovido por diretores contaminados.
Outra possibilidade é que as empresas sejam completamente capturadas por esses diretores, que usam as empresas para lavrar dinheiro e gerenciar participações de caixa com o objetivo de minimizar o risco de detecção.
Além disso, nossas descobertas também sugerem que a presença de diretores contaminados piora a rentabilidade da empresa.

Uber e seu consumo

Em Uber’s Credit Card Is Bankrupting Restaurants… and It’s All Your Fault, Nick Abouzeid comenta a ofensiva da empresa Uber no ramo de carão de crédito. Aparentemente parece estranho uma empresa como a Uber concorrer em um mercado com diversos participantes. Além disto, as ofertas do cartão do Uber são “desconcertantes”.

a verdadeira intenção do Uber: combinar os dados de gastos com restaurante e o histórico de localização para ter o primeiro império de restaurantes do mundo com base em dados.

O objetivo, segundo Abouzeid, seria saber que restaurante você usa, quais os pratos que gosta, quanto gasta, entre outras informações. A empresa já sabe como você viaja na sua cidade mais do que a prefeitura. E agora vai saber seus padrões de consumo.

A insistência de Uber em superar a taxa de mercado para esses dados de gastos (pagando mais do que todos os outros cartões) empresta credibilidade ao argumento de que Uber realmente deseja os dados do seu cartão de crédito.

Eles realmente já tentaram adquirir este conjunto de dados exclusivo ... duas vezes . No final de 2016, Uber começou a pedir permissão para rastrear sua localização, mesmo quando você não está usando o aplicativo. No entanto, esta iniciativa polêmica acabou em agosto , talvez em antecipação ao anúncio do cartão de crédito Uber.

Além disso, Uber apenas reintroduziu " Ofertas locais " , uma maneira para os usuários obter passeios gratuitos, ligando seu cartão Visa para sua conta Uber. Este novo programa paga transparentemente os consumidores pelos dados da transação: não é por acaso que isso foi trazido apenas dois meses antes do cartão de crédito da Uber.

A empresa negou as intenções. A empresa tem um serviço, Uber Eats, de entregas e seu histórico de polêmicas é extenso. Mas a estratégia da empresa não é nova e é usada pelas administradores de cartão, varejistas, etc.

Narcisismo de estudantes

Um artigo publicado recentemente na RCO analisa a relação entre narcisismo de estudantes e seu desempenho. Um assunto muito importante:

O objetivo dessa pesquisa foi identificar se traços não patológicos de personalidade narcisista em estudantes de graduação de um curso de Ciências Contábeis estariam relacionados com o desempenho desses alunos. Estudantes que superestimam seu desempenho, uma característica de indivíduos narcisistas, vivem uma expectativa não realista que irão ter melhor desempenho que outros em diferentes atividades. Esse comportamento pode ser prejudicial no longo prazo, além de resultar em um constante esforço para que esta expectativa se torne realidade. Os dados foram coletados de uma amostra de 106 alunos de graduação em contabilidade que responderam um questionário contendo questões sobre traços de personalidade narcisista. Os resultados sugerem que quanto maior a presença desses traços narcisitas maiores as chances do desempenho atribuído pelo próprio estudante ser maior. Ao mesmo tempo, o nascisismo não influencia o desempenho real do aluno, o que sugere que esses traços de personalidade incluenciam apenas as expectativas, mas não o processo de aprendizado.

O Texto, uma co-autoria de Gerlando Lima, Bruna Camargos Avelino e Jacqueline Veneroso Alves da Cunha (Universidade de Illinois e UFMG) traz as implicação práticas:

A personalidade narcisista pode superestimar o desempenho acadêmico percebido, e está presente em diferentes níveis na graduação em contabilidade. Conhecer esses traços daria aos estudantes a capacidade de gerenciar suas próprias expectativas de desempenho acadêmico. Futuramente os mesmos traços podem levar a falsas expectativas profissionais, e por vezes violar limites éticos.

Destaque do Itau

Na semana que divulgou suas demonstrações contábeis, o Itau (e não mais Itaú Unibanco) fez a seguinte propaganda em alguns jornais brasileiros:
A base da notícia não foi o lucro da instituição, que seria a melhor medida de desempenho de uma entidade, mas a distribuição dos resultados, o foco do gráfico central. No gráfico, a entidade revela o destino do resultado, tendo por base a DVA. Isto é interessante por três motivos.

O primeiro é que a rigor uma instituição financeira não agrega valor para a economia. Este tipo de entidade tem uma importante função de canalizar os recursos para o setor produtivo.

O segundo aspecto é que a DVA não está entre as demonstrações contábeis obrigatórias exigidas pelo Iasb. Eis o que disse o auditor do Itau no exercício anterior:

As demonstrações consolidadas do valor adicionado (DVA) referentes ao exercício findo em 31 de dezembro de 2016, elaboradas sob a responsabilidade da administração do Consolidado, e apresentadas como informação suplementar para fins de IFRS, foram submetidas a procedimentos de auditoria executados em conjunto com a auditoria das demonstrações contábeis do Consolidado

O terceiro motivo é um juízo de valor e diz respeito ao fato de que nós, brasileiros, não aceitamos que as entidades tenham lucro. O lucro não é visto como resultado da competência e do esforço do empresário. Como eu disse, é um juízo de valor. Assim, em lugar de destacar o brilhante resultado de 2017, com um lucro de 24 bilhões de reais, o Itau prefere enfatizar o que ele adicionou para economia.

Rir é o melhor remédio

Custo perdido, segundo Dilbert:

Fonte: Aqui

06 fevereiro 2018

Falência da GE?

Recentemente a empresa GE anunciou um prejuízo trimestral e informou que estava sendo investigada pela SEC por problemas contábeis. Mais do que um escândalo contábil, o desempenho nos últimos anos da empresa pode induzir a provável falência da empresa. Isto é surpreendente para uma multinacional que figura entre as maiores empresas dos Estados Unidos há anos, com receitas de 124 bilhões de dólares, ativos de 365 bilhões e um patrimônio líquido de 76 bilhões. São quase 300 mil empregados e atuação em diversos setores.

Este blog fez uma análise da empresa da seguinte forma: se retirar o goodwill do ativo, o PL da empresa ficaria em 40 bilhões, negativo. O gráfico do preço das ações da empresa mostra, a partir de 2008, um crescimento até 2016, quando o preço começa a cair. Mas o preço da ação não garante que a empresa pode falir.

Usando este sítio obtive o Altman Z-Score. Este índice mede a chance de falência da empresa a partir de indicadores calculados por Altman. É uma medida controversa, mas muito usada na prática. O Z-Score da GE é de 1,41, estando na “distress zones”. Ou seja, há um risco efetivo de falência da empresa. Entre as empresas concorrentes, a GE é aquela que possui menor Z-Score, ou seja, com mais chances de falência.

Processo pela Auditoria da Steinhoff

Em dezembro postamos aqui sobre a empresa Steinhoff e seus problemas financeiros e contábeis. O caso chamou a atenção do regulador do mercado de capitais da África do Sul, sede da empresa. E agora entram em campo os advogados. Segundo notícia do Accountancy Age, a empresa de advocacia da holanda Barents Krans começou um processo contra a empresa. Mas como tem sido comum nos últimos tempos (e a exemplo do que ocorreu com a Petrobras), o caso também sobra para o auditor, no caso da Deloitte.

Segundo os advogados, a auditoria não informou as irregularidades contábeis que impediram a empresa de varejo de publicar suas demonstrações contábeis de 2016 e 2017. Além disto, o The Independent Regulatory Board for Auditors também está investigando o trabalho da Deloitte.

Apesar do processo ter começado na Holando, os acionistas de qualquer lugar do mundo podem participar. O advogado da BarentsKrans cita, como argumento, a queda nos preços das ações da empresa, de mais de 80% desde dezembro (gráfico acima). Isto demostraria que os problemas da empresa não eram de conhecimento do mercado. Além do processo, a Deloitte sofre com a desconfiança da própria Steinhoff, que contratou a PwC para revisar sua contabilidade.

Interesse de quem?

Como parte do acordo feito pela Petrobras nos Estados Unidos para encerrar a ação coletiva os acionistas, a empresa de auditoria PwC irá pagar 50 milhões de dólares. A PwC é o auditor da empresa. Os acionistas compraram ações da empresa entre 2010 e 2015.

Uma das frases, registrada neste site, é a seguinte:

"O acordo garante a prestação de contas para aqueles cujo dever é proteger os interesses dos acionistas, e não dos seus clientes corporativos" Jeremy Lieberman)

Marketing multinível

Rir é o melhor remédio

05 fevereiro 2018

Ciência e o senso comum

Três pesquisas distintas mostram como a ciência pode ajudar a mudar nossas crenças. Primeira, um alerta da US Department of Health and Human Services' National Toxicology Program informa que o celular não causa mal para saúde das pessoas. Estranhamente, os ratos expostos aos sinais de celular viveram mais que o grupo de controle. Os pesquisadores ainda não sabem a razão disto.

O segundo é a afirmação que existia controle de armas no velho oeste. Algumas cidades proibiam o porte de armas e suas leis eram mais restritivas que as atuais.

Finalmente, e mais surpreendente, apesar da meditação ter a fama de deixar as pessoas calmas, ela não faz com que as pessoas sejam melhores. A meditação corresponde a um efeito placebo.

Depressão na pós

Em dezembro, o jornal Folha de S Paulo publicou um longo texto comentando sobre a depressão dos alunos de mestrado e doutorados (aqui, sendo que o link foi encaminhado pelo prof. Claudio Santana, grato).

O texto é acompanhado por depoimentos de alunos. É muito claro o grande motivo de queixa dos pos-graduandos: o orientador. O texto do jornal relativiza um pouco as queixas do professor, informando da pressão que os docentes sofrem em termos das exigências de ministrar aula, orientar, fazer trabalhos técnicos, participar de congressos e publicar artigos em periódicos de impacto. Mas nos depoimentos encaminhados para o jornal a grande queixa é o orientador. No modelo de pós-graduação este professor tem um papel importante na vida do aluno, determinando suas tarefas, aprovando seus textos, participando de suas pesquisas, entre outras atividades.

Na intersecção da maioria das dificuldades descritas pelos estudantes - pressão exagerada, carga de trabalho frequentemente excessiva, solidão, assédio moral, entre outras - encontra-se a figura do orientador.

Confeso que minha experiência como orientando foi bastante positiva. Não seria uma visão particularizada do jornal? Ou as questões são inerentes a um ambiente de competição excessiva?

Claúdio, que me enviou o texto, questiona: isto também ocorre na nossa área? Minha resposta: sim. Mas confesso não saber em que grau ocorre.

Rir é o melhor remédio


Segunda

04 fevereiro 2018

Ajude o ambiente, seja vegano

No livro "Quando Roubar um Banco", de Levitt e Dubner (autores de Freakonomics) uma informação realmente impressionante.Antes de mais nada o livro trata de uma coletânea de artigos publicados no blog dos autores. Em um texto, sobre a questão do aquecimento global, McWilliams faz uma crítica aos ambientalistas e suas propostas de combater o aquecimento global. Eis um trecho com o argumento de McWilliams:

o veganismo representa o caminho mais eficaz para conter as mudanças climáticas globais. Os elementos de comprovação nesse sentido são respeitáveis. Segundo o estudo, cultivar uma dieta vegana é sete vezes mais eficiente na redução das emissões do que optar por uma dieta com base em carne de produção local. Uma dieta vegana global (de colheitas convencionais) reduziria as emissões em 87% em comparação com os meros 8% no caso de "carne e laticínios sustentáveis"


O ponto central do argumento é que a dieta vegana reduziria as emissões provocadas pela pecuária, a maior fonte de emissão de gás carbônico metano. Mas por que os ambientalistas não chamam a atenção para este fato? A razão estaria, entre outros pontos, pelo fato deles serem carnívoros e que o combate a um gasoduto tem muito mais repercussão nos meios de comunicação.

02 fevereiro 2018

Atenção e mercado acionário

A literatura acadêmica fornece evidências de que quando a mídia em geral destaca uma ação específica, é bem provável que esse ativo atraia a atenção de investidores, o que pode causar pressão em seus preços. Essa atenção a meios de comunicação não especializados é explicada pelo fato de investidores menos sofisticados dependerem mais fortemente de informações públicas, uma vez que não têm acesso a gama de canais de informação dos investidores profissionais.
Este artigo investiga a relação entre o volume de negociação no mercado de ações brasileiro e a atenção do investidor. Utilizamos as coberturas jornalísticas de cada empresa como medida de atenção dos investidores, divulgadas no jornal de maior circulação e no jornal de negócios líder no Brasil.
Os resultados deste artigo mostram que o volume de negociação é alto no dia de publicação das notícias nos jornais (ou seja, no dia seguinte ao evento). Esse resultado sugere que investidores menos especializados são influenciados pelos jornais de grande circulação.
Contudo, essa relação positiva ocorre apenas em períodos em que o índice de ações está relativamente alto e para notícias ruins em relação à firma. Além disso, as empresas menos visíveis na mídia são mais suscetíveis a esse efeito quando as notícias são divulgadas simultaneamente em ambos os jornais.


Artigo aqui

Reprodutibilidade e Replicabilidade

Há uma diferença sutil entre reprodutibilidade e replicabilidade na ciência, segundo Leek:

Reprodutibilidade = tomar os dados de uma publicação anterior, reve-los e obter os mesmos resultados.
Replicabilidade = executar um experimento e obter resultados "consistentes" com o estudo original usando novos dados.

Eis um exemplo. Uma pesquisa testou a relação entre tamanho do ativo e margem líquida para as empresas abertas no ano de 2014. A reprodutibilidade significa pegar as mesmas empresas, os mesmos valores e recalcular os testes estatísticos. Já a replicabilidade é usar as técnicas do texto original e verificar se o mesmo se aplica aos resultados de 2017.

Segundo Leek, os resultados que não são reprodutíveis são difíceis de verificar e os resultados que não se replicam em novos estudos são mais difíceis de confiar. Mas uma boa ciência se faz com ambos. Para isto, o pesquisador deve guardar os resultados e disponibilizar quando necessário.

Um estudo de alguns anos atrás mostra a importância disto. Dois pesquisadores econômicos conhecidos cometeram um erro ao calcular a média em uma planilha Excel. A fórmula usada não contemplava todos os países. o estudo apontava uma média na taxa de crescimento de diversos países de -0,1% e o valor correto era de 2,2%. O erro só foi descoberto graças a reprodutibilidade.

Os problemas com a reprodutibilidade e a reprodutividade ocorrem, segundo Leek, por falta de treinamento em estatística e computação por parte dos cientistas, aos incentivos financeiros para publicar resultados desejáveis, os incentivos dos periódicos para publicar resultados inovadores, as limitações estatísticas dos estudos (tamanho da amostra, por exemplo), a não consideração de alternativas nas explicações para os resultados, entre outros aspectos. Como parecerista de artigos em periódicos tenho notado um descuido com ambas as questões; muitos textos preferem falar da classificação da pesquisa, do que esclarecer como a pesquisa foi feita.

Há um outro aspecto: o desprezo com a ética por parte de alguns pesquisadores. Tenho notado isso ao longo da vida acadêmica e isto inclui desde usar o “CRTL C CRTL V” até a tentativa de torturar os dados. Quem não segue este padrão é taxado de “preciosista” pelos colegas.

Rir é o melhor remédio



Via aqui

Oscar, PwC e uma nova atitude

Depois de anos usando o prêmio Oscar, a empresa de auditoria PwC optou, neste ano, pela discrição. A razão foi o vexame que ocorreu no ano passado, na confusão do prêmio de melhor filme. A PwC anunciou mudanças nos procedimentos, para evitar a repetição do ocorrido, e somente isso.

Segundo lembrou o Going Concern, a PwC passou anos vangloriando do seu papel na cerimônia do Oscar, com entrevistas, detalhando os cuidados e promovendo sua participação. Agora, nenhum comunicado à imprensa e a página do sítio da empresa com os detalhes da votação foi retirada.

01 fevereiro 2018

Efeito do Blockchain na contabilidade

Tenho dúvidas de algumas afirmações da figura abaixo, mas achei o material bastante interessante. Ótimo para se usar em sala de aula, com os amigos, nos blogs ... Primeiro, uma versão completa:

A seguir, uma versão em partes:





Adaptado daqui