Translate

13 maio 2016

Ingerência Política

O Valor Econômico faz uma defesa nada velada a atual diretoria da Petrobras. O título já expressa a opinião: Temor de Ingerência Política Volta a Assombrar a Petrobras. A ideia é que a nova equipe econômica poderia mudar a atual direção da empresa, fazendo a "ingerência política. Mas a atual gestão não é política? Bendine (fotografia) não era o nome de confiança de Dilma? Sim e sim.

O texto do jornal usa um subterfúgio muito comum do Valor: fontes não identificadas, que reduz a credibilidade do texto enormemente. Eis alguns trechos para o leitor do blog:

Para a equipe de Bendine, as mudanças ocorreram justamente porque não há hoje um viés político na gestão.

E no caso de mudanças do atual conselho, a percepção da diretoria é de que mexer de forma mais profunda na Petrobras pode levar a uma "ruptura com a sociedade", já que a empresa vai continuar no foco dos holofotes. A empresa é grande demais e se envolveu em polêmicas proporcionais a esse gigantismo.

Há convicção de que a companhia criou defesas, ainda que frágeis e que precisam amadurecer.

A interpretação do comando da petroleira é que no ano passado a Petrobras estava diante do maior desafio de sua história.

A certeza no comando da estatal agora é que acabou o temor com relação à solvência.


O jornal teve um dos seus colunistas grampeados pela Operação Lava-Jato telefonando para o ex-presidente Lula para, entre palavrões, dar conselhos nada éticos. (É bem verdade que este colunista já não escreve mais no jornal). Em outro texto, segundo o jornal, a CVM estaria alerta a interferência na Petrobras. Mas não foi a própria CVM que "permitiu" que a situação chegasse onde chegou?

Nenhum comentário :

Postar um comentário