Translate

06 janeiro 2016

Resenha: Sinatra All or Nothing at All

Este é um documentário de quatro horas de duração sobre o cantor Frank Sinatra. Considerado o maior cantor popular do século XX, Sinatra fez muito sucesso como cantor de orquestra e depois como artista solo. Sinatra soube usar o rádio para tornar-se um sucesso na sua época. A carreira caiu logo após a guerra, mas o cantor persistiu e conseguiu um papel no filme “A Um Passo da Eternidade”, quando ganhou o Oscar. Esta fase da vida é retratada no filme O Poderoso Chefão. Nesta época, Sinatra separou da sua esposa e casou com Ava Gardner. Nos anos sessenta apoia a eleição de Kennedy, mas sentiu-se traído pelo presidente quando resolveu perseguir seus amigos da máfia. Nos anos sessenta casa-se com Mia Farrow, bem mais nova que ele. Em 1971 anuncia sua aposentadoria e faz um show. O documentário está centrado exatamente neste show para contar a história de Sinatra, com destaque para as poucas canções do espetáculo.

O documentário não esconde a amargura do cantor com os Kennedys e destaca o papel do cantor na luta contra o racismo nos Estados Unidos. Deixa claro que o cantor detestava o rock, incluindo Presley. E não esconde seu envolvimento com a máfia, embora tente suavizar a relevância para seu sucesso e carreira. Mostra um Sinatra disposto a aceitar o rock para se ficar nas paradas e fazendo piadas racistas contra seu amigo Sammy Davis Jr.

Diversas pessoas próximas dele falam sobre o cantor. Isto naturalmente tende a dar uma conotação favorável ao cantor.

Vale a pena? Para quem gosta do cantor sem dúvida. Mas fica uma frustação já que o show no Maracanã, para 170 mil pessoas, não é citado. E Jobim aparece rapidamente numa cena, o que é pouco já que Sinatra aproveitou-se da bossa nova.

Um comentário :

  1. Uma vez eu assisti a uma entrevista na qual ele fez pouco caso do Tom Jobin e demorou-se a lembrar o primeiro nome do artista. Acredito que isso foi no início do relacionamento.

    ResponderExcluir