Translate

13 dezembro 2015

As mulheres e o calendário Pirelli 2016

O calendário Pirelli é famoso pela divulgação da mulher sensual. O almanaque não é vendido, mas sim presenteado a pessoas importantes, artistas, políticos, musicistas e realeza. Todo ano são convocadas beldades como modelos, além de fotógrafos renomados. No livro de mesa “The Calendar: 50 Years and More”, publicado pela Taschen, a norma é encontrar Kate Moss, Christy Turlington, Naomi Campbell, Nadja Auermann, completamente nuas. Há também fotos sensuais de Gisele Bündchen, Karen Elson e Carmen Kass.

Em 2013 o tema foi o Rio. Sônia Braga, Adriana Lima e Marisa Monte foram algumas das fotografadas. Essa edição já estava um pouco mais recatada. Todavia, em 2016 haverá uma guinada no tema. A fotógrafa contratada foi Annie Leibovitz e as fotografadas serão, dentre outras, a autora Fran Lebowitz, a presidente emérita do Museu de Arte Moderna (MoMA), Agnes Gund, a presidente da Ariel Investimentos, Mellody Hobson.

Shirin Neshat
No fim de novembro a ideia de um novo tipo de calendário foi revelada, apresentando 12 meses com mulheres completamente vestidas e escolhidas por suas conquistas. Apesar de ser possível encontrar fotos em edições passadas sem nudez (em especial a publicação de 2013 feita no Brasil por Steve McCurry) esta é a primeira vez que não serão apresentadas mulheres em poses provocativas e que o foco não é a aparência, mas sim os currículos.

Além da senhora Gund (Março) que foi fotografada com sua neta em idade escolar, a senhora Hobson (Junho) e a senhora Lebowitz (Maio), o calendário também traz Yoko Ono (Outubro); a diretora de “Shelma”, Ava DuVernay (Julho); a artista iraniana Shirin Neshat (Setembro); a produtora de “Lincoln”, Kathleen Kennedy )Fevereiro); Patti Smith (Novembro); e a atriz Tavi Gevinson (Agosto).

As exceções às completamente vestidas são Serena Williams (Abril) que foi fotografada topless, de costas para a câmera e com os músculos brilhando; Amy Schumer (Dezembro) em um lingerie (a piada sendo que ela não entendeu a mensagem intencionada pela nova edição); e a modelo e filantropa Natalia Vodianova (Janeiro) em um robe de cetim com uma perna exposta e seu filho mais novo nos braços.

Certamente a manobra será vista como uma declaração política, mas era apenas a exploração de uma tendência social, uma tentativa inteligente de lucrar com o espírito da idade ou um compromisso mais permanente com as mudanças?

O fato de a resposta ainda estar em debate mostra a sensibilidade do assunto.

Leia mais aqui.

Nenhum comentário :

Postar um comentário